Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de maio de 2019

Notícias / Ciência & Saúde

Jovem jogador de basquete viveu sem o coração dentro do corpo por mais de um ano

Catraca Livre

13 Jun 2016 - 20:22

Não é filme de ficção científica. É vida real.

O americano Stan Larkin viveu durante 17 meses com um coração artificial, o SynCardia, uma pequena máquina externa que substituiu as funções de seu coração por mais de um ano.

O órgão artificial não precisou ser transplantado para o corpo do jovem. Larkin carregou o aparelho, que pesava cerca de 6 quilos, dentro de uma mochila e, por isso, ele pode ter uma vida normal (tão normal que continuou a jogar basquete).

O dispositivo é oferecido para um paciente quando ambos os lados de seu coração param de funcionar e outros aparelhos cardíacos não podem mais mantê-lo vivo. Foi exatamente o caso de Larkin. Ele e seu irmão foram diagnosticados com cardiomiopatia, uma condição que causa a falência do coração aos poucos.

Em média, o coração bate 35 milhões de vezes durante um ano. Por isso, criar um substituto artificial para esse órgão não é uma tarefa simples de bioengenharia.

A história de Larkin teve um desfecho diferente e a tecnologia que substitui o coração humano se mostrou eficaz o suficiente para mantê-lo vivo até que um órgão compatível fosse encontrado.

O jovem finalmente recebeu seu transplante de coração em maio deste ano. Ele descreveu toda a experiência como uma "montanha-russa emocional". Duas semanas após a operação, Larkin disse em um evento na universidade que sentia “como se pudesse iniciar uma caminhada”.
Sitevip Internet