Olhar Direto

Sábado, 19 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Candidata que defende bandeira LGBT denuncia ataques homofóbicos na Internet

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

19 Set 2018 - 17:34

Foto: Arquivo Pessoal/Facebook

Candidata que defende bandeira LGBT denuncia ataques homofóbicos na Internet
Com propostas ligadas à causa LGBT, a candidata ao cargo de deputado estadual Madona Arruda (PPS) irá fazer uma denúncia na Polícia Civil por receber ameaças e ser vítima de preconceito em suas páginas nas redes sociais. Conforme a candidata, que trabalha com produção de espetáculos, a denúncia será feita pela preocupação com as pessoas que vão participar da Parada da Diversidade de Cuiabá, que ocorre em Cuiabá no próximo sábado (22).

Leia também
Processo contra 'Marcelo VIP' desaparece e TJMT abre investigação


Dentre as propostas de candidatura a uma das vagas da Assembleia Legislativa, Madona tem o projeto ‘Casa Colorida’ que é um abrigo temporário com atendimento profissional e especializado para a classe LGBT. Ao publicar informações sobre a proposta em sua página no Facebook, a candidata recebeu vários comentários propagando o ódio, segundo ela, de supostos seguidores do deputado Jair Bolsonaro e de Lula.

“Eu nunca falei que iria votar em Bolsonaro, nunca falei que vou votar no Lula e nunca falei mal de ninguém. As pessoas estão com tanta raiva, com tanto ódio. O que vai ser no segundo turno?’, questionou a candidata.

Ao Olhar Direto, Madona declarou que tentou fazer o registro de ocorrência em uma delegacia e não conseguiu por estar lotada, porém garantiu que irá fazer ainda nesta quarta-feira (19) um boletim de ocorrência de ameaça e injúria pela Internet. Ela também contou que teme pelas pessoas que vão participar da Parada da Diversidade no próximo sábado.

“Vou fazer o boletim para abrir os olhos das autoridades. Temos uma parada no fim de semana e não sabemos o que pode acontecer com tanto ódio espalhado. Acho que no segundo turno vamos ter até morte entre o pessoal do Lula e do Bolsonaro”, afirmou.

Com o registro da ocorrência, um inquérito deve ser aberto pela Polícia Civil para investigar de onde partiu os comentários homofóbicos contra a candidata.   
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet