Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de maio de 2019

Notícias / Cidades

Grupo de médicos seria sócio oculto de empresas investigadas por fraude em contratos com município e Estado

Da Redação - Wesley Santiago

04 Dez 2018 - 07:40

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Grupo de médicos seria sócio oculto de empresas investigadas por fraude em contratos com município e Estado
As investigações da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) apontam que um grupo de médicos seria sócio oculto das empresas que foram alvos da 'Operação Sangria', deflagrada nesta terça-feira (04), com o objetivo de apurar irregularidades em contratos de prestação de serviços médicos hospitalares, firmados com o município de Cuiabá e o Estado de Mato Grosso.

Leia mais:
Defaz cumpre 11 mandados contra envolvidos em fraudes na prestação de serviços hospitalares; veja alvos

Os mandados de busca e a apreensão foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, na investigação que visa arrecadar provas documentais para confirmar denúncia referente a um grupo de médicos, com participação societária oculta em três empresas de serviços médicos, na capital e interior do Estado.

Estão sendo apuradas irregularidades em licitações e contratos firmados com as empresas Proclin (Sociedade Mato-Grossense de Assistência Médica em Medicina Interna), Qualycare (Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar LTDA) e a Prox Participações.

A operação é coordenada pelos delegados Lindomar Aparecido Tofoli, Sylvio do Vale Ferreira Junior e Maria Alice Barros Martins Amorim.

Sangria

O nome da operação “Sangria” é alusivo a uma modalidade de tratamento médico que estabelece a retirada de sangue do paciente como tratamento de doenças, que pode ser de diversas maneiras, incluindo o corte de extremidades, o uso de sanguessugas ou a flebotomia.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luis Eduardo
    05 Dez 2018 às 08:18

    Já disse em comentarios anteriores... Tira esse prefeito, o histórico desse cidadão foi só de maracutaias. Olha onde está o escritório dele, novo pronto socorro, será pq? pelo povo que não é...

  • AUDITOR SENIOR
    04 Dez 2018 às 18:43

    SENHORES DA DEFAZ , ATENÇÃO PARA NAO INCORREREM EM ANULAÇÃO DESTA OPERAÇÃO ACUSANDO SOCIOS OCULTOS, PRQUE EM TESE ESTES NAO OPERACIONALIZAM, NAO GERENCIAM, NAO CONTRATAM APENAS PRESTAM SERVIÇO. NESTE CASO HÁ UM RESPONSÁVEL A SER IMPUTADO...

  • Chirrão
    04 Dez 2018 às 14:54

    È só fazer uma devassa nos contratos das OSCIPS pra ver o rombo..trilhões gastos na saúde e pessoas morrendo nos corredores sem atendimento, FALTA TUDO nos hospitais, só não falta o repa$$e do governo. e o povo só no SOFRIMENTO.

  • Zaqueu
    04 Dez 2018 às 13:59

    Pior do que isso e NAO TER contrato, como no caso do Hospital Regional de Sorriso.

  • oscar
    04 Dez 2018 às 09:06

    FERRO NELES PULIÇADA ... KKKK

Sitevip Internet