Olhar Direto

Terça-feira, 19 de outubro de 2021

Notícias | Política MT

TRILHOS

Bancada federal vai a Temer para garantir R$ 4 bi para ferrovia em Mato Grosso

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Bancada federal vai a Temer para garantir R$ 4 bi para ferrovia em Mato Grosso
O senador José Medeiros (Pode-MT), líder da bancada de Mato Grosso, quer que o presidente Michel Temer assegure que o estado receba os R$ 4 bilhões de investimentos para construção de 383 quilômetros da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), conforme definição do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) do governo federal. Ele e a bancada do estado já pediram uma audiência de urgência no Palácio do Planalto, que deve acontecer ainda nesta semana.

Leia mais:
Mato Grosso recebe R$ 4 bi de investimento para construção de 383 km de trilhos
 
“Queremos a garantia de que os recursos cheguem ao estado, porque depois desse anúncio, senadores representantes dos estados do Pará e do Espírito Santo afirmaram que o governo federal estaria fazendo uma manobra para tirar investimentos de seus estados. Não entro nesse mérito. Não estou defendendo que se tirem recursos do Pará, tampouco do Espírito Santo, estou defendendo que seja construída a ferrovia, que é de extremo interesse não só para Mato Grosso, mas para o país inteiro”, enfatizou.
 
Os recursos são para a construção do trecho da Fico entre Água Boa, cidade a 743 km de Cuiabá, e o município de Campinorte, no estado do Goiás. Esta será a primeira ferrovia construída após a nova política adotada pelo governo federal para regulação do setor ferroviário. 
 
“A Fico liga, de forma transversal, Mato Grosso e, com certeza, vai dinamizar o transporte e o escoamento de grãos no estado. Portanto, nesta discussão, agora, a única coisa que não podemos permitir é que o Estado de Mato Grosso, que sempre foi deixado para um segundo momento, seja prejudicado neste momento”, afirmou.
 
Parecis

Durante sessão do Congresso Nacional, o senador José Medeiros, destacou embargos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) à Tribo Indígena do Parecis, no Mato Grosso.
 
“Esses índios inovaram e deixaram de passar fome. Começaram a cultivar a terra eagora não pode colher a produção, porque o Ibama resolveu travar tudo”, disse o senador. Ele voltou a criticar a presidente do Ibama, Suley Araújo. “É incrível o nível de inflexibilidade dessa senhora. Nem ministros tem controle sobre o órgão. Ninguém consegueconversar com o Ibama”, criticou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet