Olhar Direto

Quinta-feira, 05 de agosto de 2021

Notícias | Economia

Dólar fecha a R$ 2,25, menor nível em dois meses; Bovespa avança 3,49%

O dólar comercial foi cotado a R$ 2,253 para venda, o que representa um forte decréscimo de 3,42% nas últimas operações registradas nesta segunda-feira. Trata-se do menor preço da moeda americana desde 11 de novembro. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi vendido por R$ 2,420, com recuo de 1,62%.

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) registra ganho de 3,49% e atinge os 41.647 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,14 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York retrai 0,70%.

O Banco Central realizou três leilões de venda de moeda com recompra no meses de fevereiro, março e abril. A autoridade monetária somente três ofertas com recompra programada para abril, no montante total de US$ 650 milhões. A taxa de venda foi estabelecida em R$ 2,291 e taxa de recompra de R$ 2,348.

A Bolsa de Valores opera com forte alta, com o retorno dos investidores às compras, focados nos papéis ligados às commodities (matérias-primas), Petrobras e Vale do Rio Doce. Estatísticas da Bovespa mostra que os investidores estrangeiros venderam mais que compraram ações nos últimos sete meses. Em dezembro, no entanto, o ritmo de fuga dos capitais externos reduziu pela metade.

"Em um mercado pequeno, qualquer operação maior mexe com os preços", avaliou Ideaki Iha, da mesa de câmbio da corretora Fair. "Pode ter sido algum desmonte [de posição] ou uma grande operação de entrada", acrescenta, vendo um dia atípico no mercado doméstico da moeda, que descolou da tendência internacional.

Analistas também afirmam que o mercado está um pouco mais otimista nestes primeiros dias do ano, sob a expectativa da troca de guarda na Casa Branca. O próximo presidente dos EUA, Barack Obama, promete um pacote de estímulo econômico, com renúncias fiscais que podem chegar a US$ 300 bilhões.

Juros futuros
O mercado de juros na BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros), que serve de referência para as tesourarias de bancos, rebaixou as taxas projetadas para o início de 2009, 2010 e 2011.

No contrato com vencimento em março de 2009, a taxa projetada recuou de 13,26% ao ano para 13,25%; no vencimento de janeiro de 2010, a taxa projetada caiu de 12,14% para 12,07% e no contrato com o vencimento de janeiro de 2011, a taxa prevista cedeu de 12,14% para 12%.

O boletim Focus, preparado pelo Banco Central, mostrou que a maioria dos economistas do setor financeiro já espera uma redução ainda mais drástica da taxa básica de juros do país -- de 13,75% ao ano --- em janeiro: muitos estimam um corte para 13,25% ao ano. Na semana anterior, a expectativa média apontava para um ajuste em 13,50%. Os economistas mantiveram a previsão de que os juros irão terminar 2009 em 12% ao ano.
Sitevip Internet