Olhar Direto

Segunda-feira, 22 de julho de 2019

Notícias / Política BR

Empresa de delator que levou Temer à prisão tem contratos que somam R$ 9,4 milhões em MT

Da Redação - Vinicius Mendes

21 Mar 2019 - 16:51

Foto: Agência Brasil

Empresa de delator que levou Temer à prisão tem contratos que somam R$ 9,4 milhões em MT
A empresa Engevix Engenharia e Construções Ltda., do empresário José Antunes Sobrinho, firmou dois contratos com o Estado de Mato Grosso que somados resultam em pagamento de R$ 9.407.935,88. A delação de Sobrinho, na Operação Lava Jato, motivou a prisão do presidente Michel Temer, nesta quinta-feira (21).
 
Leia mais:
Força-tarefa da Lava Jato prende Michel Temer e faz buscas por Moreira Franco
 
Um dos contratos é referente a obras contratadas pelo antigo e extinto DVOP (Departamento Viação e Obras Públicas). O Estado ficou devendo R$1.348,962,34 à Engevix, que foram pagos com permissão de Eder Moraes, o secretário de Fazenda à época.
 
O promotor Célio Fúrio, inclusive, instaurou no último dia 7 de fevereiro um inquérito civil em face dos ex-secretários de Fazenda Eder de Moraes Dias e Edmilson José dos Santos e dos procuradores do Estado de Mato Grosso João Virgílio do Nascimento Sobrinho e Dorgival Veras de Carvalho, para apurar possível prática de ato de improbidade administrativa no pagamento pelo Estado de Mato Grosso de crédito da época do extinto DVOP, à empresa Engevix Engenharia e Construções Ltda.
 
O outro contrato é referente ao gerenciamento e fiscalização das obras do Poder Judiciário de Mato Grosso em 79 comarcas, no valor de R$ 8.058.973,54. Sobre este caso, inclusive, o conselheiro interino Luiz Carlos Pereira, do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), negou um pedido de suspensão do pregão que contratou a empresa.
 
Um dos argumentos dos requerentes seria que a Engevix foi punida no Acórdão 1348/2017, do Tribunal de Contas da União, que lhe aplicou, entre outras medidas, a declaração de idoneidade para participar, por cinco anos, de licitações com a Administração Pública Federal.
 
O conselheiro, no entanto, considerou que o alcance da punição se restringe unicamente à esfera do órgão julgador, neste caso, contratos federais. Além disso ele citou que a empresa interpôs pedido de reexame contra o acórdão, o qual ainda se encontra pendente de julgamento. A decisão foi publicada no Diário Oficial de Contas do último dia 7 de março.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ricardo
    22 Mar 2019 às 11:56

    Fiquem tranquilo pessoal, Gilmar Mendes vem ai, Temer logo fica solto, que vergonha para MT., os parentes ficam rindo no nossa cara, que país é esse.,, Gilmarrrrrrrr, ta demorando para dar as caras, se isso acontecer temos que mudar de MT.

  • Lúcio
    22 Mar 2019 às 10:48

    Pergunta..... Porque o Pedrinho Taques apoiou tão ferrenhamente colocar Temer no comando do país? Aí entra, a lógica....governo federal, obras, ....governador compactua e......e..... propina.....para pagar os apoiadores do golpe.........Simples assim...

  • por justiça
    22 Mar 2019 às 07:33

    a justiça Divina tarda mais não falha vai vir tudo atona quem plantou agora colhe a verdade provera....

  • Nonato
    21 Mar 2019 às 23:33

    Vamos contar dm uma semana gilmar mendes ...aquele juiz traquino...sorta temer de boa

  • Juca
    21 Mar 2019 às 17:36

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet