Olhar Direto

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Política MT

Deputados pedem imagens da sessão e prometem ir à Justiça para anular votação

Da Reportagem Local - Carlos Gustavo Dorileo/Da Redação - Érika Oliveira

18 Jul 2019 - 15:03

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Deputados pedem imagens da sessão e prometem ir à Justiça para anular votação
O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) anunciou, logo após a aprovação do Projeto de Lei Complementar 53/2019, que os parlamentares contrários à matéria solicitaram as imagens da sessão plenária matutina desta quinta-feira (18) para ter certeza de que haviam 22 parlamentares presentes em Plenário durante a votação do texto, conforme descrito pelo painel. Segundo o petista, foram apenas 12 votos favoráveis à minirreforma tributária, o que inviabilizaria a sessão. Os deputados prometeram recorrer à Justiça.

Leia mais:
Obstrução não surte efeito e Assembleia aprova minirreforma tributária de Mauro Mendes

“Nós conseguimos 7 votos contra a aprovação da proposta na mensagem original. [Mas] Há ainda um questionamento sobre a presença de deputados em Plenário. Na contagem que nós fizemos, haviam apenas 19 deputados presentes, o que significa 7 votos contrários e apenas 12 favoráveis e o projeto não foi aprovado, porque precisaria de 13 deputados. Nós vamos requerer as filmagens para poder confirmar isso e, tendo essa confirmação, ingressar na Justiça, para anular esta sessão”, informou Lúdio.

De acordo com o Regimento da Assembleia Legislativa, por se tratar de Projeto de Lei Complementar, a minirreforma tributária elaborada pelo Governo precisaria da anuência da maioria absoluta dos deputados, ou seja, número inteiro superior à metade dos membros da Casa.

Na apuração do presidente Eduardo Botelho (DEM), durante a sessão, 15 deputados teriam votado a favor do PLC 53. Votaram contra o texto os deputados Lúdio Cabral, Valdir Barranco (PT), Ulysses Moraes e Elizeu Nascimento, ambos do DC, João Batista (Pros), Wilson Santos (PSDB) e Faissal Calil (PV).

Os sete deputados contrários ao projeto tentaram diversas manobras para obstruir a votação, assim como os servidores da Educação, em greve, que tentaram inclusive invadir o Plenário. A Rotam, unidade operacional da Polícia Militar, precisou ser acionada. Há relatos de agressões a servidores da Casa e de luta corporal entre grevistas e policiais.

Se reconhecida a votação de hoje, na próxima terça-feira (23) um substitutivo integral ao texto elaborado pela equipe de Mauro Mendes (DEM) será apreciado em segunda votação e, posteriormente, em votação final. A expectativa é de que todo o trâmite seja encerrado até o dia 31 de julho, dentro do prazo do Confaz.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Michele
    18 Jul 2019 às 16:57

    Esses PTistas... Sempre contra. Vamos ajudar MT se desenvolver. Parem de fazer oposição por oposição.

  • Zeca
    18 Jul 2019 às 15:59

    Lúdio, seu patrão-mor está na cadeia, assim como seus irmãos dignatários do PT. E serão muitos presos ainda. Seu partido morreu afogado na ignorância, inoperância, incompetência e na maldade. Nada mais resta.

  • José A. da Silva
    18 Jul 2019 às 15:46

    O prazo do CONFAZ foi prorrogado para 31 de agosto.

  • Francisco
    18 Jul 2019 às 15:38

    Recorrer à justiça?????? Os poderes não são independentes? O Plenário da Assembléia Legislativa teria poder de anular uma decisão do Pleno do TJ????? A única verdade verdadeira que sei sobre os tres poderes é que o executivo é caixão de pancada, todo mundo bate manda e desmanda, TCE,TJ,MP,SINTEP... todos batem sem dó nem piedade...

Sitevip Internet