Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de junho de 2019

Notícias / Política MT

Chitãozinho será embaixador de projeto de Bolsonaro em Mato Grosso

Da Redação - Fabiana Mendes

25 Mai 2019 - 15:18

Foto: Reprodução

Chitãozinho será embaixador de projeto de Bolsonaro em Mato Grosso
Reportagem do jornal Estadão revela que o cantor sertanejo Chitãozinho, da dupla com Xororó, será embaixador do programa “Juntos Pelo Araguaia”. O projeto nasceu de uma parceria entre os governadores Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Mauro Mendes (DEM) e foi abraçado pelo Ministério do Meio Ambiente de Jair Bolsonaro (PSL). Chitãozinho foi escolhido, entre outros motivos, por ter se comprometido a reflorestar área de 58 hectares desmatados de sua fazenda. 
Leia mais:
Bolsonaro vem a Mato Grosso em junho para evento em comemoração ao 'Dia do Meio Ambiente'

Conforme noticiado pelo Olhar Direto, Bolsonaro estará em Mato Grosso no próximo dia 05 de junho para participar do projeto. O evento será em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. A intenção é revitalizar a Bacia Hidrográfica do Rio Araguaia, por meio de convênio com os governos Federal e de Mato Grosso.
 
Veja a reportagem na íntegra:

O cantor sertanejo Chitãozinho, da dupla com Xororó, será embaixador do programa “Juntos Pelo Araguaia”, com foco na recomposição florestal e conservação do solo e da água. O projeto nasceu de uma parceria entre os governadores Ronaldo Caiado (GO) e Mauro Mendes (MT) e foi abraçado pelo Ministério do Meio Ambiente de Jair Bolsonaro. Chitãozinho foi escolhido, entre outros motivos, por ter se comprometido a reflorestar área de 58 hectares desmatados de sua fazenda. A mensagem: agronegócio e meio ambiente podem andar juntos.

Show dos amigos. Chitãozinho não receberá cachê. O lançamento será em 5 de junho, Dia Internacional do Meio Ambiente, entre os municípios de Aragarças (GO) e Barra do Garças (MT). Está prevista a participação de Jair Bolsonaro.

Rancho fundo. Na primeira etapa do programa, serão recuperados 5 mil hectares em cada Estado. Se der certo, o governo federal vai expandir para as demais unidades da Federação.

Diz que é verdade. Em fevereiro, internado no hospital Albert Einstein, em SP, Bolsonaro chorou ao ouvir uma interpretação de Evidências, clássico de Chitãozinho e Xororó.

Memória boa. Um ex-ministro lembra que o conjunto habitacional inaugurado por Bolsonaro em Petrolina (PE) foi construído quase integralmente pelo governo de Michel Temer.

Captei. Não passou despercebida pela frente evangélica a tentativa de Dias Toffoli de adiar a votação no STF para depois de a Câmara apreciar o projeto de criminalização da homofobia aprovado no Senado.

Aritmética. Depois de a Coluna revelar que o juiz Paulo Antônio de Carvalho recebeu R$ 762 mil só no contracheque de abril, o Sindicato dos Servidores da Justiça de MG fez as contas: um servidor em início de carreira levaria 21 anos para alcançar o valor.

SINAIS PARTICULARESGOVERNADORES.

Paulo Câmara (PSB-PE)


Desnecessário. Apesar de membros da equipe econômica tentarem minimizar a fala de Paulo Guedes de que pode sair do governo caso seja aprovada uma “reforminha” da Previdência, entenderam que ela caiu mal no Congresso.

Perspectiva. “Vamos aprovar a reforma com ou sem Guedes. Ele tem que entender que o cargo dele não é maior que o País”, disse Marcelo Ramos (PR-AM), Comissão Especial.


Taokei. No mercado financeiro, o impacto da declaração fez cócegas

CLICK. Preso em fevereiro – e solto logo em seguida, Robson Andrade reassumiu a presidência da CNI em evento fechado, com um banner em sua homenagem.

Tapetão. Sobre a liminar da Justiça que reconduz Lucas Sorrillo ao comando da Juventude Tucana, o diretório paulista diz que a suspensão da eleição da corrente foi tomada pela Executiva anterior e referendada pela atual devido a “vícios no processo eleitoral”.

Tapetão 2. Os “vícios” foram informados à Justiça na defesa protocolada hoje, afirma o diretório estadual. “O PSDB seguirá valorizando sua democracia interna”, diz Marco Vinholi, atual presidente do partido em São Paulo.

PRONTO, FALEI!

Otto Alencar, líder do (PSD-BA): “O Brasil caminhou até agora sem o Paulo Guedes. Será que ele pensa que é insubstituível? Se ele sair, chama o Meirelles que ele vem”, sobre fala do ministro.

COM REPORTAGEM DE JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU NAIRA TRINDADE E DANIEL WETERMANN

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Arnaldo Leite Albquerque
    25 Mai 2019 às 23:43

    O cara é desmatador e vira embaixador do meio ambiente, só aqui no país do bolsonario.

  • Pedrão
    25 Mai 2019 às 18:14

    Quando vi a chamada, imaginei um dos projetos raiz de bolsonaro: armar a população "de bem" endinheirada acabar com os radares vender os ativos do país... esqueci algum? Acho que não. Com o avanço do desmatamento (e envenenamento do meio ambiente) sob esse governo, seguramente a pauta da matéria não é um projeto do presidente.

  • Tarso Oliveira
    25 Mai 2019 às 16:00

    Jogará seu nome na lama.

  • Gerolino Lopes Fontes
    25 Mai 2019 às 15:58

    Não é uma reportagem, é só uma coluna. O site tenta valorizar o desvalorizado Bolsonaro. Lamentável... Coutinho faz falta, o OD não tem mais cérebro.

Sitevip Internet