Olhar Direto

Terça-feira, 21 de maio de 2019

Notícias / Ciência & Saúde

De diabetes ao uso de drogas: dentistas podem saber mais do que você imagina

Colgate

14 Jun 2016 - 18:10

Stuart Froum, ex-presidente da Academia Americana de Periodontia já dizia: "Se o olho é a janela para a alma, a boca é a janela para o corpo". Ou seja, problemas bucais podem ser o sinal de alerta para disfunções graves em diversas partes do organismo. 

A professora doutora Carméli Sampaio (CROPB 542), da Comissão de Educação do Conselho Federal de Odontologia, alerta que é na boca que se encontram muitas manifestações sistêmicas. “É importante que os dentistas examinem não apenas a boca, mas busquem informações sobre as queixas do paciente. É preciso pesquisar os sinais e os sintomas para chegar ao diagnóstico clínico”, salienta. A profissional explica que algumas alterações representam o gatilho que acende a luz de alerta, e que essas suspeitas podem evidenciar doenças mais graves. Por isso, o  diagnóstico definitivo deve ser confirmado,  por  exames complementares, sejam eles laboratoriais ou de imagens.

Fábio de Abreu Alves, Secretário da Câmara Técnica de Estomatologia do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP 83680), explica que um dos sinais da  diabetes, por exemplo, pode ser a gengivite agressiva (pois os pacientes que tem diabetes possuem alterações nas microvasculaturas). “A gengivite causa perdas dentárias precoces, e isso pode ser um indício da doença”, afirma.  

Segundo Alves, quando a pessoa tem uma anemia muito agressiva, a mucosa da boca pode ficar pálida, e também podem crescer pequenos pelos no dorso da língua. Já a deficiência de vitaminas pode causar o efeito contrário, a chamada “língua careca”. Ela também causa a perda das papilas, uma proteção da língua, deixando-a mais lisa e avermelhada. Sinais característicos de anorexia também podem ser percebidos pela falta de saúde bucal: “quando uma pessoa vomita, o suco gástrico, que é ácido, entra em contato com a cavidade oral e pode causar desgaste nos dentes”, afirma o dentista.

Vale ressaltar que várias alterações na boca podem sugerir problemas, como alergias, por exemplo. Pacientes que tem aversão a alguns medicamentos, como antibióticos, e até a alimentos, podem ter  feridas na mucosa da boca, principalmente nos lábios.

Doenças sexualmente transmissíveis, inclusive a  AIDS, podem apresentar sinais bucais. “Pequenas linhas brancas na borda da língua são um indício bem característico da doença, por ser causado por um vírus que geralmente se instala em pessoas que têm deficiências no sistema imunológico”, afirma Alves. Também é possível perceber sinais da sífilis em um exame odontológico. “A presença de  placas avermelhadas por toda a boca e pápulas (pequenos pontos mais avermelhados), podem ser características da doença”, explica o profissional. Segundo o dentista, essa doença teve um ressurgimento nos últimos anos, se tornando mais comum. 

Até o uso de algumas drogas pode ser percebido pelos profissionais da odontologia. Um exemplo é a cocaína: quando passada na gengiva, pode causar uma necrose gengival; quando inalada em excesso, pode pode chegar a perfurar o palato, também conhecido como céu da boca.
Sitevip Internet