Olhar Direto

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Estudo de Taques aponta inexistência de tecnologia para operar VLT em Cuiabá e falta de cronograma factível

Da Redação - Wesley Santiago

22 Dez 2014 - 15:42

Foto: Wesley Santiago - Olhar Direto

Estudo de Taques aponta inexistência de tecnologia para operar VLT em Cuiabá e falta de cronograma factível
O diagnóstico do atual governo realizado pela equipe de transição do governador eleito Pedro Taques (PDT) apontou diversos problemas nas obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que foram geridas por Silval Barbosa (PMDB). Apesar da obra ter 72% do valor pago, apenas 50% das obras executivas estão prontas. O custo do novo modal deverá ultrapassar o montante de R$ 1,6 bilhão. O estudo apontou ainda que há inexistência de tecnologia apropriada no país para viabilizar a operação do VLT. A Secopa já informou que não irá se pronunciar sobre o assunto.

Leia mais:
Secopa terá de apresentar cronograma de entrega das obras do VLT e gestor é multado pelo TCE
 
Ainda foi revelado que o Consórcio construtor está com diversos pleitos de reajuste e reequilíbrio. Houve também redução de algumas obras (viadutos), como o viaduto da Dom Orlando Chaves. Também foram detectados diversos problemas como os constantes alagamentos no viaduto da Fernando Corrêa e as microfissuras no viaduto da Sefaz.
 
Os trens e sistemas do VLT já estão pagos e montados, porém, ainda não têm condições de operar, já que as vias e as estações do novo modal não estão prontas. Por conta de todas as patologias detectadas, o estudo concluiu que não há previsão para a finalização concreta das obras.
 
Secopa
 
O estudo também avaliou a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) que será extinta no dia 31 de dezembro “sem completar sua missão”. O diagnóstico relata que embora tenha realizado o objetivo principal (jogos), a pasta tem imagem ruim junto à população. Também foi dito que não há um plano elaborado de desmobilização e transferência das atividades do órgão.
 
A implantação do VLT, a principal obra prometida pelo governo do Estado para a Copa do Mundo de 2014, não tem um cronograma factível, segundo o documento e a LOA 2015 (Lei Orçamentária Anual) não previu recursos para a finalização destas obras. Sendo assim, a equipe de Taques concluiu que o legado do Mundial de 2014 não é tangível.

VLT

No total, serão 22 km divididos em duas linhas do VLT. A primeira ligará o Aeroporto até o CPA (Centro Político Administrativo), enquanto a outra conectará o Coxipó ao Centro da capital mato-grossense. O projeto inicial previa a entrega do novo modal em março deste ano, antes da Copa do Mundo de 2014 o que não chegou nem perto de acontecer.

28 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Geraldo
    23 Dez 2014 às 14:35

    Não há dúvida de que investimento em transporte multimodal é importante. O que se questiona não é investir ou não em VLT. O que se questiona é COMO as obras foram gerenciadas (mal gerenciadas, administrativa, política e tecnicamente) por parte da Secopa. Que não há tecnologia, todo mundo sabia, caso contrário não seria trazida da Europa. O problema é saber se a Secopa tratou de administrar a transferência não apenas dos trens e dos trilhos, mas do modo de gerenciamento do sistema VLT, que sem dúvida precisa também de transferência e desenvolvimento de know-how. Se o governo Silval Barbosa não fez isto, o governo de Pedro Taques deverá tratar com urgência, sem dúvida alguma. Os diagnósticos são importantes, e deles dependem a operacionalização da nova equipe de governo, que precisa ser uma equipe capacitada tecnicamente. Que os cargos sejam político, são. Mas é preciso assessores capazes, com formação intelectual o suficiente para saber gerenciar os problemas emergentes numa cidade como Cuiabá. O governo Silval Barbosa foi um governo de investimento em obras, mas de nenhum investimento em desenvolvimento social a partir das obras contratadas. Desenvolver um know-how para o VLT será praticamente precursor no Brasil. Apenas as cidades que têm metrô possuem algum conhecimento, mas sã

  • ELCIO BUENO
    23 Dez 2014 às 12:02

    INJUSTAMENTE CLASSIFICAM O NOVO GOVERNO COMO DENUNCIADOR!!!! AHHH SE TIVESSEMOS ANTES ALGUEM COM CULHÃO PARA PELO MENOS DENUNCIAR!!! SE O NOVO GOVERNO PELO MENOS DENUNCIAR OS ERROS E OS CRIMINOSOS, VOTAREI NELE NOVAMENTE. O QUE NÃO PODE É PERMANECER O QUE AI ESTÁ E ESTA FESTA DE FAZ DE CONTA E ESTE GRUPINHO DE BONITINHOS DANDO BEM EM TUDO, POSANDO DE MAIORAIS E FAZENDO OS DEMAIS COMO SE FOSSEM IDIOTAS. SAIBAM QUE A DENUNCIA É UM GRANDE PASSO PARA A CRIMINALIZAÇÃO, SEM ESTA DENUNCIA, MALFEITORES CONTINUARÃO A NADAR DE BRAÇADA COM NOSSO DINHEIRO. DENUNCIAE, PROCESSE, CONDENE, EXPROPRIE, EXTIRPE, EXAURI. O QUE NÃO PODE É FICAR COMO ESTÁ.

  • DEDE
    23 Dez 2014 às 10:42

    mais uma falcatrua desta ma adiministrasao e q so agora descobriram isso e a grana ja foi mais uma conta q vamos paga por causa de um pessimo governo iresponsavel e delinquente eta legado

  • Carlos Nunes
    23 Dez 2014 às 10:18

    Um Doutor da UFMT já alertou que o custo do VLT superará os 3,5 BILHÕES DE REAIS, assim sendo os 1 BI e 400 MILHÕES estimados são cálculos furados. Deve ser isso mesmo, pois a cidade será aberta de PONTA A PONTA, terão que construir mais de 40 Estações do VLT, com toda infraestrutura. Teria que fazer primeiro a Contabilidade do Prejuízo, porque para abrir a cidade...tudo o que estiver na frente vai para o espaço: avenidas, ruas, asfalto de boa qualidade, calçadas, rede de esgoto, adutoras, canos, rede de energia, telefônica e muito mais. Máquinas e tratores, quando tiver que escavar a cidade, vão mandar pró beleléu todo esse patrimônio público existente, já consolidado. Quanto vai custar todo esse prejuizo? A essa Contabilidade desse prejuizo terá que agregar o valor da obra em si, foi por isso que um jornal da capital, o Circuito Mato Grosso, já estimou que tudo ficará em torno de mais de 7 BILHÕES DE REAIS, se contabilizar todas as partes (prejuizo valor da obra). E como o dinheiro é público, todas essas partes deveriam ser contabilizadas, para saber o custo total. Aqui está parecendo "terra sem dono", aonde o dinheiro público é avacalhado prá chuchu. Tem que avisar o Taques também que: inúmeras pessoas que já foram desapropriadas, ou quase, estão preparando com especialista

  • MARCELO
    23 Dez 2014 às 10:08

    POIS É , APESAR DE TUDO ISSO ESSE GOVERNADOR , AINDA VAI DESCANSAR COMO CONSELHEIRO NO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO , JULGANDO AS PROPRIAS CONTAS, É MOLE O QUE MAIS

  • revoltado
    23 Dez 2014 às 09:19

    QUANDO EU COMENTAVA QUE CUIABÁ NÃO TINHA ESTRUTURA TECNOLÓGICA PRA FAZER O VLT CIRCULAR, ME CHAMAVAM DE PAU RODADO....CHUPA ESSA MANGA AGORA SEUS BESTA!!

  • MARCOS
    23 Dez 2014 às 08:22

    Essa é marca DO PMDB em Mato Grosso, continuando como o pior partido, lembra do Carlos Bezerra, foi do mesmo jeito.......

  • GILBERTO LUIZ
    23 Dez 2014 às 07:27

    Depois de todo capital já investido nessa obra, não há como não terminá-la. Abandonar esse projeto agora, seria o mesmo que rasgar todo o dinheiro nele investido. Correções podem e DEVEM ser feitas. O povo do Mato Grosso não merece ser, mais uma vez, ludibriado e prejudicado

  • jose
    23 Dez 2014 às 01:47

    Esta foi mais uma do Riva, ou já esqueceram?

  • Junior
    22 Dez 2014 às 22:52

    Agora que já começou deveriam pelo menos terminar a linha 1 do Aeroporto ao CPA já que destruirão todas as avenidas e deixar a linha 2 de lado, no lugar dela implantar um corredor de ônibus pra ficar mais viável, pois VLT em Cuiabá foi usado só pra desvio de verba, muito politico vai passar bem nesse Natal!!!

Sitevip Internet