Olhar Direto

Notícias / Política MT

Jayme Campos propõe transformar não repasse do FEX em crime de responsabilidade

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

28 Fev 2019 - 08:20

Foto: Assessoria

Jayme Campos propõe transformar não repasse do FEX em crime de responsabilidade
O senador Jayme Campos (DEM) apresentou Projeto de Lei para tornar crime de responsabilidade a não compensação financeira aos Estados pelas perdas de arrecadação provocadas pela Lei Kandir.

Leia também
Deputados se irritam com possível fechamento de 21 delegacias e criticam Mendes


“Trata-se de incluir, entre os crimes contra a lei orçamentária, a omissão do governo federal no ressarcimento da receita perdida pelos Estados com a desoneração dos produtos primários exportados. Os estados e os municípios não podem ficar à mercê da boa vontade da União”, afirmou o senador.

O Governo Federal deixou de transferir, em 2018, para o estado de Mato Grosso, R$ 500 milhões do FEX (Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações).

“Temos hoje uma federação desequilibrada, em que o poder central dispõe dos recursos e os entes subnacionais têm de arcar com responsabilidades crescentes. É um dinheiro legítimo do povo mato-grossense que está sendo represado nos cofres da União. Meu projeto buscar corrigir essa injustiça. Mato Grosso não pode continuar perdendo receita por ausência de lei ou por omissão do poder público”, enfatizou.

Durante sua fala, o senador lembrou que, na semana passada, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu por mais 12 meses o prazo para que o Congresso Nacional delibere sobre a regulamentação da matéria. Também criticou decisão do Tribunal de Contas da União sobre o tema. “O Parlamento brasileiro, com todo respeito ao papel do TCU, tem a prerrogativa de legislar sobre os repasses da Lei Kandir. Não podemos abrir mão do nosso dever constitucional”, alertou.

O parlamentar também destacou a tramitação do projeto de lei complementar 511/2018, que fixa a compensação devida aos governos estaduais e municípios em R$ 39 bilhões anuais, após observado um período de transição de dois anos. “O projeto, que ainda pode sofrer ajustes, já foi aprovado na comissão mista e precisa ser votado no Plenário da Câmara antes de chegar ao Senado. Vou cobrar celeridade na tramitação da matéria. A grave situação fiscal dos estados pede uma ação rápida”, destacou. 

Ao final do discurso, Jayme Campos pediu apoio dos senadores à sua proposta. “Estou seguro de que essa iniciativa contribuirá decisivamente para um maior equilíbrio federativo e para o equacionamento da grave crise fiscal que os entes subnacionais ora enfrentam”. Pelo regimento da Casa, o projeto do senador deverá ser encaminhado para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • DESEMPREGADO
    26 Mar 2019 às 12:36

    várzea grande tem a água mais cara do BRASIL

  • Eleitor
    28 Fev 2019 às 14:20

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Marco
    28 Fev 2019 às 12:35

    Se o Estado está sendo lesado, tem que receber mesmo, isso já deveria ter sido feito Parabéns Senador pela atitude.

Sitevip Internet