Olhar Direto

Segunda-feira, 27 de maio de 2019

Notícias / Ciência & Saúde

7 lições sobre a água que você bebe

Corega

14 Jun 2016 - 18:40

Você sabia que cerca de 60% do corpo humano de um adulto é formado por água? E que consumir a quantidade certa faz com que todos os processos químicos e metabólicos funcionem plenamente? Entenda a seguir como ela influencia em nosso organismo.

1 – Na dose certa

Existe uma regra geral de que é necessário consumir 2 litros de água por dia. Há ainda quem defenda a ingestão de 35 ml do líquido por quilo de peso. Mas, a nutricionista Desire Coelho, de São Paulo, diz que esse é um grande exagero, uma vez que é preciso levar em conta também o líquido contido nos alimentos. Ela alerta que a regularidade do consumo é o mais importante. “O corpo só consegue metabolizar até 350 ml de água por hora. Quando ultrapassa essa quantidade, o excedente é eliminado pela urina. Por isso, indico o consumo de um copo do líquido a cada hora”, orienta.

A especialista lembra ainda que pessoas com mais de 60 anos sentem menos sede. “Como a troca de calor do corpo com o ambiente não é eficiente, elas precisam lembrar sempre de tomar água”, alerta a nutricionista que e ainda comenta: “Se a pessoa tem dificuldade de tomar água pura, indico chás e águas saborizadas com hortelã ou casca e rodelas de laranja, por exemplo”.

2 – Participa de várias funções do organismo

Com o corpo bem hidratado, todas as células e as glândulas funcionam plenamente. Segundo a nutricionista Vanderli Marchiori, de São Paulo, beber água na quantidade ideal também melhora o aspecto da pele, do cabelo e das unhas, além de ajudar na absorção de nutrientes, na regulação da temperatura do corpo, na circulação sanguínea, no controle da pressão e no emagrecimento. “Muita gente que não consome água acha que está com fome, mas na verdade está sentindo sede. E, quando passa a se hidratar a cada hora, acaba emagrecendo”, diz Vanderli. Além disso, uma pesquisa feita na Universidade Virginia Tech, nos Estados Unidos, mostra que tomar dois ou três copos do líquido antes das refeições ajuda a consumir menos calorias.

Já a falta de líquidos pode causar desidratação, dor de cabeça, náuseas, prisão de ventre, mal-estar e, em casos extremos, insuficiência renal e até a morte.

Um estudo da Keele University, no Reino Unido,  mostra ainda que beber um litro de água rica em silício ajuda a eliminar o alumínio do corpo de pessoas com Alzheimer, protegendo-as da perda de cognição. No entanto, mais estudos precisam ser feitos nesse sentido. “A água acaba ajudando, mas não podemos afirmar que ela sozinha é capaz de tratar doenças”, alerta Vanderli Marchiori que lembra que uma das águas mais poderosas é a sulforosa, rica em enxofre e produzida na região de Águas de Lindóia (SP). “Ela é indicada para auxiliar no tratamento de pacientes com artrite e artrose, pois ajuda a aliviar as dores”, diz. Outra água interessante para consumo é a rica no mineral vanadium: “Ela tem poder desintoxicante e também atua para equilibrar o humor”, fala Vanderli, que reforça que a água sozinha não faz milagres.

3 – Mantém a imunidade blindada

Vanderli explica ainda que garantir o consumo ideal do líquido aumenta a imunidade. Isso porque facilita a saída de certos tipos de toxinas que podem desencadear doenças. “Além disso, as mucosas permanecem íntegras, sendo mais uma barreira de proteção contra doenças”, coloca.

4 – Previne a prisão de ventre

Isso mesmo! Se você sofre com o problema, avalie se é água que está faltando na sua dieta. “Muita gente acaba acrescentando fibra na alimentação. No entanto, o problema pode se agravar ainda mais se você não se hidratar corretamente”, diz a nutricionista Desire. Aliás, Vanderli lembra que a água é o melhor desintoxicante que existe! “Ela ajuda a reduzir o inchaço por auxiliar a saída de toxinas via fezes e urina”, explica. Portanto, se você busca fugir do inchaço e do sofrimento no banheiro, já sabe!

5 – Água leve

Mas, se você se pergunta porque você prefere algumas marcas a outras, aqui vai a reposta. Além dos minerais, o pH da água influencia nesse aspecto. No entanto, a nutricionista Vanderli Marchiori lembra que isso altera apenas a impressão que temos ao bebê-la. “A água leve tem menos metais pesados e dá a impressão de uma hidratação maior, mas isso é sutil”, fala.

No entanto, é interessante saber que existe água leve, média e encorpada. Para identificar em qual ela se enquadra, procure a quantidade de bicarbonatos no rótulo:

• Leve ou levíssima: tem até 120 ml/litro de bicarbonato

• Média: de 120 a 150 ml/litro de bicarbonato

• Encorpada: acima de 15m ml/litro de bicarbonato

6 – Água com gás só de vez em quando

Existe a água carbonatada direto da fonte e aquela que recebe as borbulhas na indústria, graças ao dióxido de carbono. “A água com gás natural pode ser consumida, mas a que passou pelo processo artificial deveria ser consumida eventualmente. Primeiro porque o gás não tem função alguma no nosso corpo. E, em segundo lugar é que, dependendo do carbonato que foi adicionado, ele pode agir na desmineralização óssea, ou seja, ‘roubar’ cálcio dos ossos”, alerta Vanderli. Então, pode deixar a água com gás apenas antes de tomar o vinho ou o cafezinho no final se semana, já que ela limpa as papilas gustativas.

Goles diferenciados

Veja as características da água produzida em algumas das principais regiões do mundo.

Brasil: baixa mineralização, leve, proveniente de solo de país tropical. As fontes são variadas.

Estados Unidos: conta com várias fontes, de média a baixa mineralização.

Argentina e Chile: originária da Patagônia ou dos Andes, é leve e com baixa mineralização.

Canadá: tem baixa mineralização, mas produz versões mais ácidas e outras alcalinas.

França: é um dos lugares do mundo rico em fontes, algumas delas com mais de mil anos de funcionamento.

Itália: produz muitas águas com gás. Como o solo é mármore, gera um líquido mais cremoso.

Portugal: extremamente mineralizada, muitas delas com gás. O sabor é levemente salgado por conta do sódio das rochas, provavelmente pela proximidade com o mar.

Espanha: também tem águas com alto teor de sódio e mais cremosas por conta do solo de mármore.
Sitevip Internet