Olhar Direto

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Estado precisa arrecadar R$ 57 bilhões nos próximos anos para zerar déficit da previdência

Da Redação - Érika Oliveira

25 Mai 2019 - 16:54

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Estado precisa arrecadar R$ 57 bilhões nos próximos anos para zerar déficit da previdência
Constantemente criticada pelo governador Mauro Mendes (DEM), a previdência de todos os Poderes do Estado pode alcançar um déficit de R$ 57 bilhões, conforme aponta o relatório realizado pela consultoria atuarial Exacttus. O déficit atuarial é a contabilidade realizada para estimar o saldo devedor da previdência. Segundo o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, o valor é o que o Executivo precisa arrecadar nos próximos 35 anos para custear os benefícios.

Leia mais:
Mauro Mendes apresenta números do Estado a empresários e anuncia revisão de incentivos

“Devemos fechar este ano com um déficit de R$ 1,250 bilhão, acima do que foi ano passado de R$ 1,150 bilhão. O déficit financeiro é crescente, porque a massa de aposentados ela aumenta anualmente. Temos que discutir este tema e encontrar alternativas, seja pela previdência complementar, que deve vir um projeto de lei para esta Casa para os futuros servidores públicos do Estado, mas também um aporte de patrimônio de ativos para que a gente reduza o déficit atuarial, que é quanto o Estado tem que arrecadar de contribuição previdenciária nos próximos 35 anos para arcar com a massa de aposentados. Nosso déficit atuarial está hoje na casa de R$ 57 bilhões e é feito por uma auditoria independente que está revisitando esses números”, disse o secretário, durante apresentação do balanço das finanças do Estado, na Assembleia Legislativa.

O estudo, aprovado pelo Conselho de Previdência do Estado de Mato Grosso, foi realizado em 2018, com base nos dados de 2017, e é atualizado ano a ano. O relatório quantifica quanto o estado deve ter em caixa para pagar as aposentarias de todos os servidores públicos. A intenção é subsidiar gestores com informações para a tomada de decisão sobre como equacionar este déficit no futuro, de forma planejada.

“Precisamos de fato encontrar ativos para fazer gestão, gerar receita e permitir no futuro o pagamento das aposentadorias e pensões”, considerou o secretário.

Fortemente aguardada por Mauro Mendes, a Reforma da Previdência tramita com dificuldades na Câmara dos Deputados. Embora seja praticamente consenso entre os parlamentares, a matéria esbarra nos problemas de diálogo entre o Congresso e o Governo Federal. Para o governador de Mato Grosso, se o texto não for aprovado, o país poderá enfrentar “colapso econômico”.

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zé do Povo
    26 Mai 2019 às 15:56

    Começa aumentando a alíquota da Previdência sobre os super salários e super privilégios da PGE, TCE, TJ, Assembleia Legislativa E MP. Segundo o próprio governo, quando divulga o calendário do escalonamento, que 70% dos servidores públicos do Poder Executivo recebem menos R$ 5.500,00. Já os super privilegiados recebem salários parecidos com os dos jogadores de futebol famosos. Nossos POLÍTICOS, Juízes e MP custam muito caro para o Povo Contribuinte de MT. Sem falar dos perdões fiscais e incentivos fiscais concedidos aos poderosos. E o PIOR que só a remuneração dos servidores públicos do Poder Executivo de MT e do Brasil é a causa do rombo nas finanças públicas ( e previdenciária) da União, Estados e Municípios.

  • JUCABALA
    26 Mai 2019 às 15:39

    Como assim está quebrada? Então por que os governadores não querem participar da reforma de previdência do Bozo? Eles estão apoiando, mas só vale para os servidores públicos federais!!! Se os estados deles estão quebrados deveriam pedir a inclusão deles na reforma da previdência do Bozo!!!

  • sediclaur
    26 Mai 2019 às 11:49

    O déficit da previdência do estado existe mais em razão de que até 2002 a previdência patronal, sobre as folhas de pagamentos do estado, não era paga pelos governos. E isso é muito dinheiro, realmente gera um rombo absurdo na previdência. E esse dinheiro todo foi parar aonde?

  • Jhoy
    26 Mai 2019 às 09:50

    TEM UM MONTE UMA PENCA UMA ENXURRADA DE CORONÉIS DA PM TUDO COM A MÉDIA DE 50, 51, 52 ANOS DE APOSENTANDO CO SALÁRIO DE 30MIL. AI QUEBRA QUALQUER PREVIDÊNCIA DE QUALQUER ESTADO DE QUALQUER PAÍS.

  • Mario
    26 Mai 2019 às 08:35

    Incompetente ..estava na gestão passada heim ...Está sentado aí porque é amigo de Mauro mente...

  • tião dias
    26 Mai 2019 às 07:22

    Será que a receita estará estagnada por 35 anos? Puro terrorismo do secretário.

  • Clausilva
    26 Mai 2019 às 07:05

    Agora vai querer roubar dos pobres Com essa desculpa esfarrapada bando de incopetentes

  • Carlos Araújo
    25 Mai 2019 às 22:26

    Sem caixa ? A Sefaz trocou todas as divisórias da sede e gastou 980 mil reais, e não era necessária a troca...

  • Elida Cristiana da Silva
    25 Mai 2019 às 21:46

    Essa é a realidade de um governo que não dá conta de administrar um estado. Infelizmente votei nesse governo que acreditava que priorizaria a educação, vergonha para nosso estado. Os melhores países valorizam primeiramente a educação e esse governo infelizmente desmoraliza a educação. Mas infelizmente esse é o reflexo por não sabermos votar.

  • Areal
    25 Mai 2019 às 21:18

    Essa é sua função seu incompetente ..para de ficar chorando..vc estava na gestão passada..se não tem.competencia entregue o cargo...

Sitevip Internet