Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Carros & Motos

Carros já podem ter etiqueta que mostra consumo de combustível

G1

18 Abr 2009 - 20:38

Alguns carros novos já podem sair das concessionárias com a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, um selo com o carimbo do Inmetro que mostra informações sobre o desempenho do automóvel em relação ao consumo de combustível na cidade e na estrada (em km/l ou km/m3, no caso dos motores a gás natural) e classifica o modelo de acordo com seu nível de consumo. O selo foi lançado na tarde desta sexta-feira (17) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

Para a certificação, o Inmetro dividiu os modelos em 8 categorias: subcompacto,

A etiqueta mostra ainda o consumo urbano e rodoviário do veículo rodando com álcool, gasolina ou GNV. Este deverá ser o ponto de muita discussão entre consumidores e as montadoras. De acordo com o Inmetro, estes valores são uma referência obtida com testes com os carros feitos em laboratórios, com maneira de dirigir e combustível padrão. Os testes seguiram padrões estabelecidos pela norma 7024 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Durante os testes, os carros ficam sobre uma espécie de esteira, na qual são simuladas diferentes condições de tráfego. Desta forma, os computadores registram os gastos de combustível.

Em outras palavras, o selo estampa valores padronizados de algo que é muito variável – o consumo médio de combustível de um carro varia de acordo com a maneira de conduzir, a quantidade de carga, a pressão dos pneus, o trânsito que cada motorista encontra, entre outros fatores.“Cada consumidor terá a sua realidade de acordo com sua maneira de dirigir e sua relação com o veículo”, salienta João Jornada, presidente do Inmetro. “Os números que aparecem na etiqueta são representativos para um consumidor médio.”

Entre os modelos que poderão receber a etiqueta estão Classic, Celta, Corsa Sedan e Prisma (Chevrolet); Mille (Fiat); Picanto (Kia), Voyage e Polo Bluemotion (Volkswagen).

Não são todos os carros que terão a etiqueta. O selo não é obrigatório. Neste primeiro momento, apenas cinco montadoras participam voluntariamente do programa: Chevrolet, Fiat, Honda, Kia e Volkswagen. Este ano, 31 modelos de cinco categorias poderão sair de fábrica etiquetados.

O selo brasileiro é diferente do modelo europeu, que destaca informações sobre a quantidade de poluentes que cada modelo lança na atmosfera. “No caso do Brasil, o principal é o consumo do automóvel”, destaca Mozart Schmidt de Queiroz, gerente executivo de Desenvolimento Energético da Petrobras.

O selo será renovado anualmente e um carro que teve classificação E (muito consumo) poderá no ano seguinte obter uma qualificação melhor de acordo com as melhorias técnicas feitas pelo fabricante. O Em agosto, o Inmetro vai analisar novos modelos que poderão receber o selo. “O consumidor vai utilizar esta etiqueta como critério para compra do seu veículo”, acredita o presidente do Inmetro.
Sitevip Internet