Olhar Direto

Sábado, 19 de junho de 2021

Notícias | Política MT

Presidente do PPS

Marrafon diz que não houve rasteira em Percival Muniz

22 Mar 2018 - 08:13

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / / Da Reportagem Local - Érika Oliveira

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Marrafon diz que não houve rasteira em Percival Muniz
Nomeado como presidente do PPS em fevereiro deste ano, após a Executiva Nacional da sigla destituir o ex-prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz do cargo, o secretário estadual de Educação Marco Marrafon negou ter aplicado uma rasteira no colega e que houve o diálogo dentro do partido antes da determinação.

Leia mais
Percival afirma que “avaliação negativa” do Governo Pedro Taques é unanimidade


“Não vi nenhuma acusação de eu ter dado uma rasteira, até por que já havia vencido o mandato provisório dele. Foi uma renovação normal muito dialogada desde novembro e ele optou por não fazer parte. Então não houve esta acusação e nós não temos preocupação com isso neste momento”, afirmou o secretário.

Percival foi destituído do PPS por decisão do presidente nacional do partido, Roberto Freire. Freire, que é próximo do governador Pedro Taques (PSBD). A resolução orgânica nomeando a comissão provisória com Marrafon como presidente estadual foi divulgada no dia 2 de fevereiro.

A nova comissão estadual do partido conta com nomes ligados a Taques como o do ex-secretário de Saúde de Cuiabá e médico particular do governador, como vice-presidente.

Em entrevista ao Olhar Direto no início desta semana, Percival Muniz disse ainda não ter entendido o por que de Taques ter escolhido o PPS. “Eu honestamente, não sei o que leva as pessoas a tomarem certas atitudes. Tinham milhares de partidos para ele buscar apoio, não entendi porque justamente o PPS”, afirmou.

Além de Marrafon, muitos políticos de confiança de Pedro Taques também ingressaram no PPS como o secretário de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários, Suelme Evangelista Fernandes, o secretário adjunto de Esportes e Lazer da Seduc, Leonardo de Oliveira, e Beto Corrêa, assessor especial da Casa Civil.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet