Olhar Direto

Notícias / Cidades

Após morte de guarda municipal, faixa de pedestres é removida da Avenida da FEB

Da Redação - Fabiana Mendes e Thaís Fávaro

22 Mai 2019 - 17:26

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Após morte de guarda municipal, faixa de pedestres é removida da Avenida da FEB
A Prefeitura de Várzea Grande apagou a faixa de pedestres que ficava na Avenida da FEB, em Várzea Grande, nas proximidades da loja Havan.  O motivo ainda não foi divulgado, mas no último dia 13, um guarda municipal identificado como Marcel Silveira, de 34 anos, morreu ao ser atingido por um por um Celta, que o arremessou em um HR-V, quando ele parou para que uma pessoa atravessasse. 

Leia mais:
Motociclista bate na traseira de carro e fecha avenida da FEB em local que GM morreu; fotos

Quatro dias após a morte do homem, no mesmo trecho, uma motociclista, que não teve o nome divulgado, ficou ferida após colidir na traseira de um carro de passeio. Segundo as informações da Guarda Municipal, que atendeu a ocorrência, um carro de passeio seguia no sentido Várzea Grande-Cuiabá, quando parou na faixa de pedestre, em frente a Havan, para que uma pessoa atravessasse a avenida.

A decisão de remover a faixa causou reclamações daqueles que possuem dificuldades de locomoção. É o caso da aposentada Vera Maria, de 63 anos, que para não correr riscos, resolveu pegar um ônibus para ir ao terminal rodoviário do município e, depois pegar outro para retornar à Capital, pois tem medo de atravessar a via sem a faixa de pedestres. 
 
“O rapaz do banco que me atendeu disse que [a retirada da faixa] dificultou muito o acesso ao local. Eu vou me atrasar porque vou ao terminal. Eu não vou arriscar. Fico tempo no sol e não consigo atravessar, não tem condições. É perigoso, a gente não é jovem, tem dificuldade de locomoção”, reclama.
 
Maria das Graças, de 65 anos, mora no município e lamenta a retirada da faixa de pedestres. Ela conta que também encontra dificuldades de atravessar a via. Depois da retirada, ela tem que procurar um trecho sinalizado, pois não sente confiança de atravessar fora da faixa. “Aqui é difícil, é complicado”, pontua.  

Outro lado
 
Olhar Direto entrou em contato com o secretário de Comunicação, Marcos Lemos, para saber se a retirada da faixa de pedestre teria ligação com os acidentes ocorridos nas duas últimas semanas. De acordo com ele, as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) não foram concluídas de forma efetiva, o que dificultou o acesso dos pedestres em diversos pontos da avenida. Desta forma, algumas faixas de pedestres foram instaladas de forma provisória para atender o fluxo e os diversos acessos a bancos, empresas, indústrias, comércios e até mesmo residências, e que estudos estão sendo realizados para indicar quais locais deverão receber semáforos, radares e faixas de pedestres elevadas ou não para garantir maior segurança não só aos pedestres, mas também aos motoristas.
 
Confira a nota na íntegra;

A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande em relação ao pedido de esclarecimento deste conceituado órgão de informação explica:
 
•O sistema de trânsito deve comportar espaços para veículos automotores ou não, de qualquer natureza e também de pedestres;

• A falta de conclusão das obras do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT, impede ações de forma efetiva e não previsibilidade do acesso de pedestre em diversos pontos de cruzamento da Avenida da FEB que de forma alternada, dependendo dos horários de pico, tem um trânsito estimado entre 15 mil até 28 mil veículos/dia;

•Faixas de pedestres foram instaladas para atender o fluxo e os diversos acessos a bancos, empresas, indústrias, comércios e até mesmo residências, assegurando o direito de ir e vir com a segurança de todos os pedestres ou usuários de veículos automotores ou não;

•Estudos através da Engenharia de Tráfego estão sendo realizados pela Secretaria de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, para a implantação de Semáforos com Radares Fixos em 100 pontos de todas as principais ruas e avenidas de Várzea Grande que ainda serão licitados e contratados conforme preceitua a legislação;

• Estes estudos demonstrarão não apenas os locais de instalação dos Semáforos com os Radares Fixos e a necessidade de faixas de pedestre elevadas ou não;

• A Guarda Municipal em apenas uma hora de serviço em diversas vias em Várzea Grande, com monitoramento por radar móvel, detectou uma média de 35 veículos com velocidade acima do permitido em lei que é de 60 km/hora, lembrando que em alguns trechos da própria Avenida da FEB a velocidade permitida é de 30 km/h.

•  Em outros casos foram constatadas velocidade acima dos 100 km/h, o que aumenta em 90% as chances de acidentes.

As Secretarias Municipais de Comunicação Social, de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana e de Defesa Social, além da Guarda Municipal reafirmam que o Sistema de Trânsito de uma cidade do tamanho de Várzea Grande deve comportar não apenas veículos automotores, como também os pedestres e a segurança de ambos, sinalizando que a falta de respeito para as exigência do trânsito como limite de velocidade acabam sendo causadoras dos inúmeros acidentes com vítimas ou não.


 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Renato
    23 Mai 2019 às 10:25

    Por que tirar a faixa se seria mais prático acrescentar um semáforo. A avenida é muito movimentada e os pedestres não tem segurança alguma ao atravessar a mesma. Eu como piloto e motorista, já precisei atravessar a avenida e sei o quão difícil é. Pois precisava ir na loja que estava sentido oposto e no dia fui de ônibus até próximo, só que ao atravessar tive de me arriscar. Pois os motoristas são imprudentes e não respeitam. No meu ponto de vista teria de ter mais semáforos e uma câmera pra multar quem não respeitar o pedestre. Uma vez que o mesmo esteja na faixa. Cade nossos representantes?

  • Observo
    23 Mai 2019 às 10:05

    Várzea Grande sendo Várzea Grande, ao invés de colocarem um semáforo para o pedestre apaga a faixa, ou seja, pedestre atravesse voando.

  • Véio Joaquim
    23 Mai 2019 às 10:04

    APENSAS UMA FAIXA EM TODA EXTENSAO DA AV DA FEB NAO RESOLVE "NADA" - TEM Q SER FEITO PASSARELAS A CADA 1Km.....SIMPLES

  • PAULA
    23 Mai 2019 às 09:11

    Infelizmente têm pessoas que não tem noção, e que atravessam a faixa sem se importar se vem carro ou não. Não podem aguardar o momento adequado pra atravessar a rua. E o motorista do carro não tem tempo de frear, e o acidente acontece. Por outro lado, tem faixa que é muito mal localizada, que não era pra existir. Como pode haver uma faixa de pedestres no meio de uma avenida movimentada, sem sinaleiro? É pedir pra ter desgraça.

  • joao
    23 Mai 2019 às 08:45

    Tem que tirar mesmo essa faixa ai so causa acidentes, inves de voces da reportagem estar precupado com essas obras inacabadas querem causar polemica com faixa de pedestre.. ai é uma avenida nao é lugar de faixa alem do mais se quer atravessar que o estado faça uma passarela o que ajudaria muito o pedestre e ajuda no fluxo de veiculos no mais sem novidades.

  • Marcos
    23 Mai 2019 às 08:03

    Cuiabá e Várzea Grande viraram uma verdadeira bagunça de uns tempos pra cá. O que já era ruim continuou ruim e em alguns casos, pior. Sinalização de trânsito confusa, muitos trechos confusos, sem contar trechos que foram "espremidos" para passagem do VLT que ao invés de serem reconstruídos e devolvidos para o trânsito, já que o trem virou quase sucata, estão virando "lindos" canteiros de grama e árvores. Árvores que foram cortadas para implantação do modal. Na Fernando Correia por exemplo foi colocado um suporte para semáforo logo depois da rotatória em frente ao Nono BEC, sentido bairro/centro. Uma coisa totalmente sem sentido. Tão sem sentido que foi retirado bem antes da instalação do semáforo. Enquanto isso multas estão sendo distribuídas aos quilos. Tanto pedestres quanto motoristas e motociclistas, perdidos na maioria dos pontos de tráfego da cidade. Tudo isso juntado a pouca educação que a população tem para o trânsito, só pode dar nisso. Bagunça só gera bagunça.

Sitevip Internet