Olhar Direto

Domingo, 22 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Redução em prazo de obra e reequilíbrio financeiro ainda travam acordo do VLT, diz Wilson Santos

Da Redação - Wesley Santiago\Da Reportagem Local - Jardel P. Arruda

28 Jul 2017 - 11:19

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Redução em prazo de obra e reequilíbrio financeiro ainda travam acordo do VLT, diz Wilson Santos
O secretário de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB), revelou – na manhã desta sexta-feira (28) – os dois pontos que ainda travam um acordo entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT para a sequência das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Segundo o gestor da pasta, a empresa não concorda com a redução no prazo para finalizar o projeto e também há discordância com o reequilíbrio econômico financeiro. Porém, o tucano acredita que em menos de 30 dias tudo deve estar alinhado.

Leia mais:
Governo e Consórcio pedem mais 30 dias para apresentar nova versão de acordo sobre VLT

“Nós, governo e consórcio, pedimos ao juiz que nos conceda mais 30 dias de prazo, porque estamos sentindo que estamos muito próximos do acordo. A maioria das divergências foi superada, as questões importantes foram acordadas. Estamos basicamente em dois pontos: redução do prazo de 24 para 19 meses, que o Executivo concorda, os MPs sugerem e a empresa discorda. Outra questão é o reequilíbrio econômico financeiro, que envolve a administração local, central, mobilização de canteiros. Há uma discórdia entre os valores apresentados pelo perito do Ministério Público Federal (MPF) e o Consórcio”, explica Wilson Santos.
 
Wilson garante que o Executivo continua acompanhando as últimas questões e que a sensação é de satisfação, já que tudo se encaminha para um acordo: “Talvez nem haja necessidade dos 30 dias, creio que em menos tempo vamos chegar ao acordo e retomar o projeto. Este novo modal dará uma vida nova às duas maiores cidades do Estado”.
 
“Os 19 meses, a própria Controladoria Geral da União (CGU) diz que é temerário. Neste tempo, o Consórcio alega que teremos dois períodos chuvosos. Além disto, estarão mexendo nas principais vias de Cuiabá e Várzea Grande. Por ser uma contratação em Regime Diferenciado de Contratação (RDC), que não permite uma prorrogação de prazo, é algo complexo de conseguir, a empresa acha melhor garantir o prazo de 24 meses”, argumenta o secretário.
 
Wilson ainda lembra que o Ministério Público Estadual (MPE) já permitiu o técnico deles se reunir com a Secretaria de Cidades (Secid) e o Consórcio duas vezes. Porém, o Ministério Público Federal (MPF) segue resistente e não permitiu nenhuma.
 
Veja íntegra da nota emitida pelo Governo do Estado:
 
Diante do encerramento do prazo concedido pela Justiça Federal para apresentação de respostas às indagações dos Ministérios Públicos Federal e Estadual sobre o acordo para a retomada das obras do VLT Cuiabá Várzea Grande, o Governo do Estado vem a público esclarecer:
 
01 – O Estado e o Consórcio formularam suas respectivas respostas às considerações feitas pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual. Mesmo com esclarecimentos os MPs mantiveram sua posição inicial;
 
02 – O desafio entre as partes envolvidas é encontrar uma solução amigável que atenda ao interesse da retomada das obras, com segurança jurídica, o que pressupõe, no caso de acordo, a óbvia anuência dos Ministérios Públicos;
 
03 – As partes ainda não têm uma versão final do termo de acordo, embora em diversos pontos já exista um consenso;
 
04 – O Governo do Estado reitera o firme propósito de chegar a uma solução consensual para a retomada das obras;
 
05 – O Governo do Estado e o Consórcio VLT Cuiabá pediram à Justiça Federal a dilatação do prazo em mais 30 dias úteis para apresentação de uma segunda versão do acordo, permitindo a realização de estudos e de novas reuniões com os técnicos envolvidos e com os representantes dos Ministérios Públicos, no interesse de se produzir um acordo que assegure a retomada das obras.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Davi
    13 Ago 2017 às 10:33

    O homem do VLT garantirá a probidade na obra. Kkkk Estado de transformação!

  • Efraim
    29 Jul 2017 às 12:56

    Sempre esse chato desse tal de carlos nunes,toda matéria do vlt ele posta contra deve ser alguém do MTU... Lobby dos ônibus,da poluição do diesel e também nunca deve ter andado nesses ônibus velhos? caindo os pedaços!!!

  • Carlos Nunes
    28 Jul 2017 às 14:40

    Pois é, no olharconceito a cartomante médium, fazendo as previsões pra 2017 em diante, profetizou: Temer não cai e VLT não sai. Tio Temer tá blindado, o grande dilema nacional é...tira tio Temer e coloca QUEM? Nova eleição tá próxima, campanha política começa em meados de Agosto/2018. É melhor deixar tio Temer mesmo? Quanto ao VLT? Bem, se não fizeram na época das vacas gordas, do regime diferenciado de contratação, de pressão da FIFA...agora não dá mais, pois agora é época das vacas magras, da pindaíba financeira...MT tem 141 municípios, com uma lista de prioridades muito mais importantes pra uma população de 3 Milhões e 300 Mil habitantes, estimada pelo IBGE. Como será que tá a situação da Saúde, por exemplo, nos 141 municípios do Estado? VLT é só um sugador de dinheiro público.

Sitevip Internet