Olhar Direto

Quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Biólogo acredita que ataque de jacaré a cachorro morto em parque foi autodefesa

Da Redação - José Lucas Salvani

20 Jul 2019 - 14:20

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto/Reprodução

Biólogo acredita que ataque de jacaré a cachorro morto em parque foi autodefesa
O biólogo Davi Soares acredita que o ataque de jacaré ao cachorro morto no sábado passado (13) foi instinto animal e autodefesa, em entrevista ao Olhar Direto. O profissional também explica que o animal foi encontrado intacto porque o jacaré provavelmente não estava com fome, já que “na verdade, répteis podem ficar vários dias sem precisar se alimentar”, argumenta.

Leia mais:
Cachorro é retirado intacto do Parque das Águas após ataque de jacaré; quatro animais vivem no local

O jacaré atacou ao se assustar com o animal próximo, tentando se defender, explica o biólogo. Percebendo ser uma presa, o jacaré levou o cachorro para dentro do lago, mas não o comeu. Mesmo sem fome, o animal é “programado há milhões de anos” a ter este instinto. “Se ele estivesse com fome, tinha sobrado nada. Ele teria aproveitado toda a carne do animal”, acrescenta.

Apesar do ataque ao animal, o biólogo esclarece também que os jacarés do Parque das Águas não representam grande ameaça às pessoas. “São animais que raramente atacam humanos. [Acontece] apenas em caso de defesa. Se mantivermos distância, tudo certo”, explica. “Os jacarés são animais dóceis”.

No sábado passado (13), o cachorro foi morto enquanto tentava buscar um graveto jogado por seu dono próximo ao lago do espaço. Segundo a administração do parque, em um dos arremessos feitos, o pedaço de madeira caiu próximo ao jacaré que o atacou. O dono do animal cogitou entrar na água para resgatar seu animal de estimação, porém foi impedido por terceiros.

No dia do acidente, as pessoas relataram que o cão havia sido comido pelo réptil, porém, no domingo (14), o cachorro foi retirado do lago intacto. 

Os jacarés vivem no local desde antes a construção do Parque das Águas, quando era apenas uma lagoa. De acordo com a Prefeitura de Cuiabá, é estimado que tenha quatro jacarés de tamanhos diferentes na região.

Em entrevista à TV Centro América, o secretário de Serviços Urbanos de Cuiabá, José Roberto Stopa, lamentou o ocorrido. “Este é o habitat natural do jacaré e tem que ser respeitado. Vamos colocar ainda mais sinalização e também deixar educadores ambientais nesta parte, principalmente no período da tarde e noturno, que eles costumam sair mais”.

“Vamos estudar concluir a cerca. Mas é bom deixar claro que este guardrail não impediria o problema. Mantemos a orientação de não deixar subir na cascata. O lago existe para ser preservado. Não é para banho, para animal doméstico. Somos os invasores aqui. Vamos reforçar o número de educadores ambientais”, acrescentou o secretário.

Entretanto, a Prefeitura de Cuiabá, por meio de nota, informou que um cerca não iria evitar o ataque. O município afirma que o incidente foi uma fatalidade, já que o cão entrou no habitat natural do réptil. A Prefeitura também classifica o caso como pontual, já que não houve qualquer situação semelhante desde a inauguração do parque, em 2016.

“Parte do espaço conta com uma cerca que separa o Parque da nascente do lago, que fica em uma região de mata fechada. Isso impede que outros animais silvestres invadam a área pública. Mesmo que a cerca fosse instalada ao redor de todo o lago, a medida não evitaria esta ocorrência, uma vez que o cão foi incentivado a entrar na água e sua movimentação na superfície motivou o ataque”, diz trecho da nota.

Apesar de não construir uma cerca por volta do lago, a Prefeitura irá aumentar o número de guardas e monitores, para evitar que qualquer situação parecida aconteça futuramente. A orientação passada aos profissionais é para que eles não permitam que os frequentadores subam na cascata ou entrem no lago.

“Há que se reforçar ainda que os jacarés e capivaras estão em seu habitat natural e que o espaço deve ser respeitado pelos seres humanos que aproveitam da beleza da região para práticas esportivas e de lazer”, finaliza.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • André Guilherme Portocarrero
    21 Jul 2019 às 16:03

    "jacarés são animais dóceis". Sr. biólogo, o senhor é formado em biologia onde, na Faculdade FLOCO DE NEVE? Qual sua especialidade? O sr. tem algum estudo em répteis aquáticos? O sr. tem alguma vivência no Pantanal? Sinceramente... alô Conselho Federal de Biologiaaaa!!!!!

  • Galo
    21 Jul 2019 às 14:43

    Celso e o mascote do Parque das Águas.

  • waldomiro lopes
    21 Jul 2019 às 11:14

    Se o réptil atacou o cão em auto defesa também pode atacar uma pessoa em auto defesa, ou ele tem como distinguir um de outro?

  • Jr
    20 Jul 2019 às 22:03

    O comentário abaixo reforça a necessidade de reforçar a leitura, interpretação de texto e bom senso para a população. Acrescenta-se respeito à natureza, ao próximo e reconhecimento de auto limitação, não falar do que não se tem propriedade e conhecimento mínimo. O resultado da receita é um país no caminho contrário do que estamos hoje.

  • Juliano
    20 Jul 2019 às 16:30

    SERA SE O JACARÉ TIVESSE MATADO A MÃE OU O FILHO DESSE BIOLAGO SERIA AUTO DEFESSA TBM????

Sitevip Internet