Olhar Direto

Sexta-feira, 19 de abril de 2019

Notícias / Política MT

Insatisfeitos com medidas do Governo, servidores paralisam trabalhos por 24 horas

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

11 Fev 2019 - 14:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Insatisfeitos com medidas do Governo, servidores paralisam trabalhos por 24 horas
Com exigências como o pagamento dos salários até o dia 10 de cada mês, a garantia do pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), o não parcelamento do 13° salário e o não aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, servidores do Poder Executivo de pelo menos 15 categorias vão fazer uma paralisação de 24 horas a partir da meia noite desta terça-feira (12).

Leia também
Sob “pressão” de delegados, deputado articula derrubada de veto para incluir FEX na receita


A decisão da paralisação de um dia já havia sido tomada em assembleias ocorridas em janeiro e confirmada por líderes do Fórum Sindical. “Está confirmada a paralisação de pelo menos 15 categorias nesta terça, além de um ato na frente do Tribunal Regional do Trabalho”, explicou o líder sindical Antônio Wagner.

O ato público em defesa dos direitos dos servidores irá acontecer por volta das 14h, em frente a sede do TRT, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça. No interior, o mesmo ato também irá sendo feito em cidades pólos.

Entre as categorias que já confirmaram a paralisação de um dia estão a de profissionais da secretaria de Educação, da secretaria de Meio Ambiente e da Saúde, que manterá somente 30% do efetivo nos serviços essenciais, conforme explicou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sisma), Oscarlino Alves.

“Serão mantidos 30% do efetivo nos serviços essenciais, e, 100% na Urgência e Emergência, nos Hospitais e Ambulatórios. Já nas unidades administrativas, a exemplo dos 16 Escritórios Regionais vão ser mantidos apenas serviços regulatórios e entrega de vacinas e termolábeis”, afirmou.

A mobilização unificada, também será um aviso ao governo. A coordenadora do Fórum Sindical, Edna Sampaio, ressaltou a importância da participação na mobilização. “Será a primeira grande paralisação de alerta contra as medidas do governo Mauro Mendes e a participação dessa categoria é fundamental”, disse.            

29 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria
    12 Fev 2019 às 12:57

    Sou Funcionaria publica, trabalho todos os dias igual a qualquer funcionário recebo 1.240 reias por mês, não estou mamando na teta do governo, brigamos por aquilo que é nosso de direito, não conheço ninguém que não quis receber seu décimo, seu vale transporte, seu almoço, suas férias, ou seu seguro desemprego, por que seu patrão tá "falido" ou o Estado tá "falido". Parem de hipocrisia, todos nós precisamos de saúde, segurança e da educação que é pública quem te atende é um servidor. Não é o Mauro mendes, pode ter certeza que na sala dele, tem ar, uma cadeira confortável, uma recepcionistas que atende e anota os recados e diz que ele nunca pode atender um cidadão, e seu salário não atrasa nem dele, nem dos deputados.... A população fica contra a população (servidores) enquanto quem realmente ganha bem e rouba na nossa cara estão sendo defendidos... Desde quando vc acredita em politico???? É serio que vc acredita nessa lorota????? Vc acredita nisso que até o salário do nosso governador ta atrasado??? Não mesmo.

  • DESEMPREGADO
    12 Fev 2019 às 08:16

    TEM QUE DESCONTAR ESSES DIAS PORQUE AS FÉRIAS DE 90 DIAS ACABOU , !!!

  • DESEMPREGADO
    12 Fev 2019 às 08:12

    NESSA CRISE NÃO HÁ EMPREGO SE NÃO QUER PEDE PRA SAIR É SIMPLES O POVO TEM QUE FICAR DE OLHO !!!

  • Luciana solteira cpa 2
    11 Fev 2019 às 23:04

    Porque as pessoa tem inveja desses servidor aí? Credo, vão estudar que é.

  • Tanani
    11 Fev 2019 às 22:59

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ana
    11 Fev 2019 às 22:55

    Eu digo sempre: desde que estava na ativa o sindicato só sabe chamar pra greve. Edna Sampaio , minha filha, pelo amor de Deus, para de anarquista e vai trabalhar.

  • Pedagoga
    11 Fev 2019 às 22:31

    Não sou servidora pública, mas gostaria muito de ser um dia se houvesse concurso é meu sonho e apoio a greve... é direito, é o mecanismo que o funcionário encontra de receber seus salarios e outros direitos conquistados ao longo dos anos, trabalhados com muita dedicação e esforço, reivindicar o que é seu não é errado, o erro foi acreditar em uma governador que só está ocupando o cargo porque boa parte dos servidores o elegeu, e esses mesmos servidores estão sendo massacrados por este homem que desde que assumiu, só nos leva a entender que a única finalidade do governo dele é único e exclusivo destruir os servidores públicos e perseguir...vai trabalhar Mauro Mato Grosso tem muitas outras prioridades se Liga!!!

  • Santos
    11 Fev 2019 às 22:08

    Os noivos órgão que fazem falta para a sociedade, e: professore, saúde, segurança,, o resto só ganha como marajá e não trabalha,,, esses marajás tem que ser privatizados,,, aí se não atender bem a sociedade,, é demitido,,,,

  • Vanderlene Silva
    11 Fev 2019 às 21:44

    Procurei UPA no fim de semana. Demorou oito horas para ser atendida. Governador em nome do povo sofrido, imploro para não esmorecer e demitir a maioria dos desnecessários servidores públicos. Tem muito para pouco serviço. Com essa economia vossa magnificência poderá investir em saúde, segurança pública, creches para os órfãos do sistema.

  • Roberta
    11 Fev 2019 às 18:58

    Nós, servidores do Executivo estamos fartos de sermos subjugados pelo governador. Todos os outros poderes vivem na bonança do dinheiro público: promotores, conselheiros, deputados... Se é pra economizar, conter gastos, o sacrifício tem que ser de TODOS OS PODERES, sem distinção. O que se constata é que os únicos sacrificados são os servidores do Executivo, cuja grande maioria ganha pouco.

Sitevip Internet