Olhar Direto

Sábado, 21 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Preso, ex-secretário teria recebido mais de R$ 1 milhão em materiais e polícia quer saber ‘destino’ de produtos

Da Redação - Patrícia Neves

19 Ago 2019 - 09:40

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Preso, ex-secretário teria recebido mais de R$ 1 milhão em materiais e polícia quer saber ‘destino’ de produtos
A Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz) aponta que cinco irregularidades já foram detectadas durante a investigação referente à aquisição de mais de R$ 1,1 milhão em materiais entregues na Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Leia Mais:
Defaz vê contradição em depoimento de deputada; compra de materiais teria servido para desvio

Conforme a Polícia, não existe comprovação da necessidade de aquisição dos materiais de expediente para escolas indígenas no montante comprado; ausência de planejamento nas aquisições; a ausência de comprovação de vantagens na adesão carona de registro de preço nº. 05/2013 – derivada do Pregão Presencial nº. 04/2013, da Fundação de Apoio e Desenvolvimento da Universidade Federal de Mato Grosso – Fundação Selva; e ainda a ausência de elaboração de contratos, vez que foram substituídos por ordens de fornecimento.

Aponta também a falta de documentação de comprovação de destino de material de expediente no valor de R$ 1.134.836,76. Para apurar o destino desses materiais,  foi deflagrada a operação Fake Delivery na manhã de hoje (19), que levou à prisão um ex-secretário adjunto da pasta. Também foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa da ex-secretária Rosa Neide Sandes de Almeida.

Conforme a Polícia Civil, elementos iniciais da análise dos processos apontam que parte dos materiais escolares foram entregues no setor de patrimônio da Seduc, correspondente ao valor de R$ 884.956,48 (direcionados à comunidades indígenas, campo e quilombola) e que o montante de R$ 1.134.836,76 em material foi “supostamente” entregue diretamente ao então secretário adjunto de Administração Sistêmica, à época, Francisvaldo Pereira de Assunção, sem que restasse evidenciado o destino desse volume expressivo de mercadoria. Assunção foi preso em decorrência da operação na BR-163, por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal.

O recebimento das mercadorias diretamente pelo investigado Francisvaldo Pereira de Assunção, sem a identificação de entrega no setor de patrimônio, foi ratificado por provas testemunhais e documentais.

A investigação é  coordenada pelos delegados Luiz Henrique Damasceno e Lindomar Tofoli.

Francisvaldo atua como assessor parlamentar do deputado estadual Valdir Barranco (PT), que se manifestou por meio de nota pública sobre a prisão onde reitera que "não é de seu conhecimento qualquer ato que desabone a conduta do servidor"

Veja a íntegra:

"O deputado estadual Valdir Barranco (PT-MT) acompanha atentamente, através da imprensa, os desdobramentos da operação “Fake Delivery” que envolve o servidor público, analista administrativo, Francisvaldo Pereira de Assunção, cedido à AL MT, desde maio último. Até o presente momento, não há qualquer ato de seu conhecimento que desabone a conduta do servidor de carreira".

Atualizada às 11h20

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zeca
    19 Ago 2019 às 17:47

    OD, cadê os comentários postados após as 12:00 horas?

  • observador atomico
    19 Ago 2019 às 16:36

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • cidão
    19 Ago 2019 às 14:08

    O retrato real dos camisas vermelhas. Mãos algemadas para atrás sendo conduzido pro xilindró.

  • INDIGNADA COM ENSINO FRACO
    19 Ago 2019 às 13:22

    ENQUANTO ISSO OS ESTUDANTES DA REDE ESTADUAL EM VÁRZEA GRANDE NÃO PODEM LEVAR OS LIVROS PARA CASA,, ESSES CRIMES SÃO HEDIONDOS POIS CAUSAM PREJUÍZOS IRREPARÁVEIS ÁS CRIANÇAS , PREFEITA LUCIMAR COMPRA MAIS LIVROS PARA CRIANÇAS !!

  • Valdecarlos José dos Santos
    19 Ago 2019 às 13:12

    Só lamento que algeme alguns, mostre fotos e nome e outros não.

  • Fabio
    19 Ago 2019 às 13:09

    Entrega os companheiros Mundinho...

  • Diogo
    19 Ago 2019 às 11:36

    Nenhuma novidade PETISTA sendo preso por CORRUPÇÃO....kkkk

  • andre
    19 Ago 2019 às 11:16

    METERAM A ALGEMA NO BACANA, NÃO AGUENTOU O POTE DE MEL E SE LAMBUZOU TODO

  • valda
    19 Ago 2019 às 10:46

    assessor!!!! rua ja!!!! mas como? la e o lugar deles!!!!!

Sitevip Internet