Olhar Direto

Notícias / Política MT

Governador ameniza críticas de Selma e afirma que projeto dos incentivos é quase consenso em MT

Da Redação - Érika Oliveira

15 Jul 2019 - 14:14

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Governador ameniza críticas de Selma e afirma que projeto dos incentivos é quase consenso em MT
O governador Mauro Mendes (DEM) decidiu não revidar as críticas da senadora Selma Arruda (PSL) sobre a minirreforma tributária embutida no projeto de revalidação dos incentivos fiscais. Apesar do discurso pesado da pesselista, o chefe do Executivo defendeu que a proposta do Governo, em análise na Assembleia Legislativa, já é quase um consenso entre os setores impactados pelas mudanças na lei e pontuou que, embora respeite a opinião pessoal da parlamentar, não irá voltar atrás no que propôs sua equipe econômica.

Leia mais:
Selma diz que minirreforma tributária de Mendes “desrespeita o cidadão” e afugenta investidores

“Na política a gente tem que aprender a ouvir tudo que se diz, isso faz parte da democracia, mas agir e decidir em cima de fatos e dados. E eu tenho fatos e dados, já apresentei aos setores e construímos um diálogo muito tranquilo, muito harmônico, eu fiz pessoalmente diálogo com todos e a maioria já consensuou. Nós tivemos a divulgação aí pela imprensa de vários segmentos elogiando o projeto. Se faz Governo sério com fatos e dados e é isso que nós estamos buscando fazer. Eu não vou trocar impressões sobre opiniões pessoais. Nós temos que respeitar todas elas, mas ter a firmeza de tocar o Governo em cima daquilo que é melhor para Mato Grosso”, respondeu Mauro Mendes, ao ser questionado sobre a fala da ex-juíza.

Na semana passada, Selma disse que o projeto de Mendes iria afugentar investidores do Estado e afirmou, ainda, que o texto era um desrespeito ao cidadão, pois para ela a proposta criaria novos tributos.

A minirreforma tributária elaborada pelo Governo do Estado foi acoplada ao projeto de revalidação dos incentivos fiscais enviado à Assembleia Legislativa. O texto não cria novos impostos, mas modifica as aliquotas de contribuição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para alguns setores.

A matéria precisa ser aprovada até o dia 31 de julho, sob pena de Mato Grosso perder mais de 70 incentivos fiscais junto ao Confaz. A complexidade do projeto, por conta da minirreforma tributária embutida, provocou diferentes reações no Legislativo que setorizou comissões para analisar os impactos da proposta setor por setor. A expectativa é de que esta semana um substitutivo integral ao texto de Mendes seja apresentado.

Se aprovadas, as novas regras estipuladas pelo governador Mauro Mendes só passarão a valer a partir do próximo ano.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Anderson
    16 Jul 2019 às 08:17

    Farra, vai la na Sesp que acaba de contratar por dispensa de licitação projetos de obra por 124 mil reais, isso que é farra, um projeto desses não custaria nem 20 mil, aonde vamos parar....

Sitevip Internet