Olhar Direto

Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Notícias / Economia

GM planeja fechar até 1.200 concessionárias nos EUA neste ano

Folha Online

28 Abr 2009 - 17:39

A montadora americana GM (General Motors) informou sua rede de concessionárias que planeja fechar entre 1.000 e 1.200 lojas até o fim de 2009 para ajustar os estoques e fazer suas revendas serem mais lucrativas. A medida faz parte do plano de reestruturação da companhia, que tem até 1º de junho para apresentar seu projeto para o governo.

Até 2010, a GM planeja fechar 42% de suas lojas, reduzindo das atuais 6.246 revendas para até 3.605 concessionárias. Os números foram confirmados pela montadora. Ontem, a empresa divulgou que planeja cortar 21 mil postos de trabalho e suspender a produção em 13 unidades nos EUA.

Entre as medidas anunciadas nesta terça, a companhia divulgou que deve fechar 500 revendas das marcas Hummer e Saturn, além de unificar até 500 outras lojas. Com o fim da Pontiac (também anunciado ontem), a GM vai se desfazer de 27 concessionárias exclusivas da marca.

Susan Garontakos, porta-voz da GM, afirmou que a empresa ainda vai decidir quais pontos de vendas pretende manter, tendo como prioridade o volume de vendas, a capitalização, o potencial de lucros, o tamano e a imagem da loja junto ao público.

"Há muita coisa que temos de levar em consideração, mas nós vamos conversar com as lojas que não têm atingido uma boa performance", afirmou.

Projeção feita pela Associação Nacional de Concessionárias (Nada, na sigla em inglês) mostra que cerca de 137,3 mil pessoas perderão seus empregos, enquanto os governos estaduais deixarão de arrecadar US$ 1,7 bilhão de impostos com os fechamentos.

Reestruturação

Segundo parte do plano de reestruturação da empresa divulgado ontem, o governo poderia assumir o controle da fabricante em troca de oferecer outros US$ 11,6 bilhões em ajuda à montadora. Dessa forma, o Tesouro ficaria com o controle de mais da metade da GM.

Esses US$ 11,6 bilhões, segundo a proposta da GM, se somariam aos US$ 15,4 bilhões que a GM já recebeu em ajuda do governo.

O presidente da GM, Fritz Henderson, disse ontem que a montadora continuará a ser "uma companhia global, mas sua natureza vai mudar", quando sua reestruturação tiver sido concluída. A GM vai se concentrar na manutenção de quatro marcas (Chevrolet, Cadillac, Buick e GMC).

Sobre se a GM deixará de ser uma firma mundial, após acabar seu processo de reestruturação, Henderson disse que continuará "sendo uma companhia global, mas sua natureza vai mudar". "Vamos ser globais, mas de forma diferente. Estou mais concentrado em obter bons resultados do que em ser grande", afirmou.
Sitevip Internet