Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Política MT

Secretário critica forma como Taques lidou com Júlio Muller: ‘A incompetência não tem mais espaço’

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / Do Local - Erika Oliveira

12 Ago 2019 - 17:28

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Secretário critica forma como Taques lidou com Júlio Muller: ‘A incompetência não tem mais espaço’
O secretário de Infraestrutura do Estado, Marcelo de Oliveira, criticou duramente a forma como o Governo de Pedro Taques (PSDB) lidou com a obra do novo Hospital Universitário Júlio Muller. Para o comandante da Sinfra, houve incompetência por parte da gestão anterior, que sempre alegou inviabilidade de continuar com a construção, por causa de alagamentos na região.

Leia também
Secretários aproveitam vinda de ministro para discutir retomada de obras do Julio Muller


“Eu sou muito complicado e muitas vezes as pessoas me chamam de grosso. Mas a verdade é que a incompetência não tem mais espaço no setor público não só em Mato Grosso, como no Brasil. Tem obras em áreas alagadiças, que são verdadeiros pântanos. Ali não tem nada disso, basta a gente ter um projeto bem feito e a segurança daquilo que a gente vai fazer”, disse o secretário antes de audiência pública que debateu a retomada das obras de construção do novo Hospital Júlio Muller.

O titular da Sinfra também explicou que já recebeu uma planilha orçamentária da UFMT e que em breve o edital para a continuidade da obra será lançado. “Recebemos na sexta-feira da UFMT a planilha orçamentária que foi refeita. Ela passa agora por uma revisão da Sinfra para que a gente comece a trabalhar o termo de referência e possa lançar o edital, que será composto de um regime diferenciado integrado onde vamos ter desenvolvimento do projeto executivo no preço global”, afirmou.

A UFMT deverá entregar no dia 15 de agosto, ao Governo do Estado, o projeto de readequação da obra do novo Hospital Universitário Júlio Muller. A edificação, que teve início há sete anos, passa por uma análise de toda a parte estrutural e das planilhas orçamentárias. O custo inicial foi orçado em R$ 116,5 milhões. O valor foi dividido entre os governos federal e estadual.

Assim que chegar à Sinfra, a secretaria terá 10 dias para reanalisar e depois encaminhar o projeto já reestruturado para uma nova licitação.

A obra do hospital teve início em 2012. De acordo com o projeto inicial, a unidade iria contar com 250 leitos, centro cirúrgico, 23 vagas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adulto, 16 pediátricas e 20 neonatal. Porém, passado todo este tempo, apenas 9% do projeto foi executado.
 
Em 2014 o Governo rescindiu o contrato com a empresa responsável pela obra. Desde então, nenhuma providência foi tomada, a não ser a instauração de um procedimento administrativo para averiguar se o Consórcio Normandia, Phoenix e Edeme, tinha culpa ou não pelo atraso.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Marcos Paulo
    12 Ago 2019 às 21:59

    Marcelo foi fiscal do VLT quer falar o que???assinou pq se não estava nem pronto a obra??

  • Nenê Bocaiuva
    12 Ago 2019 às 20:06

    Depois de sete meses de governo já foi feito um projeto bem feito?

  • Gladston
    12 Ago 2019 às 18:20

    Se a incompetência não tem mais espaço em MT, você irá para onde marcelo?

Sitevip Internet