Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Cidades

Funcionários de Distrito Sanitário são liberados após serem mantidos em cárcere privado por índios

Da Redação - Wesley Santiago/Isabela Mercuri / Da Reportagem Local - Fabiana Mendes

14 Mai 2019 - 11:50

Foto: Fabiana Mendes/Olhar Direto

Funcionários de Distrito Sanitário são liberados após serem mantidos em cárcere privado por índios
15h48 - O coordenador do Distrito Sanitário, Argon Norberto Hachmann, confirmou ao Olhar Direto que os funcionários que estavam sendo mantidos sob cárcere privado pelos indígenas foram liberados assim que ele chegou à unidade. "Houve uma conversa e logo eles liberaram todos, foi tudo muito pacífico e tranquilo".

12h28 - Funcionários do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), localizado no bairro Goibeiras, em Cuiabá, estariam sendo feitos 'reféns' por índios, desde o início da manhã desta terça-feira (14). Uma equipe da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) foi acionada e está no local tentando uma negociação. Eles pedem a saída do coordenador.

Segundo o apurado pela reportagem,  são aproximadamente 50 indígenas de Juina e Brasnorte, da etnia Enawenê Nawê. Eles estão no local com servidores, que foram proibidos de deixar a unidade. A unidade conta com 120 servidores.

Os índios estão reivindicando a saída do coordenador de saúde indígena, Argon Norberto Hachmann. Por enquanto, apesar dos servidores estarem trancados dentro da unidade, a situação é tranquila, segundo a Polícia Militar. 

Ao Olhar Direto, Argon relatou que estava em uma agenda e que está retornando ao local para conversar com os índios. Além disto, ele confirmou que um dos pontos contestados pelos indígenas é a demissão de um enfermeiro.

"Foi feita a realocação de um enfermeiro, mas ele recusou a ir para onde foi designado, sendo assim, acabou demitido. Como gestor, preciso tomar atitudes e tentar pacificar a situação. Infelizmente os indígenas estão sendo manipulados. Ele fala a língua deles muito bem e acaba gerando esta situação de cárcere privado", explicou.

O coordenador ainda acrescenta que existe um protocolo para estar situações e que a Polícia Federal já foi acionada para seguir até o local. "O que ocorre é um disputa entre três etnias. Eles têm dificuldades para entender processos burocráticos, é preciso um trato diferenciado".

O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) é a unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS). Trata-se de um modelo de organização de serviços – orientado para um espaço etno-cultural dinâmico, geográfico, populacional e administrativo bem delimitado –, que contempla um conjunto de atividades técnicas, visando medidas racionalizadas e qualificadas de atenção à saúde, promovendo a reordenação da rede de saúde e das práticas sanitárias e desenvolvendo atividades administrativo-gerenciais necessárias à prestação da assistência, com o Controle Social.

Atualizada às 12h01e às 12h28.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • CURIOSO
    14 Mai 2019 às 14:42

    Desce a borduna no lombo deles

  • alex r
    14 Mai 2019 às 14:18

    È assim que se resolve conflitos na terra de índio? Então leis dos brancos neles!

  • Juinense
    14 Mai 2019 às 14:17

    Olha só. Fazia uns dias que esses ai não saiam nas paginas policiais. Já em 2015 e 2016 só dava eles. Desde o homicídio de dois jovens lá na Juína, até a receptação de meia dúzia de camionetes roubadas.

  • Zeca
    14 Mai 2019 às 12:59

    Isto é sequestro, cárcere privado, obstrução do direito de ir e de vir, ou seja, isso é crime! Prendam esses índios pilantras já!

Sitevip Internet