Olhar Direto

Segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Notícias / Educação

Estudantes da UFMT realizam pesquisa para identificar e combater bactérias multirresistentes

Da Redação - Thaís Fávaro

12 Jul 2019 - 08:05

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Estudantes da UFMT realizam pesquisa para identificar e combater bactérias multirresistentes
Os acadêmicos da Faculdade de Medicina Veterinária (Favet) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realizam uma pesquisa para identificar microrganismos e qual a melhor medicação para combatê-los. O objetivo do estudo é controlar e diminuir a proliferação de bactérias multirresistentes a antibióticos e auxiliar em estratégias para reduzir o uso indiscriminado de medicamentos para tratar diferentes tipos de infecções.

Leia mais
Para evitar corte de energia na UFMT, reitora pede dinheiro para ministro da Educação 
 
A professora e coordenada da pesquisa, Valéria Dutra, trabalha com materiais coletados de humanos, animais silvestres e animais domésticos com diferentes doenças. Essas amostras passam por um processo de isolamento bacteriano e são submetidas a testes de susceptibilidade com diferentes classes de antibióticos, o que permite a identificação do tratamento correto para as infecções causadas por cada microrganismo.
 
"Além da identificação bacteriana, são realizadas técnicas baseadas na sequência de DNA da bactéria para a detecção de genes de resistência a antimicrobianos, genes de virulência e também técnicas que agrupam e classificam esses isolados como mais ou menos resistentes. Esses materiais são comparados a bancos de dados mundiais, como a técnica de Multi Locus Sequencing Typing (MLST)", afirmou Valéria.
 
Para a professora, é necessário que haja mais investimentos na área de pesquisas relacionadas ao assunto e maior controle na administração de antibióticos, tanto na linha humana quanto na veterinária.
 
"Enquanto não houver o uso preciso de medicamentos, o número de bactérias resistentes a drogas continuará aumentando. Irá chegar uma hora que nós não teremos fármacos para serem utilizados e já existem casos em que uma pessoa está infectada por bactérias resistentes a todos os antibióticos disponíveis no mercado", concluiu.
 
Em abril deste ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) revelou que, até 2050, 10 milhões de pessoas no mundo podem morrer a cada ano devido a doenças resistentes a medicamentos.
 
Estão envolvidos na pesquisa estudantes de iniciação científica, doutorandos, mestrandos e professores do Hovet e da Faculdade de Medicina Veterinária. Além da parceria com o professor Francisco José Dutra Souto e o médico infectologista Francisco Keneddy, ambos do Hospital Universitário Julio Muller.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet