Olhar Direto

Sábado, 19 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Emanuel avalia que Taques e Mauro têm perfis “beligerantes” e diz que não vai entrar na briga dos dois

Da Redação - Érika Oliveira

24 Set 2018 - 08:10

Foto: Rogerio Florentino/Olhar Direto

Emanuel avalia que Taques e Mauro têm perfis “beligerantes” e diz que não vai entrar na briga dos dois
O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), apoiador do senador Wellington Fagundes (PR) na corrida rumo ao Paiaguás, garantiu que não irá entrar na onda de ataques aos adversários do republicano – leia-se Mauro Mendes (DEM) e Pedro Taques (PSDB). O emedebista avaliou que o democrata e o tucano assumiram o papel de acusações mútuas por conta de seus perfis “beligerantes” e disse, ainda, que Fagundes tende a se beneficiar deste cenário.

Leia mais:
Wellington Fagundes acusa Mendes de deixar unidades de saúde abandonadas em Cuiabá

“Eu lamento isso. Ninguém quer saber quem está com raiva do outro, se eram aliados e brigaram, quem vai chutar a canela do outro. E a proposta, o que se pretende fazer, quais são as idéias para fazer frente a tantos problemas? A população sente necessidade de um líder que lhes dê ao menos uma luz no fim do túnel e eles [Taques e Mauro] não estão contribuindo com isso. É claro que quem não entrar nessa polemica tende a se beneficiar. É o perfil deles, são perfis beligerantes. O Wellington não, ele é pacificador, cisca para dentro, é incapaz de levantar a voz, ofender quem quer que seja. A população já está vendo isso. Nós não precisamos de um imperador, estamos elegendo um líder, não um imperador”, analisou o prefeito.

Desde o início da pré-campanha, principalmente por serem ex-aliados, Mauro Mendes e Pedro Taques têm polarizado seus discursos no campo das acusações. De um lado, Taques se apóia no fato de Mauro Mendes estar coligado com o MDB e tenta atrelar a imagem do democrata ao ex-governador Silval Barbosa, que era filiado ao partido. De outro, Mendes faz questão de relembrar os escândalos de corrupção ocorridos na gestão Pedro Taques e da alegada incapacidade do atual Governo em solucionar crises em áreas como a saúde, por exemplo.

Embora faça parte do MDB e possa se valer da briga entre os dois candidatos para puxar votos para Wellington Fagundes, Emanuel garantiu que não irá comprar essa briga. “Eu não sou candidato, não estão elegendo o próximo prefeito. Tenho uma boa relação com todos, mas tenho o meu candidato e farei campanha para ele com base nas propostas, nas idéias e em um debate de alto nível. Não preciso brigar com ninguém para defender o Wellington. Basta ele mostrar as propostas dele. Quero pedir voto com base do que ele tem de proposta. Não vou atacar ninguém”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet