Olhar Direto

Terça-feira, 23 de julho de 2024

Notícias | Cidades

greve dos caminhoneiros

Veículos de órgãos de segurança param por racionamento, mas policiamento é mantido, diz Sesp

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Veículos de órgãos de segurança param por racionamento, mas policiamento é mantido, diz Sesp
O expediente dos veículos de órgãos de segurança do estado foi suspenso nesta quinta-feira (24), como medida de racionamento por conta da falta de combustível, resultado da greve dos caminhoneiros que já entrou em seu quarto dia. O policiamento, investigações, ações de salvamentos e perícias em locais de crime estão mantidos.


Leia também:
Sem combustível, transporte coletivo pode parar na segunda-feira; frota é reduzida para 50%

As informações foram enviadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) via nota. A Sesp ainda informou que os veículos de todas as forças de segurança estão abastecidos, e existem “tratativas com postos de combustíveis no estado para que reservem cotas para abastecimento de viaturas”. A Secretaria fará o monitoramento permanente da execução das atividades.

Foram suspensas as viagens e uso de veículos para expediente da Sesp, Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Polícia Militar (PM-MT) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), pois a prioridade é a atividade operacional.

Conforme o apurado pelo Olhar Direto, viaturas da Polícia Militar não estão fazendo rondas e ficam paradas em pontos estratégicos.

Bloqueio
 
Os caminhoneiros estão passando dia e noite nos pontos de bloqueio. A comida e água que recebem, são de doações. Além disto, acrescentaram que só pretendem desmobilizar o movimento quando o problema for resolvido.
 
Na manhã desta quarta-feira, o presidente Michel Temer se reuniu com ministros para discutir a greve dos caminhoneiros, que acontece em todo o país. A conversa ocorre no dia seguinte ao anúncio da Petrobras de redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 15 dias. Com esta decisão, o governo espera conseguir negociar com o movimento dos caminhoneiros, que se queixam do preço final do diesel.
 
Em razão da greve dos caminhoneiros que paralisaram o transporte e o consequente bloqueio nas bases de distribuição, o abastecimento nos postos está comprometido. Com a falta de produto em alguns estabelecimentos, os usuários passam a procurar outros. Além disto, o medo de que acabe o combustível também aumenta a demanda, o que pode esgotar todas as reservas dos postos.
 
Em Sorriso, por exemplo, há um posto com fila de veículos e o abastecimento só vai durar por mais uma hora. Em muitos estabelecimentos no interior há apenas óleo diesel nos tanques. Há confirmações de postos sem produtos em Tapurah, Primavera do Leste, Nova Xavantina, Diamantino e Juína.
 
A mobilização foi proposta pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e iniciou na manhã desta segunda-feira (21). Em razão dos pesados impostos e do baixo valor dos fretes, a categoria afirma que enfrenta uma grave crise e articula ações em todo o país para evidenciar o descontentamento com a atual política econômica. A PRF mantêm o diálogo com os caminhoneiros.
 
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet