Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Cidades

Cuiabá vira referência em cuidado com alunos com deficiências e estuda parceria para aumentar atendimento

Da Redação - Wesley Santiago

05 Ago 2019 - 07:42

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Cuiabá vira referência em cuidado com alunos com deficiências e estuda parceria para aumentar atendimento
A Prefeitura de Cuiabá tem dado passos largos no cuidado com alunos com deficiência  na rede pública de ensino e não dá sinais de que está para finalizar esta caminhada. Para isto, está sendo estudada uma Parceria Público-Privada (PPP) com uma empresa para aumentar o atendimento. No total, existem 847 Cuidadores de Alunos com Deficiência (CADs).

Leia mais:
Secretaria divulga lista de candidatos convocados para cuidador de aluno com deficiência
 
Nesse cenário, atualmente, são 2.247 alunos matriculados na rede municipal de ensino. “Quando assumimos, vimos que havia um aumento da demanda e identificamos que precisávamos fazer um trabalho nisto. É necessário um atendimento diferenciado. Criamos uma coordenadoria para atender estes estudantes com profissionais capacitados para estas demandas”, disse ao Olhar Direto o secretário de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos.
 
Cuiabá dá, no momento da matrícula, 10% das vagas para alunos de educação especial. Segundo o secretário, isto foi instituído através de decreto do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e está sendo bem aceito, até por quem não precisa do serviço. Para tanto, é feita uma triagem, que identifica os entrantes.
 
O secretário ainda destacou o trabalho desempenado pelos Cuidadores de Alunos com Deficiência. “Eles não são professores. Estão ali para atender as extrapedagógicas. O aluno precisa de ajuda, ser alimentado, locomover, entre vários pontos. Nossa ideia é fazer o estímulo de desenvolvimento, para que, posteriormente, ele seja autônomo e não dependa mais de ninguém. Em alguns casos, não tem como, mas muitos sim. A ideia é fechar um ciclo em que ele não precise mais de ajuda. Nossa proposta, inclusive, é esta, de inclusão. Por isso, optamos por trabalhar com os alunos especiais na mesma sala de aula com os outros”.
 
Alex ainda pontua que o prefeito pediu uma cobrança aos conselhos Municipal e Estadual para que isto seja implantado também nas escolas privadas e nas unidades do Executivo. “As vezes, soltamos os alunos para eles, mas, como não tem ninguém, acaba regredindo. Chegamos ao ponto de crianças começarem a reprovar para não perder o CAD”.
 
O secretário revela ainda que existem muitas pessoas deixando cidades da baixada cuiabana para morar em Cuiabá por conta do programa. “É o mesmo caso do Pronto-Socorro de Cuiabá. As pessoas preferem morar aqui, porque tem onde deixar os seus filhos o dia inteiro e podem trabalhar, ganhar mais, ter uma vida melhor. Em Várzea Grande, são 26 mil alunos e eles só tem 250 cuidadores. Olha que este número aumento nesta atual gestão, que estão fazendo um enfrentamento bacana, mas ainda é abaixo. Nós temos 53 mil e são 847 CADs”.

“Queremos melhorar ainda mais o que já está bom. Temos uma legislação que precisamos trabalhar. A Lei Berenice Piana institui que o autista tem que ter cuidador continuo. Mas como faremos isto se temos processo seletivo todo ano. Não posso pegar quem passou em ultimo e colocar. Tenho uma constituição para seguir dentro da lei”, acrescenta o secretário.
 
Alex comentou ainda que a prefeitura foi conhecer um projeto piloto de PPP com uma empresa especializada no cuidado com alunos especiais, que está sendo realizado em Primavera do Leste. “Faremos aqui também. Vamos começar com 30%, para ver se conseguimos chegar até 70% com uma empresa que for contratada através de licitação”.
 
“Isso será melhor porque teremos gente capacitada. Esta é uma dificuldade que temos. Fazemos o seletivo, a pessoa passa, não tem especialidade e quando chega a carta, vê o que tem de fazer, desiste. Para completarmos os 847 cuidadores que temos, foi necessário chamar 2.200 pessoas. Justamente por isto. Isso desgasta a criança, as famílias e o nosso serviço”, disse o secretário.
 
A intenção é que, com a PPP, a qualidade do serviço melhore. Isso porque o profissional poderá trabalhar por oito horas e ganhar mais. “Isto está sendo discutido, mas acreditamos que será algo muito bom. Já está sendo feito em Primavera do Leste e nossos técnicos só trouxeram coisas positivas do que viram”.
 
Os cuidadores têm o papel de prestar apoio à criança nas atividades de locomoção, higiene, alimentação, segurança, entre outras que exijam o auxílio pessoal e individual.
 
A prefeitura de Cuiabá também oferece equoterapia, método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar, nas áreas de saúde e educação buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com necessidades especiais.
 
A modalidade é desenvolvida no Haras Twin Brothers e no Rancho Dourado. Atualmente, são 170 crianças atendidas, mas o número deve aumentar para 250 nos próximos meses.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rodrigo
    06 Ago 2019 às 09:13

    Seria bom não fosse o fato de que os alunos não podem ter acompanhamento prolongado e regular devido tipo de vínculo das CADs, a prefeitura insiste em não criar este cargo. É muito mais comodo e barato pra prefeitura terceirar essa função, deixar que uma empresa privada explore agora o dobro da jornada. Com certeza a qualidade do acompanhamento não será o mesmo. Se hoje , com todas as dificuldades que as CAD enfrentam, elas conseguem fazer um trabalho digno e atendimento desejável é porque exercem 6h de trabalho. Este ano foi uma briga para que crianças com autismo, por exemplo, tivessem as mesmas CAD que acompanhavam-nas ano passado. Só quem tem crianças com deficiência sabe a dificuldade e humilhação que passam para ter o direito a educação. Esse negocio de terceirazação é bem claro, terceirizam amanha as CAD, depois a limpeza, depois a vigilância, e è dinheiro publico pelo ralo, e dobro de trabalho para os que produzem de verdade.

  • cristiano
    05 Ago 2019 às 08:23

    Grandes avanços. Mto bom

Sitevip Internet