Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Esportes

Nadador cuiabano faz história em Mundial e ajuda Brasil a fazer dobradinha inédita no pódio

Da Redação - Wesley Santiago

25 Jul 2019 - 11:00

Foto: Satiro Sodré/Rededoesporte.gov.br

Nadador cuiabano faz história em Mundial e ajuda Brasil a fazer dobradinha inédita no pódio
O nadador cuiabano Felipe Lima entrou para a história na última quarta-feira (24). Ele e João Gomes conseguiram subir ao pódio do Mundial, feito inédito para o país até agora. O mato-grossense ficou com a medalha de prata nos 50m peito com o tempo de 26s66, enquanto que o compatriota levou o bronze (26s69).

Leia mais:
Nadador cuiabano conquista medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos 2015; assista a prova
 
O britânico Adam Peaty foi o campeão com 26s06. Esta é a primeira vez que dois atletas do Brasil vão ao pódio em uma mesma prova do Mundial em piscina longa.
 
“Eu queria estar melhor do que eu estou hoje fisicamente. Estou com uma contusão na virilha esquerda, foi um dos motivos que não nadei muito bem os 100m (ficou fora da final). Fiz uma luta diária para tentar me recuperar e brigar por medalha. Estou muito feliz”, disse o cuiabano após a prova.
 
Esta é a segunda medalha na carreira, já que tinha sido bronze nos 100m peito em Barcelona 2003. A dupla Felipe Lima e João Gomes já tinha batido na trave para fazer essa dobradinha no pódio. Em 2017, João foi prata e Felipe acabou na quarta posição. Nos 50m borboleta de 2013, no Mundial de Barcelona, Cesar Cielo levou ouro e Nicholas Santos foi quarto.
 
Na história dos Mundiais, o Brasil chega a 43 medalhas. São nove medalhas de ouro em provas de piscina, além de outras seis em águas abertas. São ainda doze pratas (oito na piscina e três nas águas abertas) e 16 bronzes (oito na natação e sete nas águas abertas).
 
Os dois brasileiros chegaram ao Mundial como favoritos ao pódio. Felipe era o líder do ranking, com 26s33 feitos em uma etapa do Circuito Mare Nostrum, e João era o terceiro da classificação. O britânico Adam Peaty assumiu a liderança do ranking com suas marcas nas eliminatórias e na semi. Lima foi o segundo colocado na semifinal e João o quinto. Nas eliminatórias, os dois tinham feito o mesmo tempo, em segundo lugar.
 
Os 50m peito não fazem do programa olímpico, ou seja, não serão realizados nos Jogos de Tóquio 2020. Esta distância só é nadada em Campeonatos Mundiais.
 
Prata no Pan
 
Em 2015, o cuiabano Felipe Lima ficou no segundo lugar na final da prova dos 100m peito e conquistou a medalha de prata.
 
Felipe Ferreira Lima nasceu em Cuiabá, no dia 05 de abril de 1985. Até agora, ele não tem nenhuma medalha conquistada em Olimpíadas, mas promete um crescimento muito grande para os Jogos Olímpicos de Tóquio. (Com informações do Globo Esporte)

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Hélido Francis.
    25 Jul 2019 às 14:40

    Felipe, voce só é lembrado que é Cuiabano,quando Brilha,ontem, assisti em um jornal de circulação,que voce luta como um leão para conseguir passagens,para ir participar de competições,e representar o nosso país. Praticamente suas viagens são bancadas,pelos seus esforços. E mesmo assim,vai lá e faz bonito! Parabéns. Cadê?? uma grande empresa para te patrocinar??? Voce merece muito.

  • Kellen Sousa
    25 Jul 2019 às 13:49

    Fala sério, Olhar Direto. Entrar para história é ganhar medalha de ouro olímpica. Não esses torneios fajutos.

Sitevip Internet