Olhar Direto

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Família procura por servidora pública que desapareceu após sacar dinheiro em Cuiabá

Da Redação - Wesley Santiago

11 Jun 2019 - 14:48

Foto: Reprodução

Família procura por servidora pública que desapareceu após sacar dinheiro em Cuiabá
A família de Fabiana Marisney Cintra da Silva, 41 anos, está desesperada em busca do seu paradeiro. Ela não é vista desde a última segunda-feira (10), quando disse que iria para uma reunião na Escola Maria Herminia, no bairro CPA 4, em Cuiabá, onde trabalha. A mulher sacou dinheiro e saiu de casa com duas sacolas. O último a vê-la foi um taxista, que presta serviços para ela e a mãe há pelo menos um ano.

Leia mais:
Polícia procura gerente da fazenda de Jayme Campos que está desaparecido
 
“Ela falou para a minha mãe que ia na escola, em uma reunião, já que ela é agente de pátio. Pediu um táxi e entrou no carro lá na esquina de casa. Como ela não voltou, minha mãe ligou para o motorista, que afirmou que ela saiu com duas sacolas”, disse o irmão de Fabiana, Paulo Henrique Cintra da Silva.
 
O taxista contou ainda que levou a servidora pública até um mercado no bairro CPA 3, onde ela fez um saque em dinheiro. Depois, o motorista alega que deixou a mulher próximo ao Hospital Júlio Muller, no Centro de Cuiabá.
 
“O taxista faz corridas para minha mãe e minha irmã tem um ano. Ele disse que foi na frente do hospital que a viu pela última vez. Minha irmã só vai de casa para o serviço e faz o caminho inverso. Não tem amizades fora deste círculo, não bebe e nem namora. Registramos o BO e estamos em busca de informações”, explicou Paulo Henrique.
 
 A Polícia Civil já foi informada do desaparecimento e busca imagens na região do hospital, para confirmar a versão apresentada pelo taxista. A servidora sofre de diabetes. Na escola onde ela trabalha, nenhum dos funcionários soube dizer o paradeiro dela.
 
“Estamos tentando conseguir acesso as transações bancárias dela. Queremos saber se teve outra movimentação, algo que nos ajude. Isto nunca aconteceu antes, minha mãe é cadeirante, quem cuida dela é minha irmã. Ela não está nem comendo”, finalizou Paulo Henrique.
 
Quem tiver informações pode entrar em contato através dos seguintes telefones: (65) 9 9224-4702 ou (65) 9 9229-5829.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tarso Oliveira
    11 Jun 2019 às 22:03

    Faz cara de coitadinho, pose de arminha, tira selfie e manda pra Bolsonaro.

Sitevip Internet