Olhar Direto

Quinta-feira, 18 de julho de 2019

Notícias / Política MT

Após licença, Botelho descarta pagar RGA e pede mais tempo para decidir candidatura a prefeito

Da Redação - Érika Oliveira

03 Jun 2019 - 10:44

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Após licença, Botelho descarta pagar RGA e pede mais tempo para decidir candidatura a prefeito
O deputado Eduardo Botelho (DEM) reassumiu, na manhã desta segunda-feira (03), o comando da Assembleia Legislativa de Mato Grosso após pouco mais de 40 dias licenciado para tratar de questões pessoais. O período, segundo o democrata, não foi suficiente para decidir sobre uma eventual candidatura a prefeito no próximo ano. Por ora, segundo o chefe do Legislativo, seu foco será a retomada de diálogo com os servidores que devem reagir ao anúncio da suspensão do pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), conforme determinação do Tribunal de Contas do Estado.

Leia mais:
TCE condiciona RGA de servidores do Executivo ao repasse de duodécimo aos Poderes

“Nós estamos no limite e já fomos alertados pelo TCE antes da minha licença. Então, nós não podemos conceder aumento agora”, declarou o deputado, referindo-se à recomposição dos servidores da Casa de Leis.

A mesma regra deverá ser empregada aos servidores do Executivo, cujo benefício deveria ter sido aplicado no mês passado, mas segue suspenso em função da aprovação do pacote de medidas de Mauro Mendes (DEM), no início do ano, que condicionou o pagamento ao incremento do caixa do Estado.

“Nós vamos estar juntos intermediando, participando junto com os sindicatos, com o Governo. A Assembleia vai estar fazendo seu papel que é ser palco das discussões e nós vamos chamar essa responsabilidade”, assumiu Botelho.

Até o momento, somente o Tribunal de Justiça e o Ministério Público confirmaram o pagamento da RGA aos seus servidores. Durante o período em que esteve à frente da Presidência da Assembleia, a deputada Janaina Riva (MDB) sugeriu um acordo entre todos os Poderes para evitar desgastes. A ideia era que a recomposição não fosse paga por ninguém, mas o pleito não foi acatado.

Eleições 2020

Ao entrar de licença, em abril, Botelho afirmou que utilizaria o período para refletir sobre a possibilidade de disputar as eleições do próximo ano. O parlamentar, que está em seu segundo mandato como deputado estadual, afirmou que estaria pronto para concorrer, fosse para a Prefeitura de Cuiabá ou a de Várzea Grande.

O regresso de Botelho, no entanto, frustrou eventuais planos de quem pretendia iniciar campanha neste momento. Acompanhando posicionamento de lideranças do seu partido, o deputado decidiu deixar as discussões para 2020.

“Deu para pensar, mas eu acho que precisa pensar mais. Essa discussão nós vamos deixar para o próximo ano”, limitou-se a declarar, quando questionado sobre o assunto.  

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Junior
    04 Jun 2019 às 06:34

    Esse aí n tem vergonha. Entupiu a ALMT de comissionados e agora vem com essa. Abram o olho na hora do voto!!!

  • Descrente
    04 Jun 2019 às 00:10

    O FÓRUM SINDICAL SE ACOVARDOU!

  • AFFF
    03 Jun 2019 às 19:36

    Se o Poder Executivo não arrecada como previsto, então o repasse aos demais Poderes deveriam ser cortados na mesma proporção, assim, logo, esses poderes também estariam extrapolando os limites se considerar essa nova base de calculo! Que tal essa metodologia?

  • Joao Soares
    03 Jun 2019 às 15:53

    Se candidatar a Prefeitura de Cuiabá vai levar uma surra nas urnas, vamos dar o troco.Muda Brasil

  • Rodney
    03 Jun 2019 às 13:37

    Significa dizer que vem mais corte de salário por aí. Não adianta dar murro em ponta de faca. Meu avô já dizia que a corda só arrebenta do lado mais fraco. E a conta de energia, água, gás, fatura do cartão, combustível? Os sindicalistas do PT vão pagar? Esta greve é eleitoreira. Saiam fora enquanto é tempo.

  • JORGE1
    03 Jun 2019 às 12:38

    Ao confirmarem o pagamento do RGA, o TJ e MP até faz transparecer que não fazem parte do Estado.

  • JORGE LUIZ
    03 Jun 2019 às 12:31

    ESSA DE NÃO CONCEBER A RGA AOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA DE MT É CONVERSA FIADA DE BEDELHO EM CONLUIO COM MAURO MENTE, ASSIM ELES FALAM A MESMA BESTEIRA PARA OS GREVISTAS DA EDUCAÇÃO DE MT, DEPOIS QUE A GREVE ACABAR A ASSEMBLEIA DÁ A RGA E AINDA COM RETROATIVO A JANEIRO DE 2019, QUEREM APOSTAR?

  • Antônio
    03 Jun 2019 às 11:34

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet