Olhar Direto

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Polícia Federal cumpre mandados contra deputado Gilmar Fabris

Da Redação - Patrícia Neves / Wesley Santiago

15 Set 2017 - 09:10

Foto: Reprodução

Polícia Federal cumpre mandados contra deputado Gilmar Fabris
10h36 - Em entrevista ao Olhar Direto, o parlamentar disse que está retornando de uma fazenda a caminho da sede da Polícia Federal, em Cuiabá, onde irá se entregar. Acrescentou ainda que foi comunicado da ação da PF de hoje por um cunhado. 

O novo mandado contra o parlamentar foi expedido com base em imagens das câmeras da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que mostraram o deputado saindo da AL, na manhã de ontem , durante busca e apreensão, com uma pasta. Para as autoridades, Fábris pode ter tentado obstruir à Justiça, ocultado informações.

10h29 - A assessoria de imprensa da Polícia Federal retificou a informação de que o deputado estadual, Gilmar Fabris, foi preso. Em nota, informou que "houve um equívoco no tratamento das informações. Na manhã de hoje equipe policial federal cumpriu mandado de buscas na residência do Fabris em Cuiabá. E ele não foi encontrado. Quanto ao fato de existir ou não mandado de prisão para ele a PF não pode confirmar ou não que exista. Pois o processo corre em segredo de justiça e não comentamos a respeito  mandados de prisão em aberto".

09h57 - Segundo as informações iniciais da PF, esta foi a única ação extra da 'Operação Malebolge', deflagrada na última quinta-feira (15). Ainda não foi informado onde o parlamentar foi preso. Anteriormente, a assessoria de imprensa havia dito que ele estava em Rondonópolis.

09h48 - A Polícia Federal confirmou a prisão do deputado estadual Gilmar Fabris e o afastamento dele da Assembleia Legistiva do Estado.

09h10 - O apartamento do deputado estadual, Gilmar Fabris (PSD), localizado no bairro Santa Rosa, em Cuiabá é alvo do cumprimento de mais um mandado de busca e apreensão pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (15). O parlamentar não está na capital mato-grossense.

Leia mais:
Alvo da PF em casa e na Prefeitura, Emanuel trata operação como "questão de ordem pessoal"

Segundo as informações, os agentes teriam ido até a residência do deputado por volta das 06 horas. Eles teriam ficado quase três horas no local e estavam em busca de novas provas. Ainda não foi informado o que teria sido apreendido pela Polícia Federal neste que é o segundo dia da 'Operação Malebolge'.

Segundo a assessoria de imprensa do parlamentar, Gilmar Fabris está em Rondonópolis e não se pronuncia a respeito de procedimentos em fase de investigação.

Garante ainda que "respeita o papel da Justiça no seu dever de investigação e no momento oportuno vai apresentar sua defesa. O parlamentar está disposto a colaborar com as investigações da Procuradoria Geral da República para estabelecer a verdade dos fatos".

Malebolge

A Operação Malebolge investiga a prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, gestão fraudulenta de instituição financeira, crimes contra a ordem tributária. Além disto, ainda apura a prática de obstrução de investigação criminal, que consistiu em pagar colaborador para mudar versão de depoimentos e pagar investigado para não celebrar acordo de colaboração.

Dentre os investigados estão o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), deputados estaduais, empresários e conselheiros do Tribunal de Contas do Mato Grosso (TCE-MT), sendo que cinco destes últimos (José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Antônio Joaquim Moraes Rodrigues Neto, Walter Albano da Silva e Sérgio Ricardo de Almeida) foram afastados de suas funções.

Participaram da ação 270 pessoas dentre policiais federais e membros do MPF nos seguintes municípios: Cuiabá/MT, Rondonópolis/MT, Primavera do Leste/MT, Araputanga/MT, Pontes e Lacerda/MT, Tangará da Serra/MT, Juara/MT, Sorriso/MT, Sinop/MT, Brasília/DF e São Paulo/SP.

20 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Manoel Pinheiro
    16 Set 2017 às 17:17

    Uffa !!! Demorou mais começou a funcionar o anexo da ALMT... Cadê Romoaldo !!!

  • Cadê a OAB??
    16 Set 2017 às 09:44

    Uma delação MONSTRUOSA, imagens de deputados e alguns deles Advogado (Emanoel Pinheiro & Alexandre Cesar) e a OAB em um silencio assustador? Um silencio que esta incomodando a sociedade. Cadê a OAB? Cadê a OAB? Cadê a OAB? Cadê a OAB?

  • Ellen Pitty
    15 Set 2017 às 17:30

    Nobre Deputado deu dedo para as professoras e meteu os dedos no nosso dinheiro. A casa caiu!

  • GERALDO
    15 Set 2017 às 14:31

    A QUANTIDADE DE COMENTÁRIOS VETADOS É UM INDICATIVO DE COMO A COISA ESTÁ FEIA

  • Juinense
    15 Set 2017 às 14:07

    É alegria demais para os servidores públicos ver este "paladino" da moral e dos bons costumes sendo preso. Antes de tanto nos criticar, deveria ter cuidado da sua própria conduta Excelentíssimo Deputado.

  • DDelcídio
    15 Set 2017 às 13:59

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Cuiabano
    15 Set 2017 às 13:04

    Aproveita a estadia no spa deputado, o senhor está precisando.

  • WESLEY MIELI
    15 Set 2017 às 12:16

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Cuiabano porreta
    15 Set 2017 às 11:48

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • PAULO
    15 Set 2017 às 11:42

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.