Olhar Direto

Notícias / Política MT

Vazamento não desautoriza altura moral de Sérgio Moro e não desqualifica provas, diz Selma

Da Redação - Lucas Bólico e Vinícius Mendes

10 Jun 2019 - 17:15

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Selma Arruda ao lado de Sérgio Moro

Selma Arruda ao lado de Sérgio Moro

A senadora Selma Arruda (PSL) defendeu o ministro Sérgio Moro, que teve trechos de conversas privadas vazados em série de reportagens publicadas por The Intercept Brasil na noite de domingo (9). Para a juíza aposentada, ainda não está claro se os diálogos são mesmo de Moro, mas mesmo que sejam, não afetam a credibilidade do ex-magistrado e nem invalidam os julgamentos conduzidos por ele, quando atuava na Justiça Federal em Curitiba. Dentre os condenados por Moro está o ex-presidente Lula.

Leia também:
Juiz não pode ser um mero homologador das colaborações premiadas, destaca Selma
 
"É difícil exprimir uma opinião acertada a respeito do assunto porque a gente tem que partir da premissa que esses vazamentos são vazamentos que vêm de conteúdos reportados. Nós não temos a noção exata de todo o teor dessas conversas. A gente pega uma frase, duas e fica tirando a conclusão. Então eu acho que é muito prematuro se falar nisso. Outra coisa, eu acredito que o juiz Sergio Moro, ainda que tenha sido realmente autor dessas frases, não sei se foi ou não, mas ainda que tenha sido, ele não ultrapassou os limites do que é ético, do que é legal”, avaliou Selma, com cautela.
 
Antes de entrar para a política, Selma foi juíza em Mato Grosso e se notabilizou, assim como Sérgio Moro, no combate à corrupção. Para a hoje senadora, os diálogos publicados por The Intercept Brasil são naturais. As reportagens revelam atuação em parceria entre Moro e membros do Ministério Público Federal.
 
“Essas conversas elas costuma ser naturais entre colegas de trabalho. Você trabalha o tempo todo com determinada equipe de promotores, delegados e mesmo advogados, você troca idéia com eles. Isso é natural. Acho que estão fazendo uma super exposição de uma coisa que está sendo vista de forma parcial”, opinou.
 
As reportagens mostram suposta intenção dos membros da Lava Jato em evitar que o PT vencesse as eleições de 2018, possível dúvida dos procuradores quanto à denúncia oferecida contra Lula no caso do triplex (em que houve condenação proferida por Moro) e suposta colaboração do juiz junto ao órgão acusador, prática vedada na Constituição Federal.
 
Selma sustenta que o vazamento das conversas não deve provocar revisão das penas já aplicadas em decorrência das investigações da força-tarefa tocada em Curitiba.

“Ainda que todos esses conteúdos sejam verdadeiros, isso não inocenta ninguém. Isso não desconstitui nenhuma prova, isso não é motivo para anulação de processo, não é motivo para se retroceder. A gente precisa parar de focar em coisas pequenas para tirar o foco daquilo que realmente interessa que é o fato de o Brasil ter sido levado ao chão por essas pessoas que durantes décadas e décadas fizeram do Brasil um garimpo. As pessoas garimparam aqui, tiraram tudo o que tinha, todas as nossas riquezas e agora nós estamos tentando nos levantar, nos recobrar”, avaliou.
 
“Sérgio Moro é um homem de extrema credibilidade. O Brasil inteiro confia nele. Esses diálogos ai, ainda que sejam de autoria dele, que a gente não pode concluir que são porque foram obtidos por meio ilícito, então ainda que sejam de autoria deles, eles não desautorizam a altura moral de Sérgio Moro e nem desqualificam qualquer prova que tenha sido levada para esses processos. Portanto eu não vejo nenhum motivo para esse escândalo todo que estão fazendo”, finalizou.  
 
Vazamento das conversas
 
The Intercept Brasil publicou na noite de domingo quatro reportagens, do que deve ser uma série, sobre conversas privadas entre membros da força-tarefa da Lava Jato. Os textos revelam possível colaboração do então juiz Sérgio Moro com o Ministério Público Federal, a suposta intenção de membros do MPF em impedir entrevista do ex-presidente Lula para evitar benefícios eleitorais ao candidato Fernando Haddad (PT) na corrida presidencial que elegeu Jair Bolsonaro e dúvidas do procurador Deltan Dallagnol com relação às denúncias oferecidas contra o ex-presidente Lula no caso do triplex.  

31 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Laura
    11 Jun 2019 às 13:56

    Para os homens admiradores do Moro entenderem melhor: Imagina se a advogada da sua ex está combinando com a Juíza as provas contra você em um processo de pensão alimentícia...

  • BOLSOMINION ARREPENDIDO
    11 Jun 2019 às 13:46

    Um Juiz que se vestia de anti-corrupção e que agora presta a este papel? Que vergonha!! Tudo que é de ruim o Bolsonaro está perto, que arrependimento. Um dia a mascara dele também cai e vão descobrir seu envolvimento com coisa pesada. Eu sinto muita vergonha pelo povo que votou nele. Ainda bem que são pessoas verdadeiramente não-corruptas, corretas e que vão enxergar isso a tempo

  • Seu Joao
    11 Jun 2019 às 13:02

    Fecha a perna Senhorita!!!

  • JOSE CONCEICAO FERREIRA
    11 Jun 2019 às 11:51

    aqui so tem xonamo do PT

  • Luiz
    11 Jun 2019 às 10:29

    A verdade é que a justiça de sinédrio, sempre agiu dessa forma, em coloio com mp. Maior parte de suas decisões são política e não técnica no intuito de se alto promoverem na mídia, para futuras intenção política, e sempre sev mostrando e opinando sobre o processo em público, mas a verdade sempre prevalecerá, tão provando da mesma receita que produziram, a opinião da juíza não poderia ser diferente pois usou da mesma receita, mas ao contrário deles, devem ser julgado de acordo com a lei e seus direitos instituído no dispositivo ARTIGO 5 da constituição, quem sabe com agora a justiça deixa de ser cega e passar enchegar de verdade o que se passa no sistema jurídico brasileiro. O resto é só piada

  • Pedrão
    11 Jun 2019 às 08:34

    Aí depende da régua que a sra. vai usar, senadora. De fato, há umas reguinhas bem pequenas. Já as provas, mesmo que não sirvam contra os dois principais acusados de conspiração, não serão esquecidas em reexame superior das decisões já proferidas.

  • Pedro
    11 Jun 2019 às 08:29

    Moro condenou por abusos, passou por cima de direitos, tudo sob o olhar da justiça cega e virou ministro! Ela fez o mesmo aqui e virou senadora! Farinha do mesmo saco!!!!

  • Prof. Orlando
    11 Jun 2019 às 07:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Maria
    11 Jun 2019 às 07:29

    A Selma fez igualzinho aqui em MT.

  • Marcelo Lira
    11 Jun 2019 às 07:22

    O Brasil tá lascado mesmo em, e pensar que os dois da foto que seriam grandes atuantes no combate a corrupção, agora são meros futuros ex, por conta da corrupção.

Sitevip Internet