Olhar Direto

Notícias / Cidades

Secretário afirma que governo tem todas condições para terminar VLT e diz ser possível expansão de linhas

Da Redação - Wesley Santiago

01 Mai 2017 - 14:46

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Secretário afirma que governo tem todas condições para terminar VLT e diz ser possível expansão de linhas
O secretário adjunto do VLT, José Picolli, garantiu – durante entrevista exclusiva ao Olhar Direto – que o governo tem todas as condições para terminar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Picolli, que foi diretor de implantação do modal carioca, ainda ressaltou ser possível expandir as linhas existentes, se necessário.

Leia mais:
Obras do VLT no Coxipó serão realizadas à noite e secretário estima criação de dois mil empregos
 
“As pessoas tem que acreditar no VLT. A intenção do governador Pedro Taques (PSDB) é finalizar esta obra. Temos todo o equipamento aqui e nós temos condições. Conseguimos acordo com o consórcio construtor, o dinheiro para tocar os trabalhos. Vai ser o mais barato do país”, garante.
 
Picolli ainda adianta que Cuiabá será uma das poucas cidades do mundo a ter o modal: “No mundo, existem 383 cidades com o VLT. Vamos colocar Cuiabá neste hall. No país, entre grandes e médias cidades, são 72 com o mesmo sistema. Isso vai crescer ainda mais. Com o VLT, você diminui o número de ônibus circulando, melhorando o trânsito. Aqui em Cuiabá, os ônibus deveriam todos ter ar condicionado. Não tem nem o piso rebaixado”.
 
“Depois de finalizado, existe também a possibilidade de expandir as linhas do VLT. A vantagem é que o trem é silencioso, gasta energia limpa, não polui, tem um conforto muito maior para a população. Acredito que a população vai aderir muito bem ao VLT”, avalia o secretário. Ele ainda acredita que os trens sairão lotados apenas nos horários de picos e dos terminais de Várzea Grande ou Coxipó: “O VLT é um negócio antigo, mas que está modernizado. O Rio de Janeiro chegou a ter mais de 400 quilômetros de linha de bonde”.
 
Projeto
 
O modal terá dois eixos, Aeroporto-CPA e Centro-Coxipó, e será implantado no canteiro central das avenidas João Ponce de Arruda e FEB, em Várzea Grande; XV de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Historiador Rubens de Mendonça, Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá, totalizando 22 km de extensão.
 
Análise e acordo
 
O Ministério Público Estadual (MPE) iniciou a análise do acordo firmado entre o Governo do Estado e o consórcio responsável pela retomada das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). O documento foi entregue no último dia 31, pelo governador do Estado, Pedro Taques, e sua equipe, ao promotor de Justiça André Luis de Almeida, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa da Capital.
 
O Estado acordou em pagar R$ 922 milhões para a conclusão integral da implantação do modal. A previsão é de as obras sejam concluídas em 24 meses.
 
No acordo firmado entre o Governo e Consórcio, a primeira etapa da obra será finalizada em março de 2018 e compreende o trecho entre o aeroporto de Várzea Grande até a estação do Porto, em Cuiabá.
 
Até dezembro de 2018 deverá entrar em funcionado todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, na Capital. Já a linha 2, que compreende o trecho de 7,2 km entre a avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) e o Parque Ohara, no Coxipó, será entregue até maio de 2019.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Yara
    04 Mai 2017 às 01:19

    agora vai, Taques vem mostrando o quanto está disponível para mudar a história de MT

  • Laura Costa
    04 Mai 2017 às 01:17

    é uma transporte totalmente rápido e sem duvida vai diminuir muito no caos que é o transito cuiabano, dessa forma diminui-rá acidentes e tantos outros benefícios.

  • Flaudineia Soares
    03 Mai 2017 às 02:30

    O governo Taques é o governo da transformação, e entregar as obras o mais adiantado possível para o próximo mandato

  • Manoel silva
    02 Mai 2017 às 20:52

    A prioridade do governo o vlt certeza isso sim é transformação.

  • Dante
    02 Mai 2017 às 19:14

    Por que vocês são contra o modal?! Eu sou a favor do VLT pois com ele, Cuiabá terá um sistema de transporte de primeiro mundo. Isso os vai trazer evolução para a nossa cidade. Parem de ser pessimistas!

  • El Cid
    02 Mai 2017 às 14:43

    Devo concordar com alguns comentários abaixo, no que tange a cidade de Cuiabá, que está a alguns anos luz das cidades da Europa. Para começar o povo daquelas cidades pelo menos das que eu conheço, não joga sequer um papel de balinha doce na rua/calçada/grama etc. Aqui é uma sujeira total. Outra coisa o VLT tem custo de operação caro e por isso sua passagem não pode ser barata. A população de baixa renda de Cuiabá não aguentará pagar pelas passagens. Servidores públicos e classe média, não dispensarão seus carros. Na Europa essa classe vai de VLT ou bicicleta numa boa!

  • eleitor incrédulo
    02 Mai 2017 às 10:19

    dou o meu asterisco se acontecer isso...!!!

  • Carlos Nunes
    02 Mai 2017 às 09:58

    Ih! No olharconceito a cartomante médium, prevendo os acontecimentos pra 2017 em diante, disse: Temer não cai e VLT não sai. Do Temer ela já acertou na mosca...a Constituição diz que ele somente pode ser responsabilizado pelo que fizer de agora em diante. Está prestes a acertar sobre o VLT também. Que VLT, que nada> Se não fizeram na época das vacas gordas, do regime diferenciado de contratações, da pressão de FIFA...agora é a época da vaca magra e da carne fraca. MT tem 141 municípios, com 3 milhões e 300 mil habitantes, onde os prefeitos tão com o pires na mão, precisando de VERBA. O que é melhor: torrar 1 BI no VLT ou dar verba pros prefeitos atenderem o povo? Isso às vésperas de um ano eleitoral, com eleição pra Governador, 2 Senadores, Deputados Federal e Estadual. Depois a turma vai perder a eleição, e não vai saber POR QUE. Pode VLT virar a prioridade número UM desse Governo?

  • Juca Pirama
    02 Mai 2017 às 01:22

    Você falou tudo Luciana Arruda, o VLT só foi implantado em cidades do primeiro mundo, porque aqui que é terceiro mundo só foi implantado a corrupção e os serviços sem planejamento sério, é só observar, vou te dar dois exemplos: viaduto da Sefaz, que ia cair e viaduto da UFMT que foi necessário um leigo delatar que tinha problemas e que trem não passa em quebra-molas, só para citar dois exemplos que tiveram que ser refeitos por falha de projeto e falta de fiscalização de todos os órgãos que tinham a obrigação de fazer e não o fizeram: Secopa, Crea, TCE, Assembléia, Governo, Prefeitura, MPE, TJ, TRE, Câmara de Vereadores e Imprensa escrita, falada e virtual. Ninguém fez o dever de casa, todos ficaram quietinhos, conivência absoluta e total.

  • Barros
    02 Mai 2017 às 00:14

    Nos países desenvolvidos além do VLT,eles tem saúde,educação e segurança,por aqui temos sim td isso de baixa qualidade e o certo seria melhorar essa necessidades básicas e depois pensar em obras de 2 bilhões.

Sitevip Internet