Olhar Direto

Notícias / Copa 2014

Agenda da Copa: definição de Grupos E e F leva emoção a todos os jogos

Globo esporte

25 Jun 2014 - 08:00

Os Grupos E e F terão seus classificados definidos nesta quarta-feira. A Argentina, no F, já garantiu sua vaga para as oitavas de final. Das outras sete seleções que entram campo, apenas uma delas não tem mais chances de avançar, a Bósnia-Herzegovina. A promessa é de emoção para as quatro partidas, já que todas terão alguma influência na definição dos classificados. Às 13h (de Brasília), começam os jogos do Grupo F: a Argentina só precisa de um empate para garantir o primeiro lugar e este resultado também dá à Nigéria a segunda vaga. As duas seleções se enfrentam no Beira-Rio, em Porto Alegre. A estreante e já eliminada Bósnia pega o Irã na Fonte Nova, em Salvador. Para o time do Oriente Médio se classificar, precisa vencer e torcer por uma vitória dos "hermanos" sobre a Nigéria. Preferencialmente por mais de um gol de diferença. A definição da vaga pode até acabar no sorteio. Se Irã e Argentina vencerem seus jogos pelos mesmos placares, iranianos e nigerianos se igualarão em todos os critérios de desempate (saldo de gols, gols pró e confronto direto), ficando a cargo da sorte a resolução.

Às 17h é a vez do Grupo E. Todas as seleções ainda têm chances de se classificar. O Equador pega a França no Maracanã, Rio de Janeiro. Um empate garante o primeiro lugar ao time francês. Para os equatorianos avançarem sem depender de outros resultados, precisarão vencer e ainda ficar de olho no saldo de gols. Isso porque a Suíça joga contra Honduras na Arena Amazônia, em Manaus, e se vencer por uma boa diferença de gols poderá passar o Equador na classificação.

NIGÉRIA X ARGENTINA

Um dos confrontos que mais se repete das últimas Copas pode se tornar um jogo de compadres no Beira-Rio, em Porto Alegre. Os argentinos precisam apenas de um empate para garantir o primeiro lugar do grupo F. O mesmo resultado leva os africanos às oitavas de final. Nossos hermanos, comandados por Messi, venceram a Bósnia-Herzegovina na estreia (2 a 1) e no sufoco passaram pelo Irã (1 a 0) com um gol nos acréscimos do segundo tempo. A Nigéria estreou com um empate contra os iranianos (0 a 0) e com emoção venceu os bósnios (1 a 0).
O zagueiro Oboabona é a única dúvida do técnico Stephen Keshi para a escalação da Nigéria. O jogador já ficou de fora do jogo contra a Bósnia, se recuperando de uma lesão no pé direito. Ele já voltou aos treinos, mas Keshi não garante seu retorno.

A Argentina ainda não empolgou nesta Copa do Mundo. O quarteto ofensivo formado por Di Maria, Aguero, Messi e Higuaín só teve atuação de destaque no segundo tempo contra a Bósnia. Dois dos três gols do time na competição saíram dos pés de Messi. O próprio técnico Alejandro Sabella admitiu que o time depende muito do atacante do Barcelona. A única mudança que deve ocorrer no time argentino é a saída de Marcos Rojo, que está pendurado com um cartão amarelo.

Confira um perfil do Beira-Rio, que recebe a partida Nigéria x Argentina, às 13h.
Ingressos: Até às 20h30 desta terça-feira não haviam mais ingressos disponíveis para a partida.

Como chegar: Quem mora em cidades da Região Metropolitana como São Leopoldo e Esteio, ou sai do Aeroporto Salgado Filho, pode pegar o Trensurb, descer na Estação Mercado, no centro, e tomar ônibus como Icaraí (149), Cohab (165), Ponta Grossa (171), Ponta Grossa (171) e Padre Reus (187), que saem da Rua Salgado Filho. Outras opções de ônibus saem da zona norte da cidade, no Terminal Triângulo, na Assis Brasil. Lá, o torcedor pode pegar os ônibus Transversal 7 (T7) até o Shopping Praia de Belas, Transversal 1 e T1 Linha Direta. Para quem está na zona sul, há opções saindo do Barra Shopping, Diário (180), Camaquã (173) e Ponta Grossa (171).

Setores do estádio: Beira-Rio tem nove setores, diferenciados: a cadeira perpétua (com capacidade para 1.075 pessoas), a zona livre (28 mil lugares), cadeiras locadas Beira-Rio (5 mil lugares), cadeiras locadas Padre Cacique (5.200 lugares), cadeiras VIP (5.050 de capacidade), skybox (55 com 24 lugares, cada), camarotes (70 que variam de 18, 16 e 14 lugares), reservado Zona Sul (575 lugares) e a torcida adversária (com capacidade a definir). Na parte inferior, são sete portões de acesso do público geral para a arquibancada inferior. Para arquibancada superior, continuam as quatro rampas de acesso.
BÓSNIA X IRÃ

A estreante Bósnia-Herzegovina chegou ao Brasil com a expectativa que fosse a segunda força do grupo F, comandada pelo centroavante Dzeko, do Manchester City, mas fará sua despedida no jogo em Salvador. A derrota para a Argentina na primeira rodada (2 a 1) não pode ser considerada uma zebra, mas a derrota para a Nigéria na segunda (1 a 0) com certeza não estava nos planos de uma equipe que sonhava em garantir uma vaga nas oitavas de final. O Irã, considerado por muitos o mais fraco dos times do grupo F, vem surpreendendo. No primeiro jogo, um empate sem gols contra a Nigéria. No segundo, uma derrota (1 a 0) no último minuto para a Argentina depois de criar boas oportunidades e uma ter atuação quase perfeita na defesa. O ponto conquistado contra os nigerianos deixa o Irã ainda com chances de seguir na Copa.

O técnico da Bósnia, Safet Susic, deve aproveitar a partida desta quarta-feira para dar descanso a jogadores que estão desgastados após a temporada europeia e os dois jogos da Copa. Atletas que ainda não atuaram no mundial devem receber chances. O atacante Dzeko, astro do time, não deve ser poupado contra os iranianos.
No Irã, o técnico português Carlos Queiroz fez mistério fechando o treinamento desta terça-feira. O time, que ainda não fez gols nesse mundial, precisará marcar para sonhar com a vaga nas oitavas de final. Para isso, conta com o atacante Reza Ghoochannejhad, principal jogador do time, garantido para o confronto contra os bósnios.
Confira um perfil da Fonte Nova, que recebe a partida Bósnia x Irã, às 13h.

Ingressos: Até às 20h30 desta terça-feira, ainda haviam ingressos para as categorias 1, 2 e 3, além de entradas para pessoas que necessitam de cadeira de roda. O preço para a categoria 1 é de R$ 350,00, para a categoria 2 é de R$ 270,00, para a categoria 3 é de R$ 180,00, mesmo valor para cadeirantes.

Como chegar: a Fonte Nova fica localizada às margens do Dique do Tororó e o trânsito de ônibus nos arredores do estádio é paralisado horas antes de cada partida. Ônibus saem dos shoppings e do Jardim dos Namorados, na orla, e param próximo a Fonte Nova. Recém-inaugurado, o metrô é boa opção e, nos dias de jogo, é exclusivo para quem vai à partida.

As principais vias de acesso para chegar ao estádio são as Avenidas Bonocô e Vasco da Gama. Os torcedores também podem chegar ao estádio pelo bairro de Nazaré e pela Ladeira dos Galés, no bairro de Brotas. Fecham o pé da ladeira, mas o trânsito na ladeira em si fica aberto.

Setores do estádio: a Fonte Nova tem cinco divisões, que por sua vez estão subdivididas. Os setores são: Norte, Leste (arquibancada inferior, cadeira especial - arquibancada intermediária e arquibancada superior), Oeste (arquibancada inferior, e arquibancada intermediária e superior), Sul (mirante e arquibancada superior) e Lounge Premium.

O acesso também é setorizado. O portão Oeste 2, situado na Rua Rui Barbosa, dá acesso ao Lounge Premium e camarotes. Quem vai para os assentos do setor Norte, além das arquibancadas intermediária e superior do setor Leste, deve utilizar os portões Norte 1 e Norte 2. O portão Sul, por sua vez, dá acesso a todo o Setor Oeste e Sul, além das cadeiras inferiores do setor Leste.

EQUADOR X FRANÇA


O Equador já viveu os dois lados de uma virada de placar nessa Copa do Mundo. Na estreia, contra a Suíça, saiu na frente, mas acabou derrotado (2 a 1) com um gol no final da partida. Contra Honduras, na segunda rodada a história se repetiu, mas com final feliz para os equatorianos (2 a 1). Liderado pelo atacante Enner Valencia, autor de todos os gols do time no torneio, o Equador precisa vencer os franceses no Maracanã e ainda ficar atento ao saldo de gols. Já a França, que chegou sob dúvidas depois do corte de Ribéry, mostrou que a nova geração está em alta. O atacante Benzema assumiu o papel de protagonista na vitória sobre Honduras (3 a 0) e na goleada sobre a Suíça (5 a 2).
A necessidade da vitória para garantir a classificação pode fazer o técnico colombiano Reinaldo Rueda mexer no esquema tático e até mesmo na escalação do Equador. Mas o próprio técnico afirmou que a base utilizada nos jogos contra Suíça e Honduras será mantida. Para o treinador, a equipe entra pressionada a se classificar, uma vez que todos os rivais sul-americanos já estão nas oitavas de final.

O técnico Didier Deschamps terá que fazer pelo menos uma mudança no time que considera titular na França. Cabaye está suspenso pelo segundo cartão amarelo e não joga. Quem também deve ficar de fora o zagueiro Sakho, que se recupera de uma lesão muscular, e deve ser poupado. As outras dúvidas são no meio-campo, onde Pogba e Sissoko disputam uma vaga, e no ataque, com a briga entre Giroud e Griezmann para fazer dupla com Benzema.
Confira um perfil do Maracanã, que recebe a partida Equador x França, às 17h.
Ingressos: Até às 20h30 desta terça-feira não haviam mais ingressos para a partida.

Como chegar: Da Rodoviária, é possível pegar a linha 353 (Rodoviária x Cidade de Deus). Existe também a opção de embarcar no ônibus da linha 406A e descer na estação do Metrô Largo do Machado, embarcar no trem em direção a Estação Maracanã. Do Centro, pode-se pegar as seguintes linhas para o estádio: 222, 232, 239, 240, 241, 247. Da Zona Sul: 433, 432, 434, 435, 438 ou 455. Para ir de ônibus do Aeroporto do Galeão deve-se embarcar no ônibus da linha 2018, sentido Alvorada. Desça no ponto do Campo de São Cristóvão e pegue o ônibus da linha 665, em direção à Praça Saens Pena. Desembarque no ponto da Rua Prof. Eurico Rabelo, em frente ao Maracanã. Do Santos Dumont caminhe até o ponto localizado na Av. General Justo, 365. Lá é possível pegar duas linhas que passam próximas ao estádio, a 368 (sentido Riocentro) e a 340 (sentido Curicica). Desembarque no primeiro ponto da Av Prof. Manoel de Abreu. Quem chegar ao Rio de Janeiro pelo Aeroporto Santos Dumont pode acessar o metrô na Estação Cinelândia. O percurso do aeroporto até a estação leva cerca de 10 minutos de caminhada. No Galeão, não há estações de metrô.

Setores do estádio: o Maracanã tem quatros setores com um total de seis acessos. Pela Rua Professor Manoel de Abreu é possível entrar no Setor Oeste (Portão A); o Setor Sul (Portões B e C) fica na Rua Professor Eurico Rabelo; o Setor Leste (Portão D) está localizado na Avenida Maracanã e o Setor Norte (Portões E e F), na Avenida Radial Oeste.

HONDURAS X SUÍÇA

Quarta força do grupo E, Honduras perdeu seus dois jogos na Copa. Na estreia, goleada para os franceses (3 a 0) e na segunda rodada derrota de virada para o Equador (2 a 1). Mesmo assim, os hondurenhos chegam na última rodada com chances de classificação. Remotas chances, mas elas existem. Precisam vencer a Suíça, na despedida da Arena Amazônia da Copa, e uma não tão improvável derrota do Equador para a França para que a definição aconteça no saldo de gols. Os suíços têm uma situação mais confortável apesar do 3º lugar no grupo. A vitória sobre o Equador na estreia (2 a 1) e a derrota para França na segunda rodada (5 a 2), deixaram o time com três pontos. Dependendo do resultado entre franceses e equatorianos, um empate pode bastar para que a Suíça avance.

O técnico Luis Fernando Suárez fechou o último treinamento da equipe hondurenha em Porto Feliz, interior de São Paulo, onde a equipe está sediada. O volante Wilson Palacios, que cumpriu suspensão pela expulsão contra França, deve voltar ao time. A esperança de gols está no atacante Carlo Costly, autor do gol sobre Equador, o primeiro de Honduras numa Copa do Mundo após 32 anos.A Suíça tem uma baixa significativa para a partida. O zagueiro Von Bergen foi cortado depois de sofrer uma fratura na face contra a França. Os suíços, acostumados com as baixas temperaturas, deverão sofrer com o calor e a umidade de Manaus. A equipe ainda tenta evitar o vexame da Copa de 2010, quando precisava de uma vitória simples contra Honduras, então lanterna do grupo, para se classificar às oitavas de final do mundial da África do Sul. A Suíça não passou de um empate e acabou ficando fora.
Confira um perfil da Arena da Amazônia, que recebe a partida Honduras x Suíça, às 17h.

ngressos: Até às 20h30 desta terça-feira, apenas ingressos para pessoas que necessitam de cadeira de roda estavam disponíveis. O custo é de R$ 180,00.

Como chegar: a Arena da Amazônia fica localizado em uma das avenidas mais movimentadas de Manaus, a Constantino Nery. A Manaustrans e a Polícia Militar isolam a área nos arredores do estádio na manhã do dia do jogo. Os torcedores que irão se dirigir a Arena devem utilizar ônibus e desembarcar - preferencialmente - na Av. Recife, para quem vem da Zona Norte, e na Rua Loris Cordovia ou Av. Pedro Teixeira, para aqueles que se deslocam da Zona Oeste. O isolamento, que segundo a Manaustrans e a PM, é de 1 km, obriga o torcedor a uma caminhada curta, cerca de 20 minutos até o estádio da Arena da Amazônia. As principais vias de acesso são exatamente a Av. Recife, a Av. Pedro Teixeira e a R. Loris Cordovia ou Pedro Teixeira, já que o fluxo na Constantino Nery e também na Djalma Batista, outra avenida próxima ao estádio de Manaus, estará fechado. De acordo com a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) serão 49 linhas que passarão pelo estádio da Arena da Amazônia durante o período da Copa do Mundo.

Setores do estádio: o acesso para o estádio da Arena da Amazônia acontece por quatro portões ou rampas denominados A,B,C e D. Duas maiores no lado leste - em frente a uma das principais avenidas da cidade, a Constantino Nery -, outra no sul e outra no norte. Dentro da área que pertence a Arena da Amazônia, o estacionamento terá 338 vagas: sendo 264 para automóveis, 32 para motos, 16 para idosos e 20 para veículos ecoeficientes.
Sitevip Internet