Olhar Direto

Notícias / Cidades

Visitação no zoológico da UFMT é suspensa após morte de macacos por febre amarela

Da Redação - Fabiana Mendes

14 Mar 2019 - 16:25

Foto: Reprodução

Visitação no zoológico da UFMT é suspensa após morte de macacos por febre amarela
Após a confirmação da morte de dois macacos pelo vírus da febre amarela na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a visitação no zoológico está suspensa desde a manhã desta quinta-feira (14). A administração informou que tomou uma série de medidas protetivas, pois vários membros da comunidade universitária ainda não foram imunizados.

Leia mais:
Saúde confirma morte de dois macacos infectados com vírus da febre amarela; recolhidos na UFMT


Os animais diagnosticados em exames de laboratórios de referência regional são de vida livre e que entram no Campus da universidade. Como ação preventiva, os oitos macacos do zoológico foram isolados e colocados em quarentena, mesmo estando saudáveis e sem apresentar sintomas clínicos da doença.
 
A suspensão da visitação no zoológico visa reduzir o fluxo de pessoas no campus, principalmente daquelas não imunizadas contra a febre amarela. Também serão fixados avisos nas guaritas informando sobre a presença do agente circulante do vírus da febre amarela.
 
Paralelamente a essas medidas, a Coordenação de Assistência à Saúde do Servidor (CASS) ainda está agilizando a realização de uma campanha de vacinação, em parceria com a Diretoria de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde (SMSC).
 
Por meio de nota, a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o resultado foi encaminhado para a UFMT para que seja divulgado para os alunos e a população. Cita ainda que não há motivo para preocupação porque no ano passado foi realizada uma intensa campanha contra a febre amarela e quem já foi imunizado não corre mais o risco de ser infectado.
 
Segundo a Pasta, a transmissão entre macacos e deles ao homem até hoje acontece em ciclo silvestre e não por meio do mosquito Aedes aegypti. Desde que houve a remoção desses animais foi feita a captura de mosquitos e uma pesquisa entomológica. Não foi encontrada a espécie que faz a transmissão em ciclo silvestre.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Chico Bento
    14 Mar 2019 às 17:23

    A UFMT é um zoológico geral. Não visitar os bichos não atrapalha nada!

  • cal
    14 Mar 2019 às 16:54

    mais de 60 dias após a morte dos macacos ... absurdo isso . total descontrole dos órgãos responsáveis . tremenda irresponsabilidade que coloca em risco a toda a vizinhança e outros que visitaram o zoo.

Sitevip Internet