Olhar Direto

Terça-feira, 15 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Acusada de caixa 2, Selma afirma que foi extorquida três vezes para ser absolvida no TRE: "Pediram dinheiro e cargos"

Da Redação - Wesley Santiago

14 Dez 2018 - 08:07

Foto: Reprodução

Acusada de caixa 2, Selma afirma que foi extorquida três vezes para ser absolvida no TRE:
A senadora eleita por Mato Grosso, Selma Arruda (PSL), revelou - durante uma live em sua página do Facebook - que foi extorquida três vezes para ser absolvida no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) das acusações de caixa 2 em sua campanha. Além de valores, as pessoas - que não tiveram o nome divulgado - também teriam pedido cargos à juíza aposentada.

Leia mais:
Defesa de Selma diz que MPF faz pré-julgamento e reclama de falta de isonomia

"Disseram que tenho uma bomba, que estou ameaçando o judiciário. Quem fala isso é doente mental, não é certo. Se eu tivesse alguma informaçõa, teria dito para as autoridades, porque não sou desta laia", comentou a juíza aposentada.

Mesmo dzendo que não tem uma bomba, Selma fez uma grave revelação: "Eu já fui extorquida três vezes por causa desta bagunça [acusação de caixa 2]. Na primeira vez me pediram R$ 360 mil, na segunda R$ 600 mil e na terceira cargos, para me absolver neste processo no TRE. Não cedo a chantagem, extorsão. Vou continuar lutando de cabeça erguida. Se a gente ceder uma vez para a corrupção, ela entranha".

Assita a live completa abaixo:



"Quando eu era juíza, tinha muito mais oportunidade de ficar rica, para não prender, soltar e absolver certos 'figurões' e eu não fiz. Boa parte da mídia está se ocupando de fazer uma campanha diária contra mim", explicou a senadora eleita.

Em explicações sobre as acusações de caixa 2, Selma confirmou que contratou uma empresa de marketing para cuidar da sua imagem, o que teria sido feito por todos candidatos. Ainda acrescenta que fez o pagamento com cheques, mas que tudo foi feito dentro da legalidade. 

"Tenho dito isto desde o início. Caixa 2, o pessoal faz e fez nessa campanha em dinheiro vivo, com mala de dinheiro. Quando gastamos licitamente, emitimos cheque, tem origem, sou tranquila com relação a esta acusação. Os gastos durante a campanha e antes da campanha, não passam do teto, ficam bem distante. Não houve abuso algum da minha parte. Respeito e aguardo a decisão da Justiça. Vou acatar o que for decidido, porque tenho certeza que ela irá reconhecer a minha total lisura e que não fiz nada de errado. Eu não envergonharia vocês que depositaram o voto em mim, a minha família e meus princípios. Se saí da magistratura, não ia ser agora que ia fazer coisa errada", disse a senadora eleita.

Caixa 2

Conforme dados fornecidos ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Selma gastou em sua campanha cerca de R$ 1,7 milhão. O parecer do MPF, no entanto, cita o recebimento de receita financeira no valor de R$ 1.600,00 via depósito bancário identificado; o recebimento de doações não provenientes de produto do serviço ou da atividade econômica do doador, no valor de R$ 40.040; pagamento de R$ 4.350, antes do período eleitoral, a Ismaela de Deus Souza T. Silva, pelo serviço de secretária executiva; e arrecadação de recursos mediante empréstimo pessoal no valor de R$ 1,5 milhão, que transitou à margem da conta bancária oficial.

Além disso, o procurador apontou que não foi apresentado contrato com a empresa Genius At Work Produções Cinematográficas Ltda, impossibilitando a aferição da data de contratação e do exato valor pactuado com a empresa, estimado em R$ 700 mil.

As irregularidades apontadas por Pouchain já haviam sido evidenciadas em parecer técnico do examinador de contas do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Daniel Ribeiro Taurines, no último dia 8 de dezembro.

Ao opinar pela reprovação das contas da senadora eleita, o MPF também argumentou que no parecer de Taurines foram indicados gastos de R$ 450 mil com publicidade, R$ 60 mil com pesquisa eleitoral e outros gastos, que somados chegam ao valor de R$ 300 mil, todos quitados com recursos via ‘caixa 2’ e em período proibido pela Justiça Eleitoral.

O advogado Diogo Sachs, responsável pela defesa da senadora eleita Selma Arruda (PSL), criticou o parecer do procurador Pedro Melo Pouchain Ribeiro, da Procuradoria Regional Eleitoral de Mato Grosso, que opinou pela desaprovação das contas de campanha e apontou prática de ‘caixa 2’ por parte da juíza aposentada. Sachs acusou Pouchain de antecipar, na análise, o julgamento de outras ações e de não ser isonômico, uma vez que não teria cobrado de outros candidatos declaração de gastos na pré-campanha.

Segundo Diogo Sachs, o parecer ministerial se aprofunda em provas constantes de Ação de Investigação Judicial Eleitoral, e que ainda não ultrapassaram a fase do contraditório, indo além do que determina o exame de contas. “Ou seja, o promotor antecipa em parecer de procedimento de prestação de contas, assunto que é pertinente ao mérito de outra ação ainda em trâmite”, concluiu.

“Ainda é preciso frisar que nos termos do art. 99, da já mencionada Res. 23.553, a ação de investigação eleitoral e prestação de contas são procedimentos distintos, portanto, o resultado de um não interfere no outro. Por fim, trata-se apenas de um parecer. É importante, mas não define sozinho o destino do candidato, porque as contas ainda serão julgadas”, destacou o advogado.

Outro Lado:

Procurada, a assessoria do TRE declarou que irá se manifestar por meio de nota. 

25 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rocha
    16 Dez 2018 às 17:02

    Deve ser difícil assessorar essa mulher !! Voteee

  • Ilze
    15 Dez 2018 às 14:03

    Polêmica, e de preferência sob as luzes dos holofotes é o forte dessa senhora. Vôte!

  • Antonio
    15 Dez 2018 às 08:55

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Eita
    14 Dez 2018 às 18:28

    Como assim ela falou e não fez nenhuma denúncia? kkkkkkkkkkkkkk Essa senhora não bate bem das ideias. E cadê a fonte do dinheiro? Ou melhor onde arrumo amigos que depositam mais 1 Milhão assim de boas?

  • raimundo nonato
    14 Dez 2018 às 18:11

    Tá chamando seus eleitores de otários já esse filme. Se foi extorquida porque não se utilizou das vias legais, pois, como ex-juíza tem o dever de assim agir. Deixa de lorota agora minha senhora.

  • Luiz
    14 Dez 2018 às 15:00

    Pela primeira vez na história, um soberbos, vai provar da própria justiça de sinédrio, só no reino de avilan que uma a pessoa sem nenhum interesse doa 1500.000.00 sem querer algo em troca kkkkk só os crentes EA elite acredita nisso

  • Dona Jacira
    14 Dez 2018 às 14:21

    eu voltei siminina. Aghora eu resolvi voltar! mas ieu me recuuuuso a comenta sobre essa dona bem aí ó. Ela é mais confusa que meu finado esposo quando bebia. Voooote

  • Joaquim Teixeira
    14 Dez 2018 às 13:40

    Ta querendo sair de santa ainda, uma artista. Agora a senhora está provando o outro lado da moeda e vai ver como é a JUSTIÇA do nosso país.

  • CALEB MIGUEL DA PAIXAO
    14 Dez 2018 às 12:58

    Se houve tentativa de extorsão, ela tem o dever de denunciá-los e não omitir!

  • Lorota
    14 Dez 2018 às 11:21

    Ta certo, não cede a chantagens e nem nada né. Mas me explica o porque só informou isso agora que ficou mais sério esse negócio de caixa 2???? As vezes eu não entendo, mas eu sou burro mesmo, vejo com olhos maus né!

Sitevip Internet