Olhar Direto

Quinta-feira, 20 de junho de 2019

Notícias / Cidades

Cuiabana protesta contra xenofobia em Faculdade de Direito de Portugal

Da Redação - Thaís Fávaro

02 Mai 2019 - 15:05

Foto: Divulgação

Cuiabana protesta contra xenofobia em Faculdade de Direito de Portugal
Uma cuiabana e outros brasileiros realizaram um protesto em frente a Universidade de Lisboa, em Portugal, em repúdio à atitude de alguns acadêmicos do curso de direito que, no último dia 29, utilizaram cartazes oferecendo pedras para serem atiradas em alunos estrangeiros. Essa não seria a primeira vez que alunos de outras nacionalidades teriam sido vítimas de preconceito naquele país.

Leia mais
Mãe de garoto autista dá depoimento, pede menos preconceito e maior acesso ao diagnóstico
 
O cartaz estava em frente a uma caixa de madeira com pedras dentro, com os dizeres: “Gratis se for para atirar a um Zuca (que passou à frente no mestrado)”. Zuca é uma gíria usada para se referir aos brasileiros.


 
De acordo com a advogada cuiabana Jacqueline Haddah, que trabalha e estuda em Portugal, a atitude se refere à uma rixa que os portugueses têm com os brasileiros, que acabam conseguindo vagas no mercado de trabalho. “A maioria do RH português tem ordem expressa das empresas em recusar brasileiros, mesmo que muitos estejam mais qualificados e capacitados que os seus nacionais. Diga-se o Head Hunter da Michael Page na Feira da Empregabilidade na própria Ulisboa”.

O ingresso nas Universidades de Portugal é disputadíssimo. E embora havendo vagas para todos, os brasileiros entram primeiro, pois estão bem qualificados e pontuados. Além de tudo, o brasileiro não entra apenas com a competência, mas também com o dinheiro, que mantém as instituições funcionando e abertas.

Jacqueline está à frente da manifestação em repúdio à atitude dos portugueses. “A xenofobia contra os Brasileiros em Portugal é sutil, porém séria, velada e abafada pelas mídias tradicionais. Nenhuma ou qualquer providência são tomadas para coibir a violência verbal e física. Mesmo existindo uma Lei/2017 de combate a crimes raciais, nacionalidades, ascendência e território de origem”, diz ela em parte do texto publicado em sua página no Facebook.

“Todos os estudantes internacionais entraram através de acordos diplomáticos. Porém disputamos igualmente e entramos por mérito, atendendo todos os requisitos estabelecidos pelas instituições e pelo governo. Se não estão de acordo com as normas postuladas do seu país ou da instituição; reclamem a quem lhe é de direito e não descontem nos brasileiros. Ou talvez estudem mais para competir com as notas dos brasileiros”, afirma.
 
Os estudantes brasileiros relataram o ocorrido para o Departamento de Direito e para a Reitoria da universidade. Eles receberam uma carta resposta onde a universidade alega não tolerar nenhum tipo de xenofobia e discriminação, mas que todo mundo tem direito de fazer brincadeiras e sátiras, não dando a devida importância para o ocorrido.
 
Indignados, os brasileiros denunciaram o fato à imprensa e a direção da faculdade mudou a sua postura. “A universidade teve que reavaliar a conduta, porém ainda assim tem professores dizendo que estamos dramatizando, que gostamos de bagunça, de confusão. Não podemos aceitar que uma faculdade de Direito, onde se estuda sobre xenofobia, crimes raciais, que é formada por mestres e doutores, muitos condecorados, alegar que isso não foi nada. E isso não pode ocorrer não só na faculdade de Direito como outras faculdades do mundo”.

18 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • CURIMBATÁ
    03 Mai 2019 às 09:48

    TEM QUE CITAR O SOBRENOME...VOOTÊ! ADORA UMA CARTEIRADA. O MEU É CURVO E NO ENTANTO NÃO UTILIZO. AGORA COM RELAÇÃO AOS TURISTAS SEM FRONTEIRAS DA DILMA, É SÓ LAMENTOS!!!

  • paulo roberto
    03 Mai 2019 às 07:43

    Parece que está sem tempo de estudar pois isso é assim lá desde 1822... Além do que o ensino de segunda linha um professor lá ganha 1500 e outros por mês não consegue nem pagar moradia direito. E para quem é formado em Direito de nada serve estudar a matéria em outros países porque não se aplica no território nacional.

  • Juca
    02 Mai 2019 às 20:32

    Brasileiro que mora fora é e sempre será mal visto pelos estrangeiros. Não importa se vai p lá é a família tem dinheiro p bancar. Nos estado unidos também, nós brasileiros somos extremamentes maus vistos. Somos os la cucarachas. Nada que se faça mudará essa realidade.

  • Gladston
    02 Mai 2019 às 20:21

    Jacqueline haddad... esse sobrenome não me é estranho! Será que não estão sendo hostilizados lá na Europa por querer implantar a ideologia do petralha "haddad" nas escolas lá em Portugal assim como tentaram fazer aqui no "Brazuca"?

  • Mulher ma
    02 Mai 2019 às 19:58

    Simplesmente nao aceitem portugueses no brasil E nem brasileiros no portugal. Cada um na sua. Sinceramente nao tenho menor vontade de ir em portugal alem da lingua esquisita nao gosto de peixes.

  • Roberto A
    02 Mai 2019 às 19:11

    Mundo cada vez mais chato... Fobia isso, fobia aquilo..,

  • Maria Helena
    02 Mai 2019 às 19:02

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Paolo
    02 Mai 2019 às 18:39

    Tooomaaaa vai tcheira no quintal dos outros tomo no oio.

  • Clovis Ali
    02 Mai 2019 às 17:51

    Mi-mi-mi de riquinho. Pobre morre de fome...

  • jose a silva
    02 Mai 2019 às 17:16

    Volta pro seu país, se aí não está do seu agrado! Voce é inquilino aí, então aguente!

Sitevip Internet