Olhar Direto

Domingo, 23 de fevereiro de 2020

Notícias / Brasil

Para família, agenda salvou homem que foi baleado em shopping

G1

02 Abr 2009 - 22:06

Uma agenda telefônica de bolso pode ter salvado a vida do comerciante de 42 anos atingido por disparos de pistola de calibre 380 nesta quinta-feira (2), em Pirituba, na Zona Norte de São Paulo. O delegado Walter Dualibi Júnior, do 87º Distrito Policial, na Vila Pereira Barreto, afirma que o homem foi atingido por pelo menos três disparos e que um deles ia direto ao coração, mas o projétil, que chegou a penetrar no corpo, foi contido pela agenda.

Os familiares falaram que ele levou quatro tiros - em vez de três. Segundo os parentes, o impacto fez a agenda perfurar o corpo do comerciantes, mas foi fundamental para que a bala não provocasse ferimento mais grave. "O tiro entrou no corpo dele, mas a agenda ajudou a amortecer", disse uma parente que não quis se identificar

De acordo com familiares, o comerciante passou por cirurgia e por volta das 16h apresentava quadro estável. O comerciante foi até uma agência bancária em frente ao shopping em Pirituba e sacou R$ 4,5 mil. Em seguida, acompanhado do irmão e de um sobrinho, ele se dirigiu até a outra agência, onde faria um depósito. No meio do caminho, quando estavam no estacionamento do shopping, os três foram abordados pelo assaltante, que se dirigiu diretamente ao rapaz que estava com o dinheiro e ordenou que ele o entregasse.



Imagens do circuito interno do shopping mostram que o rapaz jogou o dinheiro no chão. Neste momento, o comerciante, que também é lutador de caratê, tentou agarrar o assaltante pelas costas. O ladrão deixou o grupo e deu vários tiros. A polícia encontrou cápsulas no estacionamento, no teto do hall de entrada do shopping e no vidro do carro de uma cliente, que no momento do assalto estava dentro do centro comercial.

Dois guardas-civis que estavam próximos ao local socorreram a vítima até o Pronto Socorro de Pirituba. “Chegamos em menos de um minuto”, afirmou o guarda-civil Cláudio Adriano da Silva, que tirou fotos da agenda com seu celular. A vítima também teve sorte porque o motorista do Prisma da Guarda Civil, Márcio Ribeiro, é atendente de enfermagem.

Dona do Palio atingido por um dos tiros, a vendedora Cláudia Alcântara disse que ficou chocada com a violência do assalto. “Vim apenas para conhecer o shopping. Fiquei muito abalada, assim como os parentes dele”, disse. Ela chama o Palio azul marinho de “Azulão” e ficou chateada ao ver o estado do veículo. “Tenho muito xodó por ele”, disse.