Olhar Direto

Notícias / Política MT

Governador enfrenta ameaça de obstrução e diz que atender grevistas seria irresponsável

Da Redação - Érika Oliveira

15 Jul 2019 - 15:11

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governador enfrenta ameaça de obstrução e diz que atender grevistas seria irresponsável
O governador Mauro Mendes (DEM) reconheceu a legitimidade dos deputados estaduais obstruirem a pauta de votações na Assembleia, o que impediria a aprovação do projeto de incentivos fiscais, mas reforçou a incapacidade do Executivo em atender as reivindicações dos profissionais da Educação que estão em greve. Mendes argumenta que a execução da Lei 510 seria o mesmo que “dar um cheque sem fundos”.

Leia mais:
Mauro recusa proposta da Assembleia para pagar reajuste parcelado a servidores da Educação

“Se obstruir a pauta mudar a lei de responsabilidade fiscal ou fazer entrar mais dinheiro no caixa, ok. Resolveu, tá resolvido. Se fazer proposta também resolver o problema da LRF ou fazer entrar dinheiro no caixa, ok, problema resolvido. Mas nada disso aconteceu. Eu respeito a Assembleia, eles têm uma dinâmica muito mais voltada ao diálogo e é importante que eles façam esse diálogo. Não tem problema nenhuma eles formatarem proposta, nós estamos aqui para ouvir, mas vamos decidir em cima da verdade e de fatos concretos. Eu não vou ser uma administração irresponsável que fica dando cheque sem fundos, autorizando gastos”, rebateu o governador.

Os deputados estaduais têm até o dia 31 de julho para aprovar o projeto dos incentivos fiscais de Mauro Mendes, mas na semana passada ameaçaram trancar a pauta até que o governador apresente alguma proposta para os servidores da Educação, em greve desde o dia 27 de maio.

A ausência dos parlamentares no Plenário impede o andamento das sessões legislativas, principalmente a Ordem do Dia, quando é necessária a presença de 13 dos 24 parlamentares para votação das matérias em tramitação. Quando não há votos suficientes para derrubar determinado projeto, é comum que deputados contrários saiam do Plenário para que, não havendo quórum, o texto não entre em apreciação. Como tem maioria, a base de Mauro, em tese, seria capaz de impedir a oposição de obstruir o trabalho legislativo.

Na semana passada, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), se irritou e cobrou organização da base do Governo. “É um direito deles obstruir. Cabe ao governo organizar a sua base para vir”, reclamou Botelho, ao final da sessão ordinária de quinta-feira (11), em que nada foi votado. “O que está faltando é a base do governo, que não está presente”, completou.

Sem acordo

Paralisados desde o dia 27 de maio, os servidores da Educação elaboraram junto da Assembleia Legislativa uma proposta, na semana passada, de parcelamento da recomposição salarial prevista na Lei 510, principal reivindicação do movimento grevista.

A proposta, no entanto, foi recusada pelo governador Mauro Mendes. “Já respondemos a AL da mesma forma que dissemos para todos. Existe uma Lei Federal que é superior às estaduais e diz claramente que estourando limite de gasto com pessoal, ficamos impedidos de dar qualquer aumento. Não temos condições. Se obstruir a pauta mudar a LRF ou fazer entrar mais dinheiro no caixa, não tem problema, está resolvido. Nada disto aconteceu”, disse o governador, na ocasião.

21 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pardal
    16 Jul 2019 às 10:55

    Pelo que vejo o governo de MT tem medo de negociar com a educação, com o Fórum Sindical, cadê a capacidade de negociar com as classes? O dinheiro já saiu, a inflação já corroeu o salário dos trabalhadores, que falta de imaginação? Todo bom gestor deve negociar para o sistema não entrar em colapso!

  • Pardal
    16 Jul 2019 às 10:55

    Pelo que vejo o governo de MT tem medo de negociar com a educação, com o Fórum Sindical, cadê a capacidade de negociar com as classes? O dinheiro já saiu, a inflação já corroeu o salário dos trabalhadores, que falta de imaginação? Todo bom gestor deve negociar para o sistema não entrar em colapso!

  • POVO
    16 Jul 2019 às 09:43

    ISSO MESMO GOVERNADOR ,NAO DÁ MOLEZA PRA ESSES PETISTAS.VAO TRABALHAR CAMBADA.

  • Aa2
    16 Jul 2019 às 09:34

    Parabéns governador, apoio os professores de verdade que realmente dão resultado a educação, mas infelizmente a educação em nosso estado esta uma calamidade, tem alunos da 5 6 e até 7 serie que não sabem fazer contas de multiplicação e divisão, então primeiro deem resultado depois vamos as cobranças, ate lá parabéns governador.

  • Cesinha
    16 Jul 2019 às 09:17

    A população pode acompanhar agora a arrecadação do Estado, e mostra nos últimos 6 anos, que a arrecadação do aumenta consideravelmente. O que falta é ótimos gestores, maior eficiência no gasto público, transparência e não gestores incompetentes. Se é uma lei que os professores cobram, então tem que o estado cumprir e não questionar e criar leis para não cumprir. A sociedade não caiu nesta propaganda mentirosa do governo, pois todos têm e vive a educação. Parcela esse acordo governador

  • Carlos
    16 Jul 2019 às 09:02

    Demissão desses desocupados já. Outras classes estaduais estão trabalhando sem RGA, porque só eles. Privatização do ensino público de MT já.

  • gilberto
    16 Jul 2019 às 07:30

    Realmente o Ensino não está bom! Até os professores reconhecem e lutam para fazer melhor mas a educação dos alonos que vem de casa e das famílias está pior! O que fazer então deixar os Pais morrerem De fome?

  • Cpa
    16 Jul 2019 às 00:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Rondonopolitano
    15 Jul 2019 às 22:44

    Aquele que chama os professores de desocupado.desocupado é a vossa mãe

  • Maria Rita
    15 Jul 2019 às 20:27

    Tem que conceder RGA a todos os servidores, não apenas beneficiar os professores

Sitevip Internet