Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Política MT

Equipe jurídica do Governo do Estado discute VLT e Mendes garante solução em um ano

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / Do Local - Erika Oliveira

08 Abr 2019 - 14:30

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Equipe jurídica do Governo do Estado discute VLT e Mendes garante solução em um ano
O governador Mauro Mendes (DEM) revelou que a equipe jurídica do Governo do Estado já se reuniu algumas vezes para discutir em que pé estão as obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e garantiu que uma solução para o imbróglio será apresentada por sua gestão até o ano que vem.

Leia também
‘Há 15 anos ICMS pagava folha de todos os Poderes e hoje paga a metade’, diz Mendes a prefeitos


Segundo o governador, até o momento não houve nenhuma tratativa para a retomada da obra. Ele garante que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) vem se reunindo para entender como está o andamento jurídico do VLT.

“Ainda não iniciamos tratativas para retomar obra do VLT e o que fizemos foi uma reunião com toda área jurídica do governo para que possamos entender definitivamente o que está acontecendo. Fizemos uma análise jurídica do problema. Existem três ações correndo na justiça com o VLT, então mesmo que eu quisesse, tivesse o dinheiro e as condições para reiniciar a obra, nós não poderíamos porque existem ações que da qual fazem parte o Governo do Estado, Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal”, explicou.

O democrata, no entanto, garantiu que assim como prometeu em sua campanha, irá, juntamente com a sua equipe, apresentar uma solução para a obra, que é atualmente uma cicatriz cortando as cidades de Cuiabá e Várzea Grande, até 2020.

“Existe um imbróglio jurídico criado e o nosso primeiro passo foi entender isso. Tivemos a informação que o Tribunal de Justiça está julgando uma ação que confirma a rescisão contratual por parte do consórcio, causado por eles por ter praticado corrupção no contrato. É uma situação complicada e por isso, durante a eleição eu pedi até um ano para encontrar uma solução para tomarmos uma decisão consciente”, afirmou.

Iniciada em junho de 2012, durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa, a construção do modal está paralisada desde dezembro de 2014, quando na época havia apenas a suspeita de irregularidades. Até aquele momento, o Governo já tinha investido R$ 1,066 bilhão dos cofres públicos.

A confirmação de que houve corrupção em todo o processo da obra veio com os depoimentos da delação premiada do ex-governador Silval Barbosa e com a operação Descarrilho, deflagrada pela Polícia Federal em agosto de 2017.

De acordo com o ex-chefe do Executivo, seu grupo político fez um acordo para receber R$ 18 milhões de propina do grupo CR Almeida, que integrava o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande.

Programado para substituir a proposta do infinitamente mais barato Bus Rapid Transit (BRT), o VLT foi apresentado por Barbosa e por vários deputados da época como "um avanço" para o Estado.

Para a sua construção, o Governo firmou um contrato com o Consórcio VLT Cuiabá – Várzea Grande (CR Almeida, Santa Barbara, Magna e CAF) no valor de R$ 1,4 bilhão com um prazo de execução da obra em dois anos, para estar pronto durante a Copa do Mundo de 2014.

A obra, paralisada desde 2014, não avançou nenhum centímetro durante o Governo de Pedro Taques (PSDB).

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Lucas
    09 Abr 2019 às 10:08

    Solução é tirar os vagões e fazer avenidas pq esses vagões aí não servirão pra nada até o governo tentar resolver isso...prefeitura e governo lixo

  • Pamela
    09 Abr 2019 às 09:28

    Só papagaiada

  • Xavier
    09 Abr 2019 às 08:52

    Como.??? Vai colocar em funcionamento..???

  • Roger
    08 Abr 2019 às 20:53

    Uma solução inteligente faz um terminal de ônibus próximo AO terminal do VLT em VG, com a conexão tiraria os ônibus da av. da FEB e do CPA e o trecho até o Coxipó excluiria, assim diminuiria os custos e a empresa que ganhe a licitação lucraria com o convênio com as empresas de ônibus neh!!Pena que o cartel das empresas de ônibus não querem tirar seus lucros com os seus veículos caindo aos pedaços né e sem ar condicionado, eles querem seus ônibus super lotados, pronto falei!!

  • Pepeu
    08 Abr 2019 às 19:50

    Início de governo pede um ano, no fim fala que não foi possível por causa disso ou daquilo e o povo igual bobo aguardando NADA. Esquece VLT.

  • EDEGAR
    08 Abr 2019 às 16:55

    ESSA CONVERSA JÁ DURA MUITOS ANOS.

Sitevip Internet