Olhar Direto

Terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Notícias / Ciência & Saúde

Unidades de urgência e emergência registram mais de 250 mil atendimentos; secretário faz alerta

Da Redação- Patrícia Neves

15 Fev 2019 - 09:38

Foto: Assessoria SMS

Unidades de urgência e emergência registram mais de 250 mil atendimentos; secretário faz alerta
De um total de 250 mil atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento 24 horas (UPAs) e policlínicas, 72% deveriam ser atendidos na Rede de Atenção Básica sem prejuízos à saúde e receberam classificação "verde". As cores referendadas, fazem parte do protocolo Manchester e é usado por Cuiabá para levar acolhimento humanizados à população. 

Os dados foram levantados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e apontam que a maioria dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Cuiabá ainda procura atendimento nas unidades de urgência e emergência de maneira equivocada.

Leia Mais:
Sem coleta de lixo, prefeitura multa empresa em R$ 300 mil e dá prazo de 15 dias para retomada do serviço

De acordo com o secretário adjunto de Assistência em Saúde, Luiz Gustavo Raboni essa procura inadequada aos pronto atendimentos 24 horas, além das superlotações corriqueiras, geram constrangimentos. 

“Por serem unidades 24 horas as pessoas acabam buscando atendimentos nestes locais porque sabem que têm médico disponível a qualquer momento para atendê-los - enquanto que nos postos de saúde esses atendimentos é das 8h às 17h. Entretanto, é preciso que a população compreenda que as UPAs Morada do Ouro e Pascoal Ramos e as policlínicas do Planalto, Verdão, Coxipó e Pedra 90 são unidades destinadas aos atendimentos de urgência e emergência com a finalidade principal de estabilização de pacientes com quadro clínico grave. Dessa forma, o local sempre dará prioridade para os amarelos, vermelhos, roxos e laranjas que são referenciados na classificação de risco como casos graves. Os verdes que podem esperar até seis horas para serem atendidos, acabam superlotando as salas de espera das unidades e isso gera um desgaste físico e emocional tanto para os pacientes quanto para a equipe médica”, frisou Raboni. 

A ferramenta é utilizada nos principais serviços de urgência e emergência de unidades públicas e privadas do país para avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, potencial de risco e agravos à saúde. Ou seja, trata-se da priorização do atendimento, após uma avaliação do paciente, realizada por um profissional devidamente capacitado, do ponto de vista técnico e científico.

Dessa forma, os casos verdes e azuis devem ser direcionados para as unidades de saúde mais próximas da residência do usuário, com horário marcado ou por hora de chegada. Normalmente são direcionados às Unidades Básicas de Saúde - UBS ou Programa de Saúde da Família - PSF casos como queixas crônicas, e/ou agudas como resfriados, contusões, escoriações, dor de garganta e ferimentos, que não requerem pontos, e outros.

Conforme a diretora da Atenção Básica de Saúde da SMS, Miriam Pinheiro, embora as unidades básicas de saúde não fiquem abertas 24h elas estão melhor preparadas para acolher os pacientes verdes e azuis. 

“Estamos preparados para receber, avaliar e investigar os sintomas que levaram este público a procurar as UPAs e Policlínicas. Além disso, temos diversos programas de Saúde da Família para atuar na prevenção às doenças e promoção à Saúde. A Atenção Básica está recebendo um olhar diferenciado do prefeito Emanuel Pinheiro que tem atuado na restruturação é revitalização das unidades justamente para prestarmos um atendimento cada vez mais humanizado a estas pessoas”, reforçou.  
Sitevip Internet