Olhar Direto

Terça-feira, 23 de julho de 2019

Notícias / Cidades

Alvos de operação, empresários desmataram madeira suficiente para encher oito mil caminhões

Da Redação - Wesley Santiago

12 Jul 2019 - 08:20

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Alvos de operação, empresários desmataram madeira suficiente para encher oito mil caminhões
A ‘Operação Florestas de Papel’, deflagrada nesta sexta-feira (12), com o objetivo de desarticular esquema de exploração ilegal de madeiras na região amazônica nos períodos entre 2014 e 2017, tem empresários como alvos. Eles foram responsáveis por diversos tipos de fraudes que chegam a atingir R$ 80 milhões e também pelo desmate de madeira suficiente para encher oito mil caminhões.

Leia mais:
PF cumpre 64 mandados contra envolvidos em esquema de desmatamento que movimentou R$ 80 milhões
 
Os fatos foram apurados ao longo de seis inquéritos policiais, com apoio do Ministério Público Federal (MPF) e indicam diversos tipos de fraudes cometidas por empresários para dar aparência de legalidade ao comércio e movimentação de madeiras.
 
As fraudes eram realizadas no SISDOF, sistema do IBAMA que gerencia a expedição dos Documentos de Origem Florestal (DOF). O DOF é uma licença obrigatória para o controle do transporte e armazenamento de produtos e subprodutos florestais de origem nativa, como toras de madeira e madeira serrada. A PF identificou mais de 91.000 metros cúbicos de madeira serrada que teriam sido “regularizadas” mediante fraude.
 
Convertido em toras de madeira, este quantitativo se aproxima de 260.000 metros cúbicos, ou 120.000 toras, o suficiente para carregar aproximadamente 8 mil caminhões. Dentre as espécies identificadas encontram-se Ipês, Cedros, Maçarandubas, Aroeiras e Jacarandás, dentre outras. No mercado, o valor das madeiras envolvidas na fraude poderia chegar a quase 80 milhões de reais.
 
O esquema utilizava empresas de fachada para conseguir ou utilizar DOFs, os quais eram empregados para “esquentar” madeiras retiradas ilegalmente com a simulação de extração, compra ou venda de madeiras entre as próprias empresas do esquema. Vinte e duas empresas são investigadas, e vários dos sócios seriam laranjas dos reais proprietários. A maior parte das madeireiras investigadas são localizadas no sul do estado de Roraima.
 
Operação
 
A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (12), a ‘Operação Florestas de Papel’, com o objetivo de desmantelar um esquema de desmatamento ilegal que movimentou pelo menos R$ 80 milhões. Os mandados de prisão e busca e apreensão são cumpridos em Mato Grosso e outros quatro Estados. No total, são 150 agentes envolvidos na ação.
 
No total, são cumpridos oito mandados de prisão, 56 de busca e apreensão e quatro de suspensão de atividades econômicas. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara da Seção Judiciária de Roraima.
 
As ordens judiciais são cumpridas nos seguintes Estados: Mato Grosso, Roraima, Amazonas, Maranhão e Pará.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zeca
    12 Jul 2019 às 10:50

    "desmatamento de madeira". O analfabetismo funcional chegou ao limite máximo no Brasil. Não sabem discernir o que é desmatamento (derrubada de matas) e extração de madeira (corte somente de troncos para beneficiamento). E assim segue o povo brasileiro, cada dia pior.

  • OCurioso
    12 Jul 2019 às 09:13

    "Essa notícia só pose ser fake news". Segundo o representative eleito do povo não tem desmatamento na Amazônia. Abre o olho Europa!

Sitevip Internet