Olhar Direto

Quinta-feira, 18 de julho de 2019

Notícias / Copa 2014

Torcedores bêbados podem fazer Fifa voltar atrás e proibir venda de cerveja na Copa

R7

26 Jun 2014 - 08:19

O clima festivo de Copa do Mundo tem sido manchado por rivalidades engrandecidas pelo excesso de torcedores bêbados ao redor dos estádios. Dado os últimos episódios de brigas e confusões impulsionadas pela embriaguez, a Fifa admite até voltar atrás e proibir a venda de cerveja nos estádios das 12 cidades-sede.

A suspensão da venda de bebidas alcoólicas está prevista desde a Copa do Mundo de 2010, na Alemanha, mas nunca precisou ser adotada. Para que esse tipo de ação aconteça seria necessário o pedido da segurança pública, seguido pela avaliação do COL (Comitê Organizador Local).

Diretor de comunicação do COL, Saint-Clair Milesi disse que partidas que podem trazer mais rivalidade estão sendo monitoradas de perto para evitar novas confusões e uma medida emergencial ainda não foi cogitada. Na última terça-feira (24), um argentino foi baleado por um brasileiro, em um bar em Porto Alegre (RS).

— Em princípio, não é a bebida que está causando problemas e sim provocações por lances ou gols dentro e fora dos estádios. Os brasileiros precisam ser gentis com os turistas e os turistas precisam ser gentis com os brasileiros. Nossas equipes de segurança estão monitorando partidas de maior rivalidade e pensando no futuro.

Entre as rivalidades continentais já previstas para a competição, Brasil e Chile se enfrentam no Mineirão, em Belo Horizonte (MG); também no sábado (28), a Colômbia pega o Uruguai, no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). Os dois confrontos são válidos pelas oitavas de final e inúmeros torcedores dos países vizinhos já estão nas duas cidades.

Os problemas com embriaguez também foram sentidos na invasão de mais de 150 chilenos ao Maracanã. Sem ingressos, e muitos deles alcoolizados, torcedores forçaram a entrada pelo portão que dá acesso à sala de imprensa e alguns conseguiram chegar à arquibancada.

Torcedores presentes no Maracanã para Equador e França divergiam sobre a decisão. Para o francês Guillaume Voelckel, comprar bebida no estádio é um direito de todos.

— Não acho que a bebida seja a razão para alterar o comportamento das pessoas. Algumas pessoas já vem predispostas a brigar e a bebida não tem nada a ver com isso.

Já o torcedor Pedro Fernando Rodrigues pensa o contrário.

— Essa seria uma medida correta porque a bebida encoraja as pessoas a fazerem coisas que, talvez se não estivessem bebido, não fariam. A Copa é para todos.

Em boa parte do Brasil, é proibido o consumo de bebida alcoólica nos estádios. Já a Lei Geral da Copa permite que cerveja seja vendida normalmente nas áreas de competição.
Sitevip Internet