Olhar Direto

Quarta-feira, 08 de julho de 2020

Notícias / Carros & Motos

Europeias fazem o Salão de Detroit relevante para o Brasil

Auto Esporte

23 Jan 2014 - 17:54

A lembrança da crise de 2008 é inevitável para contextualizar o Salão de Detroit. Do pessimismo da edição de 2009, a primeira pós-crise, passando pela oferta de híbridos e elétricos e ascensão dos compactos nos anos seguintes, o evento teve vários protagonistas desde então.
Na edição deste ano, que termina neste domingo (26), Ford, com as novidades mais impactantes, e General Motors foram implacáveis na renovação de picapes e esportivos que sintetizam a preferência do consumidor local. Não dá para dizer, no entanto, que as americanas dominaram Detroit. As europeias fizeram o evento relevante para o Brasil.

A que mais ofuscou as atrações nativas foi a Mercedes-Benz, ao lançar oficialmente o novo Classe C – não só para os EUA, mas para o mundo. Num dos maiores estandes do evento, a marca alemã também estreou o esportivo GLA 45 AMG e o luxuoso S600 – com 20 carros expostos, seu espaço era um dos mais “povoados” do evento.
Um pouco adiante, a BMW deu vida à nova geração do M3, simplesmente um dos principais esportivos do mundo, que tem uma legião de fãs mesmo na terra dos muscle cars. De carona, o não menos desejável M4 e o simpático e mais discreto Série 2 Coupé.

O mais próximo que Detroit chegou de elétricos de verdade foi justamente com a fabricante bávara, que levou o compacto i3 e o i8 para conhecer a América.
Mais discreta, a Audi revelou o conceito Allroad Shooting Brake, que dará origem a crossovers menores em sua gama, e lançou o novo S8 nos EUA.
Quase invisível, a Volkswagen apenas exibiu os modelos oferecidos nos EUA e, para cumprir tabela, mostrou o conceito Beetle Dune, que ainda procura um sentido para sua existência. Ficou com a Porsche a responsabilidade de apresentar algo relevante do Grupo Volkswagen no Salão de Detroit, com as estreias de Macan e do inédito 911 Targa.
Se as estrelas de Chevrolet, Chrysler e Ford jamais saberão como é rodar sobre o piso brasileiro – exceção talvez se faça ao Mustang, que pode ser comercializado por aqui –, praticamente todas as novidades das europeias estrearão no Brasil ainda este ano.
Até as asiáticas mostraram o que o mercado brasileiro em breve conhecerá. A Honda marcou presença com o novo Fit, enquanto Subaru e Kia lançaram as novas gerações de Impreza WRX e Soul, respectivamente – o japonês chega até o final do ano, enquanto o coreano desembarca por aqui já em maio.

Ícones americanos
Entre as americanas, embora tenha sido revelado no final do ano passado, foi somente no salão que a Ford apresentou oficialmente a nova geração do Ford Mustang. Veículo mais vendido do país há décadas, a F-150 também usou Detroit como plataforma de lançamento para a nova encarnação – com a diferença que, ao contrário do cupê, a picape não havia sido mostrada antes do evento.
No entanto, ainda que os carros elétricos ou híbridos estivessem a quilômetros de distância dos holofotes em Detroit, os poderosos esportivos e as truculentas picapes, com seus motores V8 a inebriar os "yankees", também fizeram um pacto com o meio ambiente: tanto o Mustang quanto a F-150 adotaram motores da família EcoBoost, menores e igualmente potentes – no caso do cupê, um quatro cilindros turbo de 309 cv.

Já a General Motors abocanhou os prêmios de picape do ano (North American Truck of the Year) com a renovada Chevrolet Silverado e carro do ano (North American Caro f the Year) com o Chevrolet Corvette Stingray, revelado no Salão de 2013 e que nesta edição ganha a versão esportiva Z06.
Quanto à Chrysler, a nova geração 200 ocupou o principal espaço no estande do grupo, dando continuidade à investida da empresa em carros considerados compactos nos EUA, liderada pelo Dodge Dart, em 2012.
Sitevip Internet