Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Política MT

Sobre processo de Selma, Fávaro lembra prisão de Lula e diz que Justiça é para todos

Da Reportagem Local - Vinícius Mendes/ Da Redação - Lucas Bólico

06 Abr 2019 - 14:26

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Sobre processo de Selma, Fávaro lembra prisão de Lula e diz que Justiça é para todos
O titular do Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat) Carlos Fávaro (PSD) lembrou das prisões dos ex-presidentes Lula (PT) e Michel Temer (MDB) ao comentar o processo que pode culminar na cassação da senadora Selma Arruda (PSL) e possível abertura de novas eleições. Para ele, a juíza aposentada que ficou célebre pela atuação no combate à corrupção tem de ser punida como qualquer outra pessoa.

Leia também:
AMAM repudia publicação de Selma e defende integridade de Sakamoto em processo de Caixa 2
 
“Um pleito eleitoral é muito sério, têm que ser cumpridas as regras, tem que ser cumprida a legislação e quem descumprir deve ser punido e eu espero que a Justiça entenda isso e faça o julgamento correto”, afirmou, em entrevista concedida na manhã deste sábado, durante encontro do MDB em um hotel de Cuiabá.
 
“Eu sou um democrata, confio nas instituições, confio na Justiça e a Justiça no Brasil vale para todos. Está demonstrado nos últimos anos. Já tivemos agora dois ex-presidentes presos. Nós temos grandes figuras políticas que cometeram irregularidades e foram presos, foram cassados, a Justiça serve para todos e eu confio na Justiça”, reforçou.
 
Fávaro assistiu a deputada estadual Janaína Riva (MDB) citá-lo em seu discurso, informando que o partido presido por Carlos Bezerra (MDB) estaria pronto para ser a base da campanha de Fávaro em caso de novas eleições neste ano.
 
Fávaro relembrou a expressiva votação alcançada em outubro passado, e afirmou que irá esperar a decisão da Justiça antes de anunciar qualquer pretensão eleitoral. “Esse é um outro passo. Vamos esperar as decisões. Eu estou muito feliz com a representatividade que tive nas urnas, quase meio milhão de votos. Ai após o julgamento, após as decisões da Justiça, nós vamos deliberar nosso futuro político”.
 
A juíza aposentada Selma Arruda é acusada de caixa dois na campanha vitoriosa que a conduziu ao Senado como candidata mais votada por Mato Grosso. Recame sobre ela as suspeitas de contratações de serviços de campanha antes do período permitido. A senadora nega as acusações.
 
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) irá apreciar o caso na terça-feira (9). O relator do caso é o desembargador Pedro Sakamoto. Mesmo que seja cassada no TRE, Selma pode recorrer no cargo. Somente uma condenação confirmada no Tribunal Superior Eleitoral tiraria Selma do mandato e abria novas eleições.
Sitevip Internet