Olhar Direto

Quinta-feira, 01 de outubro de 2020

Notícias / Meio Ambiente

Cuiabá receberá 300 mil árvores até abril de 2018; conheça o projeto 'Verde Novo'

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

12 Dez 2017 - 08:55



O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Rui Ramos Ribeiro, lança nesta quarta-feira (13) o projeto “Verde Novo” que prevê a plantação de 300 mil árvores, em homenagem aos 300 anos de Cuiabá, celebrados em no dia 8 de abril de 2019. O lançamento ocorrerá às 8h, no deck do Lagoa Food Park, localizado no Parque das Águas.
 
“Verde Novo” é uma parceria entre o Poder Judiciário, o Juizado Volante Ambiental (Juvam), Prefeitura de Cuiabá e o Instituto Ação Verde. O projeto não especifica os locais de plantação nem as espécies escolhidas.

Leia mais:
Cuiabá firma acordo com MP e promete arborizar mais de 7 bairros com árvores nativas; veja lista

 
Na solenidade de lançamento do projeto, será assinado um Termo de Cooperação Técnica entre o desembargador-presidente do TJMT, o juiz titular do Juvam, Rodrigo Curvo, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, e o diretor-presidente do Instituto Ação Verde, Lidio Moreira dos Santos.
 
“Esse projeto visa resgatar o título de cidade verde. Pelos índices de arborização conhecidos, Cuiabá está muito abaixo, se comparada com outras capitais do Centro-Oeste. Nesse sentido, o Juvam apresentou o projeto com a finalidade de mobilizar a cidade, buscar parceiros para cooperar e atingir nossa finalidade. É uma meta ousada, mas é algo que tem que ser feito”, explicou o juiz Rodrigo Curvo.


 
O magistrado destaca a previsão constitucional de dever do Poder Público em defender e preservar o meio ambiente, na qual se insere o Poder Judiciário no contexto de encabeçar um projeto tão importante para a capital mato-grossense.
 
“O Poder Judiciário também compõe o Poder Público e por isso a justificativa pela qual nós temos a legitimidade para provocar essa mobilização da cidadania cuiabana visando a arborização. O Judiciário é visto com a atuação tradicional do poder, que seria o julgamento de processos. Porém, a área ambiental exige também ações não-convencionais como esta, que visam a conscientização ambiental”, enfatizou.
 
Pessoas físicas e jurídicas que colaborarem com o plantio das 300 mil árvores receberão uma certificação de responsabilidade ambiental por meio do Selo Verde.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet