Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Política MT

Wilson diz que projeto que aumenta desconto no salário de servidores não passará na AL

Da Redação - Érika Oliveira

08 Ago 2019 - 12:00

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Wilson diz que projeto que aumenta desconto no salário de servidores não passará na AL
A votação que aprovou as contas de gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB), na noite da última terça-feira (06), trouxe à tona uma discussão antiga sobre a possibilidade de aumento do valor descontado do salário dos servidores do Tribunal de Contas, Ministério Público e Assembleia Legislativa, a título de contribuição previdenciária. A recomendação do conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha acabou sendo excluída do parecer sobre as contas do tucano, mas poderá ser pauta do Conselho da Previdência. O deputado Wilson Santos (PSDB) adiantou que o texto não deve passar no Legislativo.

Leia mais:
“Não vim chorar”: Taques admite erros no TCE e garante aprovação de contas com mais de 40 recomendações

“Esse percentual não passa no Parlamento, não tem o mínimo cabimento, é absurdo. Já desconta 27,5% de imposto de renda. Vai descontar mais 22%? 49,5%? Eu sei que isso seria o ideal para reconstruir, porque só este ano a previsão é de R$ 1,25 bilhão de déficit, o que é inaceitável. Mas uma alíquota desse montante não tem cabimento, não passa na Assembleia”, disse, após a sessão do Pleno do TCE.

Lopes da Cunha foi relator das contas de Taques e, em seu parecer, deu mais de 40 recomendações ao atual chefe do Executivo, Mauro Mendes (DEM), a fim de equilibrar as contas do Estado.

Entre as indicações, o conselheiro interino sugeriu o aumento da alíquota previdenciária dos servidores do Ministério Público, Tribunal de Contas e Assembleia Legislativa, dos atuais 11% para 22%. O valor é descontado diretamente da folha. Durante seu voto, embora tenha acompanhado Lopes da Cunha, no sentido de aprovar as contas de Taques, o conselheiro substituto Ronaldo Ribeiro de Oliveira propôs a exclusão deste ponto do relatório, o que foi acolhido pelo relator.

Cabe destacar que um relatório da Secretaria de Controle Externo de Auditorias Operacionais (Secex) do próprio Tribunal de Contas havia apontado que, para reequilibrar o atual déficit da Previdência do Estado, seria necessário um aumento de mais de 50% das alíquotas previdenciárias.

“A minha recomendação é para que não haja esse aumento de alíquota por meio de projeto de lei, mas sim que permaneça a determinação para que o Executivo e a MT Prev adotem medidas para o equacionamento do déficit previdenciário, que é uma questão bem mais ampla”, avaliou Ronaldo Ribeiro.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Moacir
    08 Ago 2019 às 21:00

    É um absurdo. Agora servidor irá trabalhar e deixar seu salário para o Estado? Parabéns ao deputado e aos outros que votarão contra. Diminuindo a roubalheira, o Estado e o país crescerá.

  • Cuiabania
    08 Ago 2019 às 18:01

    Esse tce e mesmo uma vergonha.

  • Karina Person
    08 Ago 2019 às 16:27

    Camisa Ralph Lauren do Wilson Santos dá pra pagar UTI pediátrica para carentes por um mês.

  • Antonio
    08 Ago 2019 às 13:39

    Tem solução pra tudo. Mas quando foi governo com o Pedro Taques não fez nada.

Sitevip Internet