Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de junho de 2019

Notícias / Política MT

Carvalho dispensa status de “supersecretário”: vamos fazer mais com menos e não criar superpoderes

Da Redação - Érika Oliveira

06 Jan 2019 - 17:00

Foto: Rogerio Florentino/Olhar Direto

Carvalho dispensa status de “supersecretário”: vamos fazer mais com menos e não criar superpoderes
Pendente de aprovação da Assembleia Legislativa, a reforma administrativa proposta pelo governador Mauro Mendes (DEM) transportará para a Casa Civil as atribuições de quatro secretarias que serão extintas: Governo, Comunicação, Assuntos Estratégicos e Articulação e Desenvolvimento Regional. Caberá a Mauro Carvalho gerir todas as funções da “super” Pasta, mas ele dispensa o status e reforça que o único objetivo das fusões é reduzir as despesas do Executivo.

Leia mais:
Secretários têm até hoje para entregar lista de servidores que serão cortados na gestão Mendes

“Não existe supersecretário. Lógico, o governador diminuiu o número de secretarias e a Casa Civil acabou incorporando outras funções. Veja bem, essa é uma forma de reduzir custos e realmente fazer muito mais com menos, que é nossa proposta. Essa redução não é para criar superpoderes, mas para reduzir a máquina administrativa”, explicou, no dia de sua posse.

Carvalho, assim como os demais secretários, tem até esta semana para entregar a Mauro Mendes um relatório preliminar do que pode ser cortado em sua Pasta, bem como a lista de servidores que serão exonerados. Conforme adiantou o Olhar Direto, alguns funcionários já foram informados de seu desligamento.

A reforma de Mauro Mendes, que reduzirá o número de secretarias de 24 para nove pastas, será encaminhado ao Legislativo na próxima semana e deve ser votada ainda este mês. De acordo com Carvalho, desde que a equipe de transição do atual Governo foi formada, no ano passado, as idas a Assembleia têm sido constantes e o projeto deve passar com folga.

Além das secretarias, Mendes ainda estuda a redução no número de empresas estatais e mistas. Das atuais 20 empresas, o novo governador pode extinguir entre cinco a oito. Os órgãos que podem ser extintos são: Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat); Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás); Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer); Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI); Central de Abastecimento do Estado de Mato Grosso (Ceasa); Agência de Desenvolvimento Metropolitano da Região do Vale do Rio Cuiabá (Agem) e Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso (Desenvolve MT, antiga MT Fomento).

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ilze
    07 Jan 2019 às 14:02

    Não dá para entender a crescente demanda de empresários buscando cargos na esfera pública. Será que suas empresas não estão dando o necessário para uma vida digna?

  • Levi
    07 Jan 2019 às 13:35

    Acho que os empresários que se tornam secretários de estado, são na verdade pessoas abenegadas, benevolentes, sem nenhum interesse outro, que não seja o bem de Mato Grosso. SQN...KKKKK

  • Rodrigo
    06 Jan 2019 às 23:30

    Secretário top, gente fina

  • Bea
    06 Jan 2019 às 21:41

    Estude muito, Passe num concurso público, trabalhe honestamente até a aposentadoria e todos os anos corra atrás dos políticos para q seja cumprido o q já é assegurado pela lei, Passe 10 anos convivendo com essa injustiça e envelhecerá 20 anos, vendo os políticos te colocando contra a sociedade.

  • luiz
    06 Jan 2019 às 19:05

    o que levas um empresario bem sucedido a ser secretario de estado com salario de 5% do que ganha na iniciativa privada

Sitevip Internet