Olhar Direto

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Cidades

Nasce bebê de mãe com morte cerebral em Colatina, ES

Lara Rosado De A Gazeta

20 Ago 2016 - 02:31

Nasceu o bebê da jovem de 17 anos que teve morte cerebral, em Colatina, no Espírito Santo. A informação é da direção do Hospital Maternidade São José, na noite desta quinta-feira (18). A menina vai se chamar Vitória Manoela.

O diretor da unidade, José Wallace Medeiros, informou que ela está recebendo cuidados especiais, mas não deu mais detalhes sobre o caso.

Rosiele Ferreira Onofre Pires, de 17 anos, teve morte cerebral após sofrer um aneurisma no dia 3 de julho, mas era mantida viva para que a criança fosse gerada.

O padrasto de Rosiele informou na tarde desta quinta-feira que o parto não tinha previsão para acontecer.

O pai de Vitória Manoela, Dieyso da Silva Camila, de 18 anos, também disse que não foi avisado da previsão do parto. Ele afirmou que a última vez que visitou a jovem foi no dia 13 de agosto.

O jovem disse ainda que o pai e a madrasta dele estão o apoiando para ficar com a guarda da criança.

A tia de Rosiele, Eliandra de Jesus Miranda, também disse que não foi avisada do nascimento de Vitória Manoela.

Há duas semanas, a bebê pesava mais de um quilo. No início deste mês, a família ainda estudava se permitiria a doação de órgãos de Rosiele após o nascimento da criança. Ainda não há informações sobre o estado de saúde da grávida.

Doações
Depois de ter a história divulgada, a família de Rosiele Ferreira Onofre Pires, que teve morte cerebral, mas é mantida viva há quase 30 dias em um hospital de Colatina, no Noroeste doEspírito Santo, começou a receber doações de roupas e de fraldas, nesta quinta-feira (28).

A tia de Rosiele, Eliandra de Jesus Miranda, disse que as roupas são as primeiras peças do enxoval do bebê. “Eu recebi dois pacotes de fralda e três mudas de roupa de vizinhos que ficaram sabendo do caso. O pessoal está se mobilizando para ajudar. A gente está aceitando doações porque ainda não temos nada para a bebê”, disse.

A costureira Eliandra afirma que está vivendo um momento delicado. Era na casa dela que Rosiele iria ficar durante o período de resguardo. Apesar de toda essa situação, ela está ansiosa pela chegada de Vitória Manoela. “Estou ansiosa pela chegado do bebê, parece que sou eu que estou grávida”, afirmou.

A irmã de Rosiele, Mônica Rufino dos Santos, compartilha dos mesmos sentimentos de Eliandra. “É difícil, mas agora estamos aguardando a chegada do bebê”, disse.

Visitas
Quase todos os dias a família visita Rosiele. Além de algumas tias e irmãos por parte de pai que moram em Colatina, o restante da família é do interior de Mantenópolis, no Noroeste do estado.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet